Bloco 5, Cid Almeida 3, Moura

O sítio arqueológico designado por Cid Almeida 3 foi cartografado no Quadro Geral de Referência do património arqueológico do regolfo da  barragem de Alqueva. Nas prospecções realizadas no local foram recolhidos à superfície fragmentos de cerâmica de fabrico manual, seixos e lascas de quartzito e um instrumento de pedra polida em anfibolite.

Em face desta situação, nas medidas de minimização enunciadas no Quadro Geral de Referência, foi proposta a realização de escavações em área neste sítio arqueológico, tendo o mesmo sido integrado no Bloco 5, correspondente a sítios do Neolítico e Calcolítico. Foi programada uma campanha de trabalhos arqueológicos, que seria realizada pela ERA em Agosto de 1999.

Os objectivos gerais desta primeira campanha de trabalhos no Cid Almeida 3 visavam obter uma primeira caracterização precisa do espectro cronológico-cultural e a extensão do povoado, confirmar observações feitas durante as prospecções e avaliar o impacto que o regolfo do Alqueva teria sobre o sítio arqueológico.

Correspondendo a duas sondagens, os trabalhos arqueológicos permitiram confirmar uma efectiva ocupação humana deste sítio durante a Pré-História Recente. No entanto, os dados registados foram escassos, sugerindo uma ocupação pouco intensa. Para além disso, tudo apontou para os sucessivos trabalhos de lavoura terem destruído e descontextualizado a maioria dos restos de actividade humana, misturando contextos de uma ocupação mais antiga pré-histórica com contextos de ocupações mais recentes, de cronologia medieval.