Sobreira de Cima, Subestação de Alqueva da REN

Entre Dezembro de 2006 e Setembro de 2007, a ERA-Arqueologia realizou o acompanhamento arqueológico no âmbito da empreitada de construção da Subestação de Alqueva (400/60 kV) da Rede Eléctrica Nacional. No decorrer destes labores viria a ser detectada uma necrópole de sepulcros artificialmente escavados no substracto rochoso, de cronologia neolítica, cuja localização obrigou a um intenso trabalho, englobando prospecções geofísicas e escavações arqueológicas de mitigação e acompanhamento arqueológico.

Estas acções permitiram “preservar pelo registo” (expressão consagrada na lei para estas situações) um conjunto de sepulcros que seriam demolidos para que a obra pudesse ser concluída. No total, foram intervencionados 5 sepulcros colectivos, tendo-se identificado outros dois através da geofísica e de vestígios de superfície, os quais, por se situarem fora da área a afectar (embora muito próximos dos seus limites), não foram intervencionados no âmbito dos trabalhos de minimização.

Sepulcro.

Trata-se de uma necrópole com características arquitectónicas até hoje desconhecidas nas regiões interiores do país, onde se preservava um dos melhores conjuntos osteológicos humanos deste período registados em Portugal, apresentando grande potencial científico para o estudo das populações neolíticas. Relativamente aos rituais funerários, foi possível perceber todo um conjunto de práticas, algumas das quais pouco conhecidas.

Após a escavação dos sepulcros que se encontravam em área a afectar pelo projecto, os mesmos foram destruídos com acompanhamento arqueológico, decisão assumida pela tutela responsável. No local, teriam ficado em zona não afectada, pelo menos, mais dois outros sepulcros referenciados pela geofísica. Para estes foram sugeridas medidas de protecção.

A importância científica, didáctica e cultural deste contexto arqueológico justificaria plenamente o investimento no aprofundamento da sua investigação e na sua divulgação e apresentação pública. Assim, foram apresentadas linhas orientadoras para um projecto de investigação e valorização patrimonial de um deles e para o aprofundamento do estudo e divulgação dos já intervencionados.