Zona da Central Fotovoltaica de Ferreira do Alentejo (2ª intervenção)

Numa perspectiva de diagnóstico arqueológico decorrente dos trabalhos de levantamento patrimonial realizados na área a afectar pela construção da Central Fotovoltaica de Ferreira do Alentejo, esta intervenção decorreu entre 19 e 26 de Janeiro de 2009.

Após a identificação de manchas de dispersão de materiais arqueológicos na fase de prospecções, foram preconizadas sondagens mecânicas de diagnóstico arqueológico de forma a apurar o potencial arqueológico dos sítios que se encontravam dentro da área a afectar pela construção do parque fotovoltaico. Dos 240m2 previstos foram escavados 180m2, divididos por 17 sondagens, realizadas por 4 sítios.

Devido ao estado do terreno não foi possível concluir os trabalhos arqueológicos na sua totalidade, tendo sido remetidos os restantes metros quadrados para a fase de acompanhamento. Pelas sondagens realizadas em todos os sítios, pudemos observar que o potencial arqueológico dos mesmos é quase nulo, uma vez que os terrenos onde se situam foram fortemente lavrados durante décadas, destruindo qualquer nível antropizado que tenha existido.

Em termos estratigráficos verificou-se a presença de um primeiro depósito constituído por sedimento areno-argiloso de coloração castanha, nas zonas mais elevadas, e mais argiloso e de cor cinzento-escuro, nas proximidades de linhas de água sazonais. Por baixo destes constatou-se a existência de unidades estéreis do ponto de vista arqueológico, constituídas por argilas miocênicas e caliços. Esta estratigrafia repetiu-se por todos os sítios onde foram realizadas as sondagens.

Relativamente ao espólio recolhido, registou-se a presença de cerâmicas comum de cronologia moderna e cerâmicas manuais e alguma indústria lítica de cronologia pré-histórica nas unidades superficiais de quase todas as sondagens.

No entanto, devido à presença de inúmeros fragmentos de cerâmica comum moderna e algum material pré-histórico, considerou-se a hipótese de existirem estruturas negativas conservadas ao nível do substrato geológico. Assim, propôs-se a realização de acompanhamento arqueológico dos trabalhos de movimentações de terras na área onde seria construída a Central Fotovoltaica, de forma a minimizar qualquer eventual impacte decorrente desta empreitada.