Bloco de Rega de Faro, sítio Monte da Mourata 3

A intervenção arqueológica no sítio Monte da Mourata 3, realizada entre 12 de Outubro e 18 de Novembro de 2009, enquadrou-se numa perspectiva de minimização de impactes sobre um conjunto de estruturas negativas identificadas no decorrer da obra, correspondendo a um total de 61,25 m2 distribuídos por 14 sondagens. Os resultados obtidos apontaram a presença de duas realidades arqueológicas distintas.

A primeira realidade reporta-se à presença de fossas de tipo “saco” de grandes dimensões, que sofreram um abandono rápido e consequente aterro. A estas fossas está associado um conjunto de materiais arqueológicos dos quais se evidencia a presença de cerâmica manual e fauna mamalógica nos depósitos arqueológicos, de líticos, de fauna malacológica, e possivelmente uma inumação antrópica no espólio de superfície. A segunda reporta-se a outro tipo de fossas, de dimensões mais reduzidas, paredes sub-rectas ou sub-côncavas e base côncava ou plana, às quais não se associa espólio e que se dispersam por uma área mais alargada.

No final dos trabalhos, estabeleceu-se como medida de minimização a protecção com geotêxtil de uma nova estrutura situada já fora da área de afectação, mas detectada no decurso da escavação de uma das estruturas afectadas (o que foi realizado pela equipa de escavação), e o acompanhamento do aterro das estruturas intervencionadas por parte da equipa de acompanhamento arqueológico.