Palácio Condes de Azevedo, Rua da Porta do Sol, 2, Porto

As acções arqueológicas efetuadas no âmbito da empreitada de reabilitação do Palácio Condes de Azevedo, localizado na Travessa da Rua Chã, 31-41/Rua de Saraiva de Carvalho, 89-109/Rua da Porta do Sol, 2, no Porto, foram adjudicadas à ERA pela Alphaville Participações Urbanismo, S.A.

Os trabalhos iniciais, estudo histórico-espacial e sondagens de diagnóstico, ocorreram entre Janeiro e Fevereiro de 2013, sendo que o acompanhamento arqueológico teve início em Fevereiro de 2014, decorrendo continuamente durante esse ano até à sua conclusão em 17 de Abril de 2015. As obras executadas no Palácio dos Condes de Azevedo implicavam a afetação de zonas com potencial arqueológico, já que se desenvolviam na servidão administrativa do Centro Histórico do Porto.

Foi possível detectar inúmeros vestígios da complicada história evolutiva do edifício. A remoção de rebocos e picagens das paredes em geral permitiu observar vários sinais de alterações na fisionomia do edifício, nomeadamente, portas e janelas encerradas, tipologias de paramentos de diferentes características, etc. Refira-se, porém, que estes novos dados não permitiram definir uma proposta nova para a evolução arquitetónica do edificado da que já havia sido referida no estudo efetuado em fase prévia.

As principais estruturas identificadas durante os trabalhos de afetação no solo resumiram-se a alguns troços de estruturas de condução de águas, maioritariamente constituídos por blocos de granito e ainda blocos de pequena dimensão em xisto, existindo zonas onde a estrutura se resumia ao afeiçoamento do substrato rochoso. De forma muito pontual, também podiam ser constituídas por blocos de tijolo cerâmico. Do acompanhamento arqueológico não surgiu a necessidade de definir adicionais medidas de minimização.