Ligação ao Sistema de Adução de Morgável, Ermidas Aldeia

Realizada nos dias 30 e 31 de Julho de 2015, a intervenção arqueológica no sítio Ermidas Aldeia enquadrou-se na Minimização de Impactes sobre o Património Cultural decorrentes da execução da Ligação ao Sistema de Adução de Morgável: Fase prévia à obra. Estes trabalhos foram adjudicados à ERA-Arqueologia pela EDIA, S.A.

O sítio em questão fora assinalado como uma possível área de necrópole onde, segundo testemunho recolhido pelo Dr. Paulo Marques (EDIA), no decurso de lavra mecanizada, haviam sido recolhidas pelo proprietário do terreno várias lajes de xisto. De acordo com este testemunho, não se observaram outros vestígios no local. Uma vez que se tratava de uma zona de areias, a origem destas lajes deveria ser exógena.

As suas formas e dimensões indiciaram a preexistência de eventuais cistas da Idade do Bronze ou tampas de sepulturas de época Romana. Nesta área, foi recolhida uma moeda romana em bronze. Tratava-se de um numisma cunhado em Turiaso, entre os anos de 14-37 d.C., sob o reinado de Tibério. Durante os trabalhos de prospecção arqueológica em fase de EIA, não foram identificados quaisquer outros vestígios arqueológicos no local.

De modo a avaliar o potencial arqueológico naquela área, realizaram-se 6 sondagens mecânicas de 4 x 1 m no eixo central da área de afectação, implantadas numa área de dispersão de materiais arqueológicos à superfície, num total de 24 m². Esta zona corresponde a uma plataforma adjacente à ribeira do Rôxo, junto à confluência desta com o rio Sado.

Foram identificados raros materiais líticos talhados em quartzito e quartzo em duas sondagens, no nível superficial, alvo de lavras sazonais. Identificaram-se ainda alguns materiais líticos nos terrenos lavrados na área envolvente às sondagens. A presença de algum material lítico talhado evidenciou a existência de um sítio pré-histórico na área. No entanto, face à raridade de artefactos, à fraca potência sedimentar e à afectação do solo pelas actividades agrícolas, este não se encontrava preservado na área intervencionada.

Uma vez que não foram identificados vestígios ou contextos arqueológicos preservados no decorrer destes trabalhos, propôs-se como medida de minimização o acompanhamento arqueológico dos trabalhos com afectação do subsolo associados ao desenvolvimento do projecto.

Face às características geológicas e geomorfológicas na área do projecto, que permitiram a conservação de contextos arqueológicos de cronologia da Pré-historia Antiga no sítio de Monte Novo dos Modernos 1, a presença de material arqueológico à superfície do sítio e a possibilidade da existência de contextos preservados em profundidade, noutras áreas fora dos locais intervencionados, preconizou-se que o acompanhamento arqueológico fosse realizado por especialistas em Pré-Historia Antiga.