GALP - Largo da Severa, Lisboa

Adjudicada pela GALP Energia, S.A., esta intervenção teve lugar no Largo da Severa, em Lisboa, entre 8 e 17 de Julho de 2013. Levou-se a cabo o acompanhamento arqueológico da abertura de uma vala, com cerca de 35 metros de comprimento e 0,6 m de profundidade, para a colocação de gás canalizado e, posteriormente, a realização de uma sondagem arqueológica em virtude do aparecimento de uma estrutura durante o acompanhamento.

No acompanhamento arqueológico, registou-se a presença de dois níveis de aterro, muito afectados pela presença de várias infraestruturas urbanas, como canalizações, e também pelo facto deste largo ter sido alvo de intervenções em anos anteriores. Nestes níveis foi possível observar a presença de fragmentos de cerâmica comum e faiança, em conjunto com lixo contemporâneo (plásticos, etc.).

Na abertura desta vala, junto ao edifício onde se situa o Museu da Severa, verificou-se o aparecimento de uma estrutura, que levou à abertura de uma sondagem de modo a melhor se perceber a sua natureza. Nesta sondagem, registou-se o que aparentemente teria sido o interior de um compartimento, onde se verificou o que teria sido uma fossa de despejo/lixeira, e o seu respectivo enchimento, que se caracterizava pela grande quantidade de fragmentos de cerâmica comum, cerâmica vidrada, faiança e em menor quantidade fragmentos de porcelana e de vidros.

Estas realidades documentam a ocupação deste compartimento, que remonta a cronologias de época Moderna, centradas na segunda metade do século XVII até à primeira metade do século XVIII. Procedeu-se ao desmonte parcial da estrutura citada, somente onde iria passar a tubagem do gás, tendo as restantes realidades encontradas sido preservadas.