Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Barranco do Pereiro

As sondagens arqueológicas realizadas, entre 29 de Junho e 6 de Julho de 2009, no sítio do Barranco do Pereiro enquadraram-se numa perspectiva de minimização de impactes sobre o património cultural decorrentes da execução do Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom.

Os trabalhos surgiram na sequência da deteção de duas manchas de materiais, uma do período romano e outra aparentemente moderna, no decurso da abertura de vala da Conduta 1 do Sub-bloco de Ferreira. Tendo em conta a dimensão das manchas estabeleceu-se, em reunião prévia de campo, a realização de duas sondagens manuais, totalizando 6 m2.

Dado o estado dos nossos conhecimentos, a análise destas duas sondagens não deixou de ser preliminar. No entanto, surgiram-nos, da observação do conjunto cerâmico, uma série de questões pertinentes no que respeita às produções locais e à relevância que estas teriam nestes contextos Romanos/Tardo-romanos aparentemente afastados das grandes urbes.

A interpretação deste sítio justificou-se, não só pela forma como estavam dispersos os materiais, mas pela envolvência do local e pelas suas características geomorfológicas. Fruto de escorrências fluviais, este microcosmo é indiciador de toda uma dinâmica de produção auto-suficiente de uma comunidade rural.

As correlações deste sítio com o Forno do Pereiro e com a villa romana do Monte da Chaminé são interpretativas. Seria interessante conseguir provar a estreita ligação dos três locais referidos.

Os resultados obtidos, as medidas de desmonte levadas a cabo durante o processo de escavação e o facto de a vala ter sido já aberta na sua totalidade levaram-nos a preconizar apenas a cobertura total das sondagens aquando da completa instalação dos tubos.