Romano

Almoinhas

A intervenção da Era Arqueologia S.A. enquadra-se numa perspetiva de prevenção e minimização de impactes sobre contextos arqueológicos afetos à obra da LIDL & Companhia, em Loures, correspondente ao sítio Romano da Villa das Almoinhas.

Casa do Governador, Belém, Lisboa

A unidade romana de produção de preparados de peixe da Casa do Governador da Torre de Belém é um complexo edificado em uma única fase de construção, de planta regular, com uma área total de 1525,08 m².

Marinha Baixa

No decurso do acompanhamento das obras, a cargo da SIMRIA S.A., de implantação do Sistema Multimunicipal de Saneamento da Ria de Aveiro e por deliberação do, já extinto, Instituto Português de Arqueologia, a Marinha Baixa foi objeto da realização de cinco sondagens arqueológicas efetuadas em duas fases nos anos de 1999 e 2000.

Barragem dos Minutos

Projecto de coordenação geral dos trabalhos arqueológicos que decorreu no âmbito de prevenção e minimização de impactes sobre o património arqueológico. Resultaram, deste âmbito, inúmeras intervenções a diversos níveis nos sítios localizados na área afectada pela obra.

Praça Dom Luís I

O empreendimento do Parque de Estacionamento da Praça Dom Luís revelou duas excecionais realidades – a espectacular grade de maré do Estaleiro Naval e o inigualável fundeadouro romano.

Milreu

Trabalho que visou a execução de sondagens preventivas de implantação do Centro Interpretativo da estação arqueológica de Milreu, procurar conhecer e compreender o estabelecimento da relação das realidades arqueológicas postas a descoberto com os vestígios já conhecidos.

Museu de Évora

Os trabalhos realizados no âmbito do projeto de remodelação e valorização do edifício do Museu de Évora, antigo Paço Arquiepiscopal desta cidade, da responsabilidade da FDO, Construções, S.A.

Bloco 5 do regolfo do Alqueva: Pré-História recente da margem esquerda do Guadiana

No âmbito do Plano de Minimização de Impactes sobre o Património Arqueológico na área do regolfo de Alqueva, foi criado um bloco (Bloco 5) destinado à investigação da Pré-História recente da margem esquerda do Guadiana

Cerros Verdes 3 - Bloco 5

Importante sítio da Pré-história recente da margem esquerda do Guadiana, intervencionado pela ERA no âmbito do Bloco 5 do Alqueva.

Monte das Candeias 3 - Bloco 9

Integrado no Bloco 9 do Alqueva, destinado à investigação da Ocupação Proto-Histórica na Margem Esquerda do Guadiana, este sítio preserva sobretudo vestígios da Idade do Ferro.

Monte do Judeu 6 - Bloco 9

A escavação arqueológica realizada no Monte do Judeu permitiu identificar um pequeno sítio formado por, pelo menos, três edifícios. No entanto, a leitura da cultura material parte de uma amostragem truncada por a maioria das cerâmicas serem provenientes das camadas revolvidas de superfície.

Castelo das Juntas - Bloco 9

Os trabalhos arqueológicos realizados no Castelo das Juntas confirmaram a existência de um povoado fortificado de médias dimensões, ocupado durante o último terço do primeiro milénio AC.

Monte da Pata - Bloco 9

Sítio de interpretação funcional difícil de estabelecer. Contudo, as características evidenciadas pelas estruturas identificadas, a sua implantação topográfica sítios e os respectivos conjuntos artefactuais recolhidos apontam para uma unidade de exploração rural, de cariz familiar.

Estrela 1 - Bloco 9

O sítio da Estrela 1 foi pequeno estabelecimento rural da Idade do Ferro. Integrado numa rede de povoamento, da qual fazem parte os sítios do Monte da Pata, Cerros Verdes 4, Monte das Candeias 3 e Castelo das Juntas.

Xancra II

Minimização de impactes sobre o património cultural decorrentes das obras de implementação do Aproveitamento Hidroagrícola de Alvito - Pisão, promovidas pela EDIA, S.A.

Bloco 10 do regolfo do Alqueva: Ocupações romanas da margem direita do Guadiana

No âmbito do Plano de Minimização de Impactes sobre o Património Arqueológico na área do regolfo de Alqueva, foi criado um bloco (Bloco 10) destinado à investigação das ueva: Ocupações romanas da margem direita do Guadiana.

Santa Vitória do Ameixial

Projecto de valorização que contemplou a escavação e foram complentados pelo levantamento, inventariação e levantamento gráfico dos fragmentos de pintura mural postos a descoberto.

Villa Romana de Pisões

Villa de que, segundo J. Alarcão, só tem escavada, parcialmente, a pars urbana. Esta compreende mais de 40 divisões, centradas num pequeno peristilo de quatro colunas. Diversas destas áreas apresentam pavimento de mosaicos. Aparentemente a fachada, que seria porticada, está virada a sul, abrindo para um tanque de 40x8,30 m. O corredor dá acesso ao peristilo, para o qual se abrem as salas, aquela com ábside e um pequeno lago central. As termas ficam a Noroeste e compreendem uma piscina ao ar livre com 6x4,60 m.

Casa dos Bicos

Trabalhos de Conservação e Restauro levados a cabo sobre as estruturas arqueológicas. A consolidação e manutenção é também um factor decisivo para uma boa musealização.

Villa Romana da Abicada

A equipa da ERA realizou trabalhos de conservação e restauro num conjunto de pavimentos em mosaico da Villa Romana da Abicada depositados no Museu de Portimão.

Rua do Poço, Chaves

Foram efetuadas sondagens de diagnóstico arqueológico no âmbito da remodelação de um edifício na Rua do Poço.

Rua do Poço, n.º 62 e 64, Chaves

Os trabalhos programados tiveram como objectivo a minimização prévia de impactes negativos no âmbito da obra de remodelação do edifício sito na Rua do Poço, nº 62 e 64, em Chaves.

Escadinhas de São Crispim, 3-3A, Lisboa

A escavação arqueológica realizada neste edifício permitiu identificar uma sequência cronológica que indica uma ocupação deste espaço desde época romana até época contemporânea.

Campo de Golfe de Palmares (Lagos)

Os trabalhos arqueológicos de minimização de impacte sobre o património arqueológico realizados entre Julho de 2009 e Setembro de 2010 no âmbito do empreendimento do Campo de Golfe de Palmares (Lagos). Destacam-se os dados relativos aos sítios arqueológicos de Palmares 3, Sete Figueiras 4 e Monte Augusto 1.

Requalificação da zona envolvente da Sé de Idanha-a-Velha (Castelo Branco)

Esta intervenção surgiu no âmbito da requalificação da zona envolvente à Sé de Idanha-a-Velha. Os trabalhos realizados nas várias frentes de obra permitiram identificar várias estruturas arqueológicas de diferentes graus de interesse arqueológico.

Necrópole Romana das Portas de Santo Antão (84-90), Lisboa

Durante o acompanhamento da obra de reabilitação deste edifício, verificou-se a presença de aterros de cronologia moderna/contemporânea e, em níveis inferiores, um espaço de necrópole de período Romano, enquadrável entre os séculos III e IV d.C.

Ponte Romana da Catribana, Sintra

Os trabalhos arqueológicos realizados na Ponte da Catribana, Sintra no âmbito do Projecto de Recuperação da Ponte e Calçada romanas da Catribana – Freguesia de São João das Lampas, Sintra

Nova Sede Corporativa da EDP, Avenida 24 de Julho, Lisboa

Estes trabalhos de acompanhamento arqueológico foram efectuados no âmbito do projecto de construção da Nova Sede Corporativa do Grupo EDP.

Cortijo Berlanga-Valbuena, Cártama, Málaga

Os contextos mais significativos detetados permitiram-nos concluir estarmos perante a pars rústica de uma villa romana de dimensões consideráveis.

Sítio Figueiras 2 e 3 – Lagos

A ERA está a realizar na Meia Praia, em Lagos, um projecto de actuação arqueológica relacionada com um processo de urbanização.

Núcleo Arqueolológico da R. dos Correiros, em Lisboa

Importante projecto de conservação e restauro do mosaico romano

Villa Romana Freiria, Cascais

Realização trabalhos de limpeza e manutenção

R. General Sousa Machado (Chaves)

Trabalhos arqueológicos

Rua de São Julião, 45-57, Lisboa

Os trabalhos arqueológicos efectuados no edifício da Rua de São Julião, 45-57, confirmaram a existência de vestígios pombalinos e pré-pombalinos.

Ermida de São Pedro, Campo Maior

A intervenção da ERA Arqueologia visou o diagnóstico do potencial arqueológico da Ermida de São Pedro, no âmbito do projecto de valorização e salvaguarda do imóvel desenvolvido pela autarquia.

Museu de Évora

A intervenção da ERA Arqueologia teve como objectivo a detecção de eventuais vestígios arqueológicos que poderiam ser afectados pelo desenvolvimento das obras programadas para o interior do Museu, bem como a sua caracterização em termos de valor científico e patrimonial.

Biblioteca Municipal de Mértola

No âmbito do projecto de reabilitação e ampliação da Biblioteca Municipal de Mértola, a intervenção da ERA visou a minimização de impactes sobre o património arqueológico.

Projecto Hidroagrícola da Cova da Beira, Castelo Branco

No âmbito de um estudo de impacto ambiental, relativo ao Projecto Hidroagrícola da Cova da Beira, a ERA Arqueologia procedeu ao levantamento do Património Arqueológico e Histórico Construído inserido na sua área.

Barragem dos Minutos (Montemor-o-Novo)

Os trabalhos arqueológicos realizados no âmbito de um estudo de impacto patrimonial enquadram-se numa perspectiva de minimização de impactos na zona a afectar pelo empreendimento da Barragem dos Minutos.

Villa Romana de S. Cucufate, Vidigueira

A ERA realizou para o IPPAR trabalhos de limpeza, conservação e restauro na Villa Romana de S. Cucufate, com a finalidade de tornar visível e visitável este sítio arqueológico.

Levantamento Arqueológico das Bacias Hidrográficas dos Rios Sado e Mira

O levantamento do Património Arqueológico da Bacia Hidrogáfica do Rio Sado e do Litoral Sado baseou-se em recolhas bibliográficas.

A2 – Sublanço Grândola/Aljustrel

Estes trabalhos realizaram-se numa perspectiva de minimização de impactes sobre o património arqueológico eventualmente a afectar pela construção da A2 – Sublanço Grândola/Aljustrel.

Ermida do Mártir Santo e Casa da Ermitoa (2ª Campanha), Vila Franca de Xira

O prolongamento das escavações arqueológicas de emergência levadas a cabo na Ermida do Mártir Santo e Casa da Ermitoa realizou-se entre 6 de Setembro e 7 de Outubro de 1998.

Ermida do Mártir Santo e Casa da Ermitoa (3ª Campanha), Vila Franca de Xira

Dada a necessidade de compreender de que modo novos dados se articulavam com estruturas postas a descoberto, a ERA levou a cabo uma 3ª campanha de escavações na Ermida do Mártir Santo e Casa da Ermitoa.

Ruínas de Torre de Palma, Monforte

Os trabalhos realizados pela ERA neste sítio visavam diagnosticar o potencial arqueológico da área abrangida pela construção do Centro de Acolhimento e Parque de Estacionamento, de modo a emitir-se um parecer à construção do mesmo.

Bloco 10, Lameira 1, Alandroal

Perante a insuficiência de dados obtidos com trabalhos efectuados em 1998, e a perspectiva de se poder identificar elementos concretos quanto à ocupação deste sítio, considerou-se pertinente a realização de nova campanha em 1999.

Ponte Europa, Rio Mondego (Coimbra)

A ERA Arqueologia realizou um diagnóstico arqueológico na área de construção do projecto da Ponte Europa, na margem esquerda do rio Mondego (Coimbra).

Marinha Baixa, Cacia (Aveiro)

As sondagens arqueológicas realizadas na Marinha Baixa decorreram de evidências de carácter arqueológico detectadas no decurso do acompanhamento de obras de implementação do Sistema Multimunicipal de Saneamento da Ria de Aveiro.

Villa Romana de Santa Vitória do Ameixial

O objectivo dos trabalhos realizados na Villa Romana de Santa Vitória do Ameixial foi a criação de um plano de actuação para salvaguarda das suas estruturas, com vista à apresentação ao público.

Prédio da Zara, Rua Augusta, Lisboa

A escavação arqueológica realizada na Baixa de Lisboa surgiu na sequência da identificação de estruturas e estratos arqueológicos conservados no decorrer do acompanhamento arqueológico das obras das futuras instalações da Zara.

EN 235, variante Oliveira do Bairro/Sangalhos

A ERA-Arqueologia foi contratada para realizar um Estudo de Impacte Patrimonial (Património Arqueológico e Construído) no âmbito do Estudo de Impacte Ambiental do troço da EN 235, variante Oliveira do Bairro/Sangalhos.

Azinheira 1, Barragem dos Minutos

A ERA-Arqueologia realizou sondagens com o objectivo de confirmar a existência de uma ocupação humana neste sítio, que seria afectado pela construção do muro da Barragem dos Minutos.

A13 - Sublanço Pegões - Marateca

Estes trabalhos visaram a verificação do eventual prolongamento dos vestígios arqueológicos identificados a cerca de 200m a Oeste do eixo da via, na sequência do Estudo de Impacte Ambiental que abarcou a obra.

Centro de Conferências Vasco Vilalva, Évora

As sondagens arqueológicas realizadas pela ERA no Centro de Conferências Vasco Vilalva, em Évora, tiveram lugar entre 5 de Março e 5 de Abril de 2001 e decorreram no âmbito da arqueologia preventiva.

Sub-sistema do Ardila, concelhos de Moura e Serpa

Foi no âmbito de um estudo das Alternativas para a Adução às Manchas de rega situadas no sub-sistema do Ardila que a ERA-Arqueologia realizou o levantamento do Património Arqueológico e Histórico-Cultural para integrar o EPIA.

Fonte da Senhora 7

A escavação realizada no sítio da Fonte da Senhora 7 permitiu identificar e caracterizar contextos funerários enquadrados numa necrópole de inumação de época romana tardia.

Acompanhamento Arqueológico em São Pedro, Campo Maior

A ERA Arqueologia efectuou o acompanhamento arqueológico de sondagens mecânicas realizadas num terreno da Câmara Municipal de Campo Maior, como medida de minimização do impacte arqueológico da construção de um bairro social.

El Pico, Extremadura, Espanha

Os trabalhos arqueológicos efectuados no El Pico, local situado no termo municipal de Cheles, Extremadura (Espanha), enquadraram-se no âmbito das actuações de minimização dos impactes provocados pela Barragem do Alqueva.

Largo dos Lóios, Freguesia de Santiago, Lisboa

Esta intervenção teve como objectivo o diagnóstico do grau de impacto da obra de reestruturação arquitectónica neste edifício sobre as realidades arqueológicas que pudessem vir a ser postas a descoberto.

Barragem dos Minutos - 6

A área intervencionada nesta campanha, sondagens 2 e 4, surgiu na sequência dos resultados então obtidos nas cinco sondagens efectuadas e de acordo com as medidas de minimização propostas pela ERA e aprovadas pelo IPA.

Barragem dos Minutos - 11

Esta escavação teve como objectivos principais a clarificação de aspectos relativos à ocupação humana neste espaço, nomeadamente através da compreensão dos vestígios arqueológicos e a avaliação e caracterização do seu valor científico e patrimonial.

Sistema Multimunicipal de Saneamento da Ria de Aveiro (SIMRIA)

Os trabalhos arqueológicos desenvolvidos no âmbito do projecto do Sistema Multimunicipal de Saneamento da Ria de Aveiro (SIMRIA) iniciaram-se a 11 de Janeiro de 1999 e terminaram a 24 de Fevereiro de 2004.

Amoreirinha 13 - Barragem dos Minutos

A intervenção arqueológica no sítio Amoreirinha 13 enquadrou-se no Plano de Minimização de Impacto sobre o Património Arqueológico na área do regolfo da Barragem dos Minutos.

El Pico, Extremadura, Espanha - 2ª Campanha

A ERA levou a cabo, em 2002, uma segunda campanha de trabalhos arqueológicos em El Pico, Cheles, Extremadura (Espanha), no âmbito da minimização dos impactes provocados pela Barragem do Alqueva.

Villa Romana das Argamassas

Estes trabalhos surgiram em resposta a uma solicitação para realizar um diagnóstico do estado de conservação e potencial científico e patrimonial que informasse do interesse num plano geral de valorização deste sítio arqueológico, de forma a transformá-lo num recurso patrimonial disponível para a comunidade.

Perímetro de Rega dos Minutos

Estes trabalhos visaram a minimização de eventuais impactes da construção do Perímetro de Rega dos Minutos, tendo como objectivos específicos evitar a destruição de vestígios arqueológicos e proceder ao seu registo, descrição e avaliação.

Baixas de Óbidos

Foram realizadas prospecções arqueológicas com vista a identificar elementos de interesse arqueológico, histórico, etnográfico e patrimonial, bem como a elaboração de um parecer técnico em que seriam apontados eventuais impactos e indicadas medidas minimizadoras.

Mosaico de Boca do Rio, Vila do Bispo

A ERA-Arqueologia efectuou o diagnóstico do estado de conservação do pavimento de mosaico deste sítio arqueológico, avançando também com proposta de intervenção de recuperação sobre o mesmo.

Projecto POTOR, Povoado da Torre, Cacia

Este projecto de investigação visou avaliar o potencial arqueológico do Povoado da Torre – no contexto da rede de povoamento da região do Baixo Vouga e no âmbito da ocupação romana do território português – dando sequência a uma série de trabalhos realizados pela ERA, em Cacia, desde Janeiro de 1999.

El Pico, Extremadura, Espanha - 3ª Campanha

A terceira campanha efectuada em El Pico, Cheles, Comunidade Autónoma da Extremadura (Espanha), no âmbito das actuações de minimização dos impactes provocados pela Barragem do Alqueva, foi levada a cabo entre 19 de Maio e 19 de Junho de 2003.

Rua das Janelas Verdes, edifício nº 3 a nº 7

A ERA-Arqueologia levou a cabo o levantamento histórico, de carácter bibliográfico, sobre a área abrangida por um novo empreendimento imobiliário, e um plano de prevenção para impactes patrimoniais negativos.

Parque Eólico da Serra da Alvoaça - EIA - Levantamento Blibliográfico

Este trabalho surgiu no âmbito do Estudo de Impacte Ambiental para a área a afectar pelo Parque Eólico da Serra da Alvoaça, nomeadamente o corredor de ligação à REN.

Outeiro do Castelinho, Alandroal

A intervenção arqueológica realizada no sítio do Outeiro do Castelinho enquadrou-se numa perspectiva preventiva de emergência face aos trabalhos de remoção de terras decorrente da abertura de uma vala e poço de rega no âmbito do emparcelamento rural do Alqueva.

Ponte dos Ingleses - Barragem de Óbidos

As acções realizadas no sítio Ponte dos Ingleses resultaram da elaboração de um conjunto de medidas de minimização, predefinidas no âmbito da apresentação do Relatório de Prospecções Arqueológicas na Barragem de Óbidos, aprovado pelo Instituto Português de Arqueologia.

Rua da Saudade, n.º 2, Lisboa

O objectivo dos trabalhos foi diagnosticar a importância arqueológica do sítio e preconizar medidas de minimização de impactes no âmbito do empreendimento que se pretendia ali realizar.

Faião, Sintra (Sondagens de diagnóstico)

Levou-se a cabo o diagnóstico prévio do potencial arqueológico de um terreno localizado em Faião (Terrugem/Sintra), face a uma futura intervenção no local decorrente de um projecto de cariz imobiliário.

Cerca de Santa Mónica, Évora

Estes trabalhos arqueológicos inseriram-se no âmbito da minimização de impacte da construção de moradias, tendo como principal objectivo a caracterização funcional e cronológica do espaço.

Cine-Teatro Farense (Acompanhamento)

Esta intervenção consistiu no acompanhamento arqueológico durante a remoção mecânica de subsolo no âmbito do projecto de remodelação do Cine-Teatro.

Rua do Menino Jesus e Largo Luís de Camões, Évora

A ERA-Arqueologia concretizou o acompanhamento arqueológico no âmbito da construção de infraestruturas para o operador NOVIS no interior das muralhas de Évora.

Largo 25 de Abril e ruas adjacentes, Faro

A intervenção consistiu na caracterização e avaliação do valor científico e patrimonial do sítio, na análise da estratigrafia do subsolo e na observação de eventuais estruturas pré-existentes, com vista ao estabelecimento de sequências e tipologias de ocupação do local.

Linha de Muito Alta Tensão Penamacor-Ferro

Este acompanhamento arqueológico enquadrou-se na perspectiva de minimização de impactes patrimoniais decorrentes da empreitada de desmatação e movimentação de terras para a implantação da Linha de Muito Alta Tensão Penamacor-Ferro a 220 kW.

Área de Protecção da Villa das Almoínhas, Loures

Estes trabalhos arqueológicos enquadraram-se no diagnóstico prévio do potencial arqueológico de um terreno localizado em Loures, anexo à área intervencionada arqueologicamente na Villa das Almoínhas, face a uma obra programada para o local.

Rede Ferroviária de Alta Velocidade, Troço Montemor-o-Novo/Évora

Estas acções incluíram uma fase prévia de pesquisa bibliográfica e documental, uma segunda fase de prospecções arqueológicas e, finalmente, a elaboração de um parecer técnico com o inventário e avaliação patrimonial, avaliação de impactes e proposta de medidas de minimização.

Estação Arqueológica de Vila Fria, Silves

As sondagens arqueológicas de diagnóstico tiveram os seguintes desígnios: avaliação do grau de impacte sofrido; definição dos limites do sítio arqueológico; avaliação do potencial arqueológico de Vila Fria; e avaliação do potencial do sítio quanto a uma possível valorização e musealização.

Sítio da Forca, Maia

Os objectivos específicos da intervenção visaram a elaboração de um diagnóstico para avaliar o potencial arqueológico do sítio, assim como a minimização do risco da afectação negativa dos mesmos pelas obras previstas para este espaço.

Barragem Romana de Santa Rita, Vila Real de Santo António

O objectivo destes trabalhos foi caracterizar o estado de preservação da barragem e avaliar o valor patrimonial do imóvel.

Parque Eólico de Mafomedes, Baião

A ERA-Arqueologia realizou a inventariação do património arqueológico e arquitectónico no âmbito da avaliação ambiental (RECAPE) do projecto para este parque eólico.

Barragem de Álamos III, Portel - Espinheira 3

Estes trabalhos decorreram da necessidade de proceder ao aprofundamento da caracterização cronológica e funcional do sítio de Espinheira 3, parcialmente escavado em Fevereiro de 2006.

Ecomuseu do Seixal, escultura Mercúrio

A intervenção de conservação e da primeira parte da investigação de caracterização estrutural e de superfície da escultura Mercúrio foi realizada pela ERA-Arqueologia em 2006.

Avenida Infante Santo, nº 58, Lisboa

Este trabalho teve como suporte o acompanhamento arqueológico a tempo inteiro de todas as movimentações e remoções de terras nesta área, bem como de demolição de componente importante do maciço calcário.

Albufeira de Venda Velha, Palmela

No âmbito da realização do Plano de Pormenor da Albufeira da Venda Velha foram realizados trabalhos de levantamento e avaliação do património histórico, arqueológico e etnográfico existente nessa propriedade.

Rua da Praia do Bom Sucesso, nº 32-34, Lisboa

Estes trabalhos de acompanhamento arqueológico foram efectuados aquando da abertura das fundações para a construção de uma moradia.

Área de Protecção da Villa das Almoínhas, Loures (2ª campanha)

A intervenção surgiu no âmbito dos trabalhos arqueológicos de minimização executados em Loures, numa área sujeita a loteamento e construção. Este local encontra-se nas proximidades de uma outra área intervencionada arqueologicamente, e onde, com as labutas aí efectuadas, foi identificada a Villa das Almoínhas.

Conjunto de 25 moedas antigas, Vila Real de Santo António

Visou-se melhorar pontualmente, e na medida do possível, a legibilidade da superfície, a estabilização dos processos de corrosão e a aplicação de camadas de protecção, prevenindo a deterioração progressiva.

Ecopontos, Centro Histórico de Tavira

A realização de sondagens no Centro Histórico de Tavira teve como objectivo principal o diagnóstico do potencial arqueológico dos locais onde se previa a implantação de Ecopontos subterrâneos, nos casos em que estes se situavam em zonas especialmente sensíveis a nível patrimonial.

Linha de Alta tensão de Alto de Mira, Agualva - Cacém

A ERA-Arqueologia concretizou o acompanhamento arqueológico de emergência da obra da EDP como medida de minimização de impactes sobre vestígios arqueológicos eventualmente postos a descoberto.

IC13 – Alter do Chão/Portalegre, Herdade do Matinho

Esta intervenção surgiu na sequência do acompanhamento arqueológico da obra, no decurso do qual se identificara uma concentração de pedra associada a fragmentos de telha incaracterística.

Interceptor da margem esquerda da cidade de Tomar - Saneamento Básico

Os trabalhos de acompanhamento arqueológico realizados no âmbito da abertura de valas para a renovação da rede de saneamento básico – Interceptor da margem esquerda da cidade de Tomar, decorreram entre os dias 22 de Setembro de 2006 e 31 de Janeiro de 2007.

Aldeia de Algodres, Fornos de Algodres

Esta intervenção arqueológica enquadrou-se numa perspectiva de minimização de impactes face à empreitada de melhoramentos realizada no centro histórico desta aldeia e visou a conclusão da escavação arqueológica nas áreas anteriormente intervencionadas, bem como a intervenção de novas áreas a afectar pela obra em curso.

Rua do Infante D. Henrique, nº 87 a 93, Porto

Levou-se a cabo o acompanhamento arqueológico na obra de reabilitação do prédio nº 87 a 93 na Rua do Infante D. Henrique, no Porto. Este edifício localiza-se na “Ribeira do Porto”, zona classificada como Património Mundial pela UNESCO.

IC33 – Grândola/Évora (EIA)

A ERA-Arqueologia realizou trabalhos arqueológicos no âmbito do Estudo de Impacte Ambiental do traçado do IC33 – Grândola/Évora. A área de estudo corresponde a uma faixa de 400 metros ao longo das várias alternativas do traçado e nela foram inventariadas 28 ocorrências patrimoniais.

ETAR da Guia, Cascais

A intervenção teve como objectivo principal a detecção de eventuais vestígios arqueológicos que pudessem ser afectados na área para a construção dos edifícios e respectivas valas, bem como garantir a protecção e salvaguarda dos mesmos e efectuar a sua caracterização em termos de valor científico e patrimonial.

IC17 – CRIL, lanço Buraca / Pontinha

Esta intervenção respeitou às especificações de salvaguarda do património cultural, directa ou indirectamente afectado no decurso das actividades de construção da CRIL, sublanço Buraca/Pontinha.

Herdade da Abrunheira, concelho de Portalegre

A ERA-Arqueologia levou a cabo trabalhos de prospecção e inventariação do património arqueológico e arquitectónico existente na Herdade da Abrunheira, localizada na freguesia de Urra, Concelho de Portalegre

Área de Protecção da Villa das Almoínhas, Loures (3ª intervenção)

Estes trabalhos arqueológicos enquadraram-se numa perspectiva de prevenção e minimização de impactes sobre eventuais contextos arqueológicos detectados em área a ser afectada pela construção de uma escadaria afecta à obra da LIDL & Companhia.

Aproveitamento Hidroagrícola de Alvito-Pisão, sítio da Chucha

A intervenção arqueológica efectuada no sítio da Chucha, na Vidigueira, enquadrou-se numa perspectiva de minimização de impactes sobre o património cultural decorrentes das obras de implementação do Aproveitamento Hidroagrícola de Alvito-Pisão.

Núcleo Arqueológico da Rua dos Correeiros, nº 9, Lisboa

As acções de conservação e restauro durante as intervenções de remoção de resíduos e limpeza de cetárias e poço pombalino do Núcleo Arqueológico da Rua dos Correeiros foram adjudicadas à ERA-Arqueologia pela Fundação BCP

Largo do Priorado, nº 90, freguesia de Cedofeita, Porto

A intervenção enquadrou-se numa perspectiva de minimização de impacte resultante das obras de remodelação do imóvel referido, localizado em área classificada do centro histórico do Porto – “Área Classificada da Igreja Românica de Cedofeita”.

Aproveitamento Hidroagrícola de Alvito-Pisão, Quinta de S. Pedro

Estes trabalhos visaram diagnosticar o potencial científico e patrimonial do sítio, caracterizar as estruturas arqueológicas existentes e minimizar o risco da afectação negativa do sítio pelas obras previstas para este espaço.

Rua Carlos Campeão, Tomar

As sondagens de diagnóstico possibilitaram a identificação de contextos arqueológicos com uma longa diacronia de ocupação, tendo-se registado vestígios da Idade do Ferro, do período romano e do período medieval.

Largo das Mouras Velhas, Faro

A 2ª fase da intervenção realizada no Largo das Mouras Velhas enquadrou-se numa perspectiva de avaliação e melhor caracterização do sítio arqueológico sito na área do futuro Parque de Estacionamento e na sequência de uma primeira fase de sondagens realizadas em 2004.

Requalificação das Ruas 25 de Abril e Silva Lopes, Lagos (1ª intervenção)

Numa perspectiva de diagnóstico arqueológico da área a afectar pelas obras de requalificação urbana da Rua 25 de Abril e Rua Silva Lopes, estas acções arqueológicas consistiram na realização de 24 sondagens.

Requalificação das Ruas 25 de Abril e Silva Lopes, Lagos (2ª intervenção)

Os trabalhos realizados no âmbito do Projecto URBCOM – Requalificação Urbana da Ruas 25 de Abril e Silva Lopes enquadraram-se numa perspectiva de minimização de impactes da área a afectar pela obra, tendo já presente a informação resultante das sondagens de diagnóstico previamente realizadas.

Sítio do Monte do Outeiro, Cuba (3ª intervenção)

Estes trabalhos corresponderam à escavação das cinco sepulturas identificadas após a decapagem mecânica realizada no alargamento da sondagem 7 para SE.

Sítio de Xancra II, Cuba (2ª fase de trabalhos arqueológicos)

Esta intervenção correspondeu a uma segunda fase de trabalhos arqueológicos efectuados no sítio Xancra II, Cuba, numa perspectiva de minimização de impactes sobre o património cultural resultantes das obras de implementação do Aproveitamento Hidroagrícola de Alvito - Pisão.

Largo do Chafariz de Dentro ao Terreiro do Trigo, Lisboa (diagnóstico)

O objectivo deste trabalho foi a realização de um diagnóstico prévio que permitisse fundamentar, planear e orçamentar todas as intervenções arqueológicas subsequentes, quer de escavação, quer de acompanhamento de obras, assim como fornecer dados fundamentais para o planeamento da empreitada geral.

Herdade do Roncão (Descritor Património), Parque Alqueva

As prospecções arqueológicas desenvolvidas no âmbito do Descritor Património do processo de Avaliação de Impacte Ambiental do Parque Alqueva decorreram em Novembro de 2008

Bloco de Rega de Orada – Amoreira, sítio Corça 1

Pelo facto deste sítio arqueológico ser atravessado a meia encosta pela vala da conduta, o plano de minimização de impactes previu a realização de sondagens manuais num mínimo de 16 m2.

Central Hidroeléctrica de Serpa, sítio Alpendres 3

A Central Hidroeléctrica de Serpa seria construída na base de um pequeno cerro onde se encontra uma possível villa romana. Por este motivo, o plano de minimização de impactes previu a realização de sondagens manuais.

Conduta Elevatória de Pedrogão, sítio Malhada de Orada 2

O cabeço onde se encontraram os vestígios arqueológicos iria ser atravessado a meia encosta pela Conduta Elevatória de Pedrogão, motivo pelo qual o plano de minimização de impactes previu a realização de sondagens mecânicas num total de 40 m².

Aproveitamento Hidroagrícola de Alvito-Pisão, sítio Monte das Covas 3

Estes trabalhos enquadraram-se numa perspectiva de minimização de impactes sobre o património cultural decorrentes da execução da empreitada de beneficiação da rede viária e rede de drenagem.

Rua Terreiro do Parguinho, 2-4, Tavira

As escavações arqueológicas efectuadas no âmbito da empreitada de remodelação dos números 2 a 4 da Rua Terreiro do Parguinho enquadraram-se numa perspectiva de minimização de impactes sobre o património.

Colecção de numismática, Universidade Nova de Lisboa, Monte da Caparica

Os trabalhos de conservação do conjunto de 250 moedas da colecção de numismática do Museu de Évora foram efectuados no laboratório de conservação e restauro de metais, 047, da Universidade Nova de Lisboa, sito no Monte da Caparica.

Loja IKEA de Loures

A ERA realizou trabalhos de acompanhamento arqueológico para a Empresa Soares da Costa S.A. no âmbito da construção da Loja IKEA de Loures.

Bloco de Rega de Orada – Amoreira, sítio Corça 1 (Fase 3)

A escavação manual efectuada no sítio Corça 1 surge como medida de minimização preconizada face aos resultados obtidos na decapagem mecânica, numa fase anterior, onde se identificaram algumas possíveis interfaces negativas.

Bloco de Rega de Orada – Amoreira, sítio Quinta João Privado (Fase 3)

A identificação de uma sepultura levou à realização de uma decapagem mecânica que veio a revelar novos contextos arqueológicos, verificando-se a necessidade de proceder à escavação arqueológica dos mesmos.

Abastecimento de Água e Saneamento de Águas Residuais, Chaves

Os trabalhos arqueológicos realizados no âmbito da obra de instalação da ETAR de Chaves decorreram como medida de minimização do impacte sobre o património existente no local.

Loja IKEA de Loures (2ª intervenção)

As sondagens de diagnóstico arqueológico enquadraram-se na sequência da identificação de vestígios de interesse patrimonial durante o acompanhamento arqueológico.

Calçada da Graça, nº 8, Lisboa

A intervenção arqueológica enquadrou-se no âmbito de um projecto de remodelação do edifício, visando a minimização de impactes sobre eventuais vestígios patrimoniais.

Avenida da Índia, nº 186, Lisboa

A ERA acompanhou a escavação e movimentação de terras no âmbito da empreitada de desmantelamento do edifício da Casa do Arco da Torre e reconstrução, na mesma área, de um novo prédio.

Sítio de Monte Augusto 1, Palmares, Lagos

Na sequência de trabalhos de prospecção geofísica, os quais acusaram positivamente a existência de estruturas no sítio, foi decidido proceder-se à execução de sondagens arqueológicas de diagnóstico.

Rua do Poço nº 62-64, Chaves

Os trabalhos arqueológicos enquadraram-se no âmbito de um projecto de remodelação, visando a minimização de impactes sobre eventuais vestígios patrimoniais, uma vez que o edifício se encontra localizado na ZEP da muralha medieval desta cidade.

Rua de Santiago, 7-9, Lisboa

Foram abertas três sondagens de diagnóstico no sentido de aferir da existência de eventuais condicionantes arqueológicas à alteração do projecto de reabilitação do edifício.

Rua da Oliveira, Lagos

A ERA levou a cabo trabalhos de acompanhamento arqueológico no âmbito da abertura de valas para a colocação de cabos da CaboVisão.

Sítio de Currais do Chão, Mem Martins, concelho de Sintra

As sondagens de diagnóstico prévio do potencial arqueológico de terrenos inseridos na área definida para o sítio de Currais do Chão visaram a caracterização do lugar e a preconização de medidas de minimização.

A8, Lanço CRIL/LOURES, Bairro das Queimadas

procedeu-se à escavação de duas sondagens arqueológicas manuais que procuraram caracterizar o sítio identificado e diagnosticar o potencial arqueológico da área contígua.

Sítio de Quinta dos Poços 4 e 5, freguesia de Parchal, Lagoa

A avaliação e caracterização deste sítio arqueológico tornou possível adequar as obras previstas para aquela área aos vestígios aí identificados, pois o projecto encontrava-se ainda em fase de elaboração.

Herdade das Areias e Cebolinhos, Monte Roncão 16, Reguengos de Monsaraz

No âmbito do Processo de Avaliação de Impacte Ambiental (AIA) do Projecto da Barragem da Sardinha – Herdade das Areias e Cebolinhos, Reguengos de Monsaraz, foram realizados trabalhos arqueológicos com carácter de diagnóstico no sítio do Monte Roncão 16.

Alargamento da A8 – Lanço CRIL – Loures, sítio da Flamenga

No âmbito do acompanhamento arqueológico desta empreitada realizou-se uma sondagem de caracterização no Km3 +575, num local designado por sítio da Flamenga.

Travessa das Casas Pintadas, centro histórico de Évora

Os objectivos desta intervenção prendiam-se com a detecção de eventuais vestígios de interesse patrimonial que pudessem vir a ser afectados do decorrer dos trabalhos de escavação da empreitada de colocação de rede de fibra óptica.

Antigo Paço Episcopal/Caritas Diocesana, Beja

Após o acompanhamento das várias intervenções levadas a cabo neste edifício (picagens de paredes, abertura de valas), foi possível atingir um extenso conhecimento sobre o mesmo.

Ruínas Lusitano-Romanas da Boca do Rio, Budens, Vila do Bispo

O objectivo foi o levantamento em placas do pavimento de mosaico e transporte do mesmo para instalações da Câmara Municipal de Vila do Bispo.

Parque de Estacionamento Subterrâneo da Praça de D. Luís, Lisboa

Em 2011, realizou-se um diagnóstico arqueológico no âmbito da construção do Parque. Posteriormente, foi exposto, registado, ortofotografado e desmontado um conjunto estrutural diacrónico, destacando-se quatro estruturas portuárias. Mais tarde, em 2013, foi identificado um contexto arqueológico que faz recuar até à época Romana os vestígios de utilização/ocupação desta área.

Calçada Marquês de Abrantes, nº 104-108, Lisboa

A ERA levou a cabo, em 2010, trabalhos de pesquisa histórica sobre o edifício sito no nº 104-108 da Calçada Marquês de Abrantes, localizado na freguesia de Santos-o-Velho.

Lanço B, Nó de Grândola Sul (IP1)/Figueira de Cavaleiros, sítio de Altavasca 1

Foram realizados trabalhos de prospeção geofísica no sítio Altavasca 1 que confirmaram a existência de uma ocupação de época romana já muito afetada. Posteriormente, procedeu-se à escavação manual e mecânica do local, tendo-se identificado contextos arqueológicos preservados.

Lanço B – Área do Viaduto sobre o Sado, sítio de Santa Margarida do Sado 3

Após a identificação deste sítio arqueológico num terraço fluvial em Santa Margarida do Sado (Ferreira do Alentejo), durante a fase de acompanhamento de obra, programou-se a realização de sondagens de diagnóstico arqueológico.

Lote 2 do IC3 – Avelar Norte/Condeixa, sítio de Ribeiro das Aradas

Os trabalhos arqueológicos realizados no sítio de Ribeiro das Aradas enquadraram-se numa perspectiva de minimização de impactes patrimoniais das obras da subconcessão do Pinhal Interior.

Sítio de S. Simão, Capela de Nossa Senhora da Graça, Penela

No âmbito de um parecer do IGESPAR para a construção de uma moradia unifamiliar junto à Capela de Nossa Senhora da Graça, no concelho de Penela, a ERA realizou trabalhos de avaliação patrimonial no sítio de S. Simão.

Rua de Santiago, n.º 10-14, Lisboa

No âmbito do empreendimento neste edifício, a ERA realizou trabalhos arqueológicos de diagnóstico e acompanhamento de obra, registando-se estruturas do tipo tanque e de cronologia romana, que nos é dada pelo seu modo construtivo, em opus signinum.

São Simão, Penela (2ª intervenção)

Esta intervenção representou uma nova fase de trabalhos em São Simão, consistindo na realização de duas sondagens, no corte NO, com o objectivo de compreender o impacte da obra sobre o património existente.

Rua do Recolhimento, n.º 35, Lisboa

As sondagens de diagnóstico efetuadas possibilitaram a identificação de uma longa diacronia de ocupação neste local, desde a Idade do Ferro à actualidade. Numa delas, registaram-se vestígios atribuídos ao período Romano republicano, nomeadamente um muro, já muito afectado por contextos posteriores.

Sítio da Amoreira, São Martinho de Árvore, Coimbra

As sondagens arqueológicas realizadas no âmbito do empreendimento (em projecto) da construção de um Centro Cultural no sítio da Amoreira foram adjudicadas pela Câmara Municipal de Coimbra.

Circuito Hidráulico de Baleizão – Quintos, Beja

Estes trabalhos enquadraram-se na minimização de impactes arqueológicos na área a afectar pela construção do Circuito Hidráulico de Baleizão-Quintos e respectivo Bloco de Rega

Núcleo Arqueológico da Rua dos Correeiros, nº 9, Lisboa (2016)

À semelhança de intervenções anteriores, o objectivo foi garantir a limpeza e desinfestação das estruturas do NARC, bem como das peças colocadas na agência do banco virada para a Rua Augusta.

Instalação de Condutas de Distribuição de Gás — Delães — V. N. de Famalicão

Os trabalhos arqueológicos procuraram avaliar, por um lado, o eventual grau de destruição do sítio pelas valas já escavadas e, por outro, diagnosticar a presença de contextos preservados em zonas ainda não abertas.

Infraestruturas de gás natural, Peniche

A área intervencionada localiza-se no istmo do tômbolo de Peniche, zona assoreada a partir do séc. XV/XVI, e na cidade em si, chamada a “ilha” de Peniche.

Parque de Estacionamento da Praça Dom Luís I, Lisboa

Neste trabalho foi exposto, registado, ortofotografado e desmontado um conjunto estrutural diacrónico, do qual se destacaram quatro estruturas portuárias (séculos XVII e XVIII): um cais de madeira e alvenaria, um estaleiro naval de grandes dimensões, o cais do Forte de São Paulo e o cais da Casa da Moeda.

Carta Arqueológica do Concelho de Peniche

O objectivo foi actualizar informação referente a 26 sítios constantes da Carta Arqueológica do Concelho de Peniche e, também, prospectar 4 áreas previamente definidas como sensíveis devido à sua posição no território.

Santa Suzana, Redondo, Évora

No âmbito do projecto de investigação Santa Suzana Archaeological Program 2017, estas acções arqueológicas foram adjudicadas à ERA pela PortAnta Associação de Arqueologia Ibérica.

Alargamento da A8, Lanço Cril – Loures

Efectuaram-se acções de acompanhamento arqueológico no âmbito dos trabalhos de Alargamento da A8, Lanço Cril – Loures, que compreenderam desmatação, escavação de terreno e abertura de valas para colocação de tubagens e cabos eléctricos.

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Barranco do Guadiana 2

O sítio em questão foi considerado como uma área com vestígios de superfície do período romano, tendo a intervenção consistido na execução de 4 sondagens manuais de diagnóstico dentro da zona onde estava projetada a implantação das infraestruturas.

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Monte da Chaminé 2

O sítio em questão foi inventariado com o nº 279 e considerado no Estudo de Impacte Ambiental como um habitat de cronologia atribuída à pré-história e ao período romano.

EPAL - Rua de Santa Cruz do Castelo, 52-56, Lisboa

A intervenção da ERA pressupôs a observação de movimentações no subsolo, tendo a estratigrafia detectada revelado um grau de revolvimento muito elevado, provocado pela introdução de infraestruturas.

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Monte dos Frades 3

O sítio em questão foi assinalado e inventariado no Estudo de Impacte Ambiental deste Circuito Hidráulico, caracterizando-se pela presença de alguns vestígios de superfície de cronologia romana.

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Monte da Laje de Cima

Procedeu-se à realização de 3 sondagens mecânicas de diagnóstico dentro da área onde estava projetada a implantação das infraestruturas, num total de 12 m².

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Vale de Vinagre

Foram realizadas três sondagens mecânicas de diagnóstico que procuraram caracterizar a estratigrafia da área de afectação da empreitada e compreender a possível presença do sítio arqueológico em questão nessa mesma localização.

Rua de S. Julião, n.º 72 Lisboa

Estes serviços arqueológicos decorreram no âmbito do empreendimento de requalificação do n.º 72 da Rua de S. Julião, o qual implicou a afectação de áreas com potencial de carácter arqueológico, dado que se desenvolveu em zonas de intervenção de nível 1 do PDM.

Bloco de Rega Moura – Gravítico, Vale de Carvão 1

Caracterizado como uma mancha de ocupação com materiais enquadráveis na Idade do Ferro, Romano e Medieval, no Vale de Carvão 1 observaram-se fragmentos de cerâmica com baixa densidade, levantados pelas valas abertas para plantação do olival.

Bloco de Rega Moura – Gravítico, Vale de Figueiras 4

Esta intervenção consistiu na realização de 9 sondagens, no total de 84,25 m², que incidiram sobre um conjunto de 9 estruturas negativas identificadas no decorrer do acompanhamento de obra.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Atalaia da Quinta

Foram realizadas 3 sondagens, num total de 20 m², para caracterização das possíveis estruturas identificadas, tendo esta área sido definida de acordo com a área de afectação e os vestígios existentes à superfície.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Braceeira

Os contextos intervencionados em ambas as sondagens puderam ser enquadrados numa cronologia romana, representando um pequeno casal rústico a cuja área edificada se associava uma estrutura de combustão.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Convento de São Francisco

Perante a identificação de uma mancha de materiais durante o acompanhamento de obra associado ao projecto, foi realizada uma sondagem para diagnóstico destes contextos.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Convento de São Francisco 2

No contexto da minimização de impactes decorrentes da execução destes Blocos de Rega, a ERA realizou 8 sondagens arqueológicas no sítio do Convento de São Francisco 2.

Largo de São Martinho, Lisboa

Os trabalhos realizados no Largo de São Martinho permitiram identificar os vestígios de uma ocupação do período romano, atestada pela presença de um pavimento em opus signinum.

Rua da Madalena, 54-60, Lisboa

A ERA levou a cabo, em 2013, sondagens arqueológicas de diagnóstico no n.º 54 da Rua da Madalena.

Travessa das Merceeiras, Lisboa

Em 2013, foram realizados trabalhos de acompanhamento arqueológico na Travessa das Merceeiras.

Adutor de Vale do Gaio (troço 4), Horta de S. Roque 1

Realizaram-se duas sondagens manuais no eixo central da área de afectação, numa área de dispersão de materiais arqueológicos à superfície.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Barranco de Rio de Moinhos 2

Durante a escavação foram identificadas nove estruturas negativas correspondentes a deposições, provavelmente secundárias, de restos de cremações funerárias.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Horta da Cancela 2

Foram implantadas sondagens no local de acordo com a área de afectação e com os vestígios existentes à superfície: um possível forno e um pequeno covacho, ambos de cronologia indeterminada, e ainda duas possíveis estruturas negativas.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Horta da Cancela 4

O acompanhamento de obra associado ao projecto identificara, na C1.3 Alvito Alto, uma sepultura e uma estrutura negativa subcircular. Perante estes contextos, programou-se a realização de duas sondagens arqueológicas numa área total de 8,5 m².

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Horta da Figueira 2

Realizou-se uma sondagem arqueológica, implantada no local de acordo com a área de afectação e com os vestígios existentes à superfície: uma canalização de cronologia indeterminada e uma possível estrutura negativa.

Circuito Hidráulico de São Matias, Arrancada da Polina

Numa perspetiva de minimização de impactes sobre o património resultantes da execução deste Circuito Hidráulico, foram implantadas duas sondagens de modo a abranger duas manchas de material e uma estrutura.

Circuito Hidráulico de São Matias, Esfola

Estabeleceu-se a realização de 2 sondagens arqueológicas para caracterização de uma mancha com alguns materiais de cronologia romana, associada a alguns elementos pétreos.

Circuito Hidráulico de São Matias, Horta do Monte Barbosa 1

Foi implantada uma sondagem de modo a abranger uma mancha de materiais de cronologia romana, descoberta em ações prévias de acompanhamento arqueológico.

Circuito Hidráulico de São Matias, Horta do Pombal

Foram escavadas duas estruturas negativas de tipo “fossa”, com depósitos compostos essencialmente por sedimento arenoso embalando pedras de pequena e média dimensão e algum material cerâmico.

Circuito Hidráulico de São Matias, Monte da Cegonha

Na execução destes labores foram implantadas quatro sondagens, de modo a abranger duas manchas de material, uma interface negativa tipo vala e um recipiente cerâmico que se suspeitava tratar de uma urna funerária.

Circuito Hidráulico de São Matias, Monte da Polina 1

Esta intervenção resultaram da descoberta, em trabalhos de decapagem mecânica do terreno, de vários vestígios arqueológicos, sendo abrangida uma área total de 481,41 m², distribuída por várias sondagens e dividida por dois núcleos de ocupação.

Circuito Hidráulico de São Matias, Monte do Zambujal 3

No seguimento da descoberta de uma caleira construída no substrato geológico, foram realizadas quatro sondagens de diagnóstico manuais com vista à caracterização da mesma e de uma eventual interface negativa localizada no limite sul do sítio.

Circuito Hidráulico de São Matias, Monte de Mata Bodes

Realizaram-se 3 sondagens arqueológicas de diagnóstico para escavação e caracterização de um conjunto de estruturas negativas identificadas no decorrer do acompanhamento de obra.

Circuito Hidráulico de São Matias, Monte de Mata Bodes 4

As sondagens arqueológicas realizadas permitiram identificar um conjunto de estruturas em negativo que julgámos serem de diferentes épocas cronológicas, atestando a ocupação deste Monte ao longo dos tempos.

Circuito Hidráulico de São Matias, Monte dos Arcos 1

Foi estabelecida a realização de 7 sondagens arqueológicas, num total de 85,50 m2, para escavação e caracterização de uma série de vestígios associados a cerâmica de construção de cronologia Romana.

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Magra 3

Foi possível aferir que este sítio teria duas fases de ocupação, a primeira correspondendo a um assentamento de cariz industrial, vocacionado para a extracção de pedra e posterior transformação da matéria-prima em época romana, datada de meados do séc. I d.C.

Herdade do Mercador (Mourão), Monte do Mercador 7

Os trabalhos realizados identificaram a continuação dos contextos escavados na primeira fase, correspondentes a uma ocupação materializada pela presença de compartimentos, buracos de poste e lajeados de cariz habitacional.

Circuito Hidráulico de São Matias, Quinta das Faias

Na primeira fase dos trabalhos foi escavada uma sepultura de incineração de cronologia romana. Já os trabalhos da 2.ª fase permitiram a identificação de 3 estruturas negativas.

Circuito Hidráulico de São Matias, Ribeira de São Pedro 4

Estes trabalhos iniciaram-se no seguimento da descoberta, em acompanhamento arqueológico, de uma mancha com materiais de cronologia desconhecida associada a vários alinhamentos pétreos (possíveis estruturas) e derrubes.

Circuito Hidráulico de São Matias, Romeirã 4

A intervenção consistiu no alargamento de uma das sondagens (sondagem 1) realizada pela equipa afecta aos trabalhos prévios de Minimização de Impactes da referida empreitada, num total de 36 m2, para diagnóstico e caracterização de vestígios arqueológicos aí identificados.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Monte dos Escanchados 2

Foram realizadas oito sondagens manuais com o objectivo de caracterizar um conjunto de realidades de possível interesse arqueológico.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Monte dos Nabos de Cima

Esta intervenção incidiu sobre uma concentração composta por numerosos fragmentos de dollia, aparentemente in situ, identificada no decurso do acompanhamento de abertura da conduta C8.

Blocos de Rega de Beringel-Beja, Álamo 1

Levou-se a cabo uma sondagem de diagnóstico no local onde a equipa de acompanhamento arqueológico identificara uma estrutura positiva correspondente a um muro, no aparelho do qual era visível um grande bloco em opus signinum.

Blocos de Rega de Beringel-Beja, Almocreva

Foram realizadas cinco sondagens manuais com o objectivo de registar a estratigrafia completa de uma área já previamente diagnosticada e de caracterizar um conjunto de estruturas negativas de possível interesse arqueológico.

Blocos de Rega de Beringel-Beja, Cerro da Atalaia 3

Na intervenção foi escavada uma estrutura negativa com forma alongada, de tipologia indeterminada, aberta diretamente sobre o substrato de caliço.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Pavão

Programou-se a execução de 4 sondagens arqueológicas, num total de 9 m2, para caracterização de um conjunto de possíveis sepulturas.

Blocos de Rega de Beringel-Beja, Estrada da Calçada 2

Estes trabalhos permitiram a identificação de várias estruturas e enterramentos em urna, associados a uma necrópole do período romano, localizada nas imediações da cidade de Beja. Além disso, registaram-se duas calçadas, sendo a mais antiga possivelmente contemporânea da necrópole.

Blocos de Rega de Beringel-Beja, Monte do Bolor 1 e 2

Perante a identificação, em acompanhamento de obra, de uma possível estrutura negativa, foi programada a realização de 1 sondagem arqueológica, num total de 4 m2, para a sua escavação.

Blocos de Rega de Beringel-Beja, Monte do José Bernardo

Esta intervenção revelou a existência de três furos destinados à captação e conservação de aquíferos, provenientes do leito do Barranco de Meia Légua.

Variante dos Capuchos, Leiria

Nesta intervenção, é de salientar a identificação de diversos contextos arqueológicos enquadráveis numa ampla diacronia, desde a Pré-historia Antiga (Paleolítico Inferior) à Época Contemporânea.

Rua dos Fanqueiros, n.º 110-114, Lisboa

Os trabalhos de diagnóstico permitiram compreender um pouco da história ocupacional deste espaço, tendo-se individualizado 5 fases que correspondem grosso modo às principais alterações.

Empreendimento Rei Ramiro Terraces, Vila Nova de Gaia

O plano de trabalhos preconizou o alargamento em área das sondagens realizadas, em 2008, na plataforma superior, onde haviam sido identificados contextos romanos, e a escavação de duas novas sondagens na plataforma inferior, dentro do actual edifício.

Abastecimento Hidroagrícola da Baixa de Óbidos

Procedeu-se, até ao final do mês de Setembro de 2016, ao acompanhamento de toda a movimentação de terras, no sentido de salvaguardar pelo registo as realidades ali observadas.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Monte de Pombal 1

O sítio intervencionado apresentava uma série de contextos de cronologias diversas, sobretudo estruturas negativas de distintas morfologias, funcionalidades e cronologia.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Quinta de São Vicente 5

Os trabalhos desenvolvidos permitiram a constatação, e subsequente escavação, de 18 estruturas de inumação e duas de incineração, que albergavam vestígios osteológicos humanos.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Monte de Mancocas

Os trabalhos de escavação arqueológica realizados no local puderam registar a existência de 2 fossas morfológica e cronologicamente distintas.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Poço da Gontinha 1

Neste local, havia sido identificado um conjunto de interfaces negativas, de funcionalidade diversas, associadas a materiais enquadráveis na Pré-história, na proto-história, em épocas romana e moderna.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Peroguarda 1

Estabeleceu-se a realização de quatro sondagens manuais, totalizando 8.9 m2, tendo em conta a dimensão das estruturas negativas identificadas no decurso da decapagem das terras de superfície.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Barranco do Pereiro

Os trabalhos surgiram na sequência da deteção de duas manchas de materiais, uma do período romano e outra aparentemente moderna, no decurso da abertura de vala da Conduta 1 do Sub-bloco de Ferreira.

Bloco de Rega de Faro (Alvito-Pisão), Pedreira de Trigaches 5

Tendo em conta a deteção de duas manchas de materiais de época romana, estabeleceu-se em reunião prévia de campo a realização de duas sondagens manuais, totalizando 42 m2.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Monte Cardim 5

Foram abertas duas sondagens posteriores à abertura da vala da Conduta Principal de Ferreira, tendo-se detetado uma sepultura romana/tardo-romana, no corte Oeste da vala, parcialmente destruída pela sua abertura.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Cadavais

Neste sítio havia sido identificada uma mancha com materiais de época romana e dois interfaces negativos de cronologia e funcionalidade indeterminada, podendo um deles corresponder a uma sepultura ou cista, observando-se no corte a presença de lajes de xisto no seu interior.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Monte da Zambujeira 2

No decurso dos trabalhos de acompanhamento arqueológico da abertura de vala para a colocação de uma conduta, observaram-se algumas estruturas associadas a materiais de cronologia romana.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Navegadas, Coentros 4

No decorrer do acompanhamento arqueológico para a remoção de terras da CP das Navegadas do Bloco de Rega de Brinches, foram identificadas em corte algumas interfaces negativas, assim como uma grande fossa com materiais de cronologia romana.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Navegadas, Monte da Salsa 1

Foram intervencionados um total de 25 metros quadrados, distribuídos por sete sondagens de diagnóstico que revelaram a existência de um espaço desta villa utilizado tanto para a inumação de indivíduos como para a abertura de silos.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Monte da Figueirinha 1

Os resultados permitiram a identificação de uma estrutura negativa contemporânea, e uma estrutura negativa e outra positiva provavelmente de período romano, tendo em conta a cultura material presente na área intervencionada.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Misericórdia 1

No decurso da intervenção, que resultou de sondagens de diagnóstico realizadas anteriormente, identificaram-se 46 fossas, todas de formação antrópica, enquadráveis cronologicamente na Idade do Bronze e em época tardo-romana.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Misericórdia 3

A escavação incidiu nos depósitos de enchimento de uma vala, aberta no substrato geológico, sendo o depósito mais recente constituído por blocos pétreos e fragmentos de cerâmica de construção, destacando-se a presença de tégulas.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Monte do Arcediago 1

A realização destes trabalhos permitiu a identificação de um espaço funerário com duas fases de utilização, cronologicamente enquadradas na Idade do Ferro (séc. VI a IV a. C) e no período tardo-romano.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Monte do Arcediago 2

Os trabalhos realizados permitiram identificar uma estrutura hidráulica, constituída por dezanove pegões completos, sendo que o n.º 20 apenas foi visível em cerca de 20 cm do seu plano, já que excedia os limites da área de afetação da presente obra.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Monte do Arcediago 3

Nas duas sondagens realizadas registou-se, para além das estruturas já visíveis, um depósito de características argilosas, castanho, muito compacto, onde se recolheram fragmentos de cerâmica comum (destacando-se os grandes recipientes) e terra sigillata (itálica).

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Monte do Arcediago

No local e durante a escavação foram identificadas 4 sepulturas de época romana, escavadas em fossa, delimitadas ou cobertas por tegulae.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Vale do Ouro

Verificou-se um total de 112 estruturas negativas com diferentes tipologias, cronologias e funcionalidades, permitindo apontar para o sítio do Vale do Ouro uma diacronia de ocupação longa, entre a Pré-História recente e a Época Moderna.

Palácio da Inquisição, Palácio dos Condes de Basto e Páteo de São Miguel, Évora

A intervenção visou, por um lado, a proteção dos valores patrimoniais que poderiam ser afetados pela prossecução das obras, e por outro, a recolha de informação sobre o local, contribuindo, dessa forma, para um aumento do conhecimento da história de Évora.

Rua Cecílio de Sousa, n.º 31, Lisboa

Os depósitos registados em toda esta área consistiram em aterros, com materiais de cronologias pertencentes aos séculos XVII/XIX (Faianças, porcelanas, azulejos) e em depósitos estéreis do ponto de vista arqueológico, correspondentes a níveis de deposição natural.

Subconcessão do Pinhal Interior, Lote 2, Avelar/Condeixa, Lamas

Foram escavadas e registadas duas estruturas negativas escavadas no substrato estéril de funcionalidade desconhecida. A primeira, pela sua forma oval alongada, poderia sugerir uma estrutura funerária, porém, não foram identificados vestígios a corroborarem esta hipótese.

Sistema Interceptor de Beja, Quinta da Abóbada, Horta de Todos

Na Quinta da Abóbada, foram realizadas 15 sondagens de diagnóstico que revelaram uma longa diacronia daquele espaço, desde a Pré-História ao período Moderno.

Sistema Interceptor de Beja, Terras Frias 3

As estruturas e contextos identificados correspondem a um conjunto de vestígios da pars rustica de uma vila romana, tendo sido possível ao longo desta intervenção aferir a evolução ocupacional deste local, desde a sua fundação no século I d.C. até aos nossos dias.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Monte da Rabadoa 2

A intervenção teve como resultado a identificação de uma estrutura composta por dois muros, que travavam entre si, configurando um possível compartimento com forma retangular ou quadrangular.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Quinta do Castelo 6

A intervenção teve como resultado a identificação de 10 estruturas negativas de origem antrópica (nove de planta circular e uma de planta irregular) e uma de origem indeterminada.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Monte de Ourives 2

Os trabalhos tiveram como resultado a identificação de uma estrutura em pedra e tijolo formada por quatro muros, cujo sistema construtivo pode ser indicativo de se enquadrar em época Romana.

Circuito Hidráulico Baleizão-Quintos, Quinta do Estácio 6

A intervenção resultou na identificação de estruturas negativas e positivas, representadas por uma grande variedade tipológica, funcional e cronológica, abarcando desde o Neolítico Final até época Tardo-Romana.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Vale do Alcaide Baixo

Os trabalhos arqueológicos resultaram na identificação de 8 estruturas negativas, das quais 7 seriam de origem antrópica e uma de origem natural.

Atividades de Educação Patrimonial, Colégio São João de Brito, Lisboa

No ano lectivo 2014/2015, dando continuidade a um trabalho que a ERA vinha a realizar em conjunto com o Colégio SJB no campo da educação para o património, foi apresentada uma proposta para a realização de atividades a desenvolver ao longo do primeiro trimestre que culminariam com a Semana da Ciência e da Cultura, já no início do segundo trimestre.

Aproveitamento Hidroeléctrico de Ribeiradio-Ermida, sítio Rôdo (Sever do Vouga)

A intervenção permitiu identificar contextos arqueológicos preservados enquadrados crono-culturalmente no Paleolítico Superior.

Inventário Patrimonial do Concelho de Ílhavo

As prospeções arqueológicas no âmbito do projeto de Inventário Patrimonial do Concelho de Ílhavo visaram a relocalização de sítios e a identificação de novas realidades patrimoniais que pudessem existir no concelho, bem como proceder à sua caracterização em termos de valor científico e patrimonial.

Prolongamento da Linha Azul – Amadora Este-Reboleira

Os vestígios patrimoniais/arqueológicos identificados ao longo desta empreitada resumem-se a um conjunto de achados pontuais, de estruturas em alvenaria de pedra seca, aos quais não se associavam elementos artefactuais que permitissem a sua melhor caracterização e aferição cronológica.

Largo do Lidador e Largo de S. Tiago, Beja

O acompanhamento arqueológico decorreu nas imediações dos edifícios da Sé de Beja/Igreja de S. Tiago, com datação do séc. XVI, e do Castelo edificado no séc. XIII, havendo indícios de que se encontra assente sobre um castrum do período romano.

Largo de São Julião, 15-19, Lisboa

Considerou-se adequado e vantajoso proceder a um estudo detalhado da arquitetura do edifício e, também, realizar uma avaliação aprofundada do estado de conservação dos elementos constituintes do mesmo.

Sítio do Cerrado do Castelo, Grândola

As obras a realizar implicariam a afetação de áreas com potencial arqueológico, dado que se iriam desenvolver num local onde é conhecida a presença de um sítio arqueológico de época romana.

Bloco de Rega de Pias, Amendoeirinha 4

Estes trabalhos consistiram na realização de 2 sondagens mecânicas de diagnóstico na área onde estava projetada a implantação da conduta C2, num total de 8 m².

Bloco de Rega de Pias, Barranco de Bota Cerva 3

Executaram-se 2 sondagens de diagnóstico, com recurso a meios mecânicos, na área onde estava projetada a implantação da conduta C4.1, num total de 8 m².

Bloco de Rega de Pias, Barranco de Bota Cerva

Estes trabalhos consistiram na realização de 3 sondagens mecânicas de diagnóstico na área a afetar por obras de beneficiação do caminho, não tendo sido identificados contextos arqueológicos preservados.

Bloco de Rega de Pias, Barranco de Pias 2

Este sítio fora inventariado com o n.º 44 e considerado no Estudo de Impacte Ambiental como um casal rústico com cronologia atribuída ao período romano.

Bloco de Rega de Pias, Barranco de Pias 3

Na sequência de prospeções arqueológicas, o sítio fora classificado como uma mancha de ocupacão, na qual foram identificadas cerâmicas manuais e a torno, o que poderia indicar uma longa diacronia de ocupação, entre a pré-história recente e o período romano.

Bloco de Rega de Pias, Herdade da Torre 2

À superfície identificaram-se materiais arqueológicos que apresentavam uma longa diacronia de ocupação do espaço, designadamente, cerâmicas de cronologia contemporânea, moderna, islâmica e romana.

Bloco de Rega de Pias, Herdade da Torre 1

É possível que o material arqueológico existente à superfície nesta zona resultasse da regularização/aterro do terreno para a plantação do olival, encontrando-se em contextos secundários de deposição.

Circuito Hidráulico Caliços-Pias, Herdade da Torre 3

O alargamento de uma das sondagens permitiu confirmar a existência de uma estrutura negativa cujas características sugerem tratar-se de um hipogeu.

Circuito Hidráulico Caliços-Pias, Herdade da Torre

A intervenção permitiu aferir que no local estabelecido para a colocação de infraestruturas de rega existiam vestígios de ocupações preservadas com uma longa diacronia, aproximadamente desde o século II d.C. até ao século XII d.C.

Bloco de Rega de Pias, Monte Barroso 2

O sítio do Monte Barroso 2 corresponde ao n.º 35 do Estudo de Impacte Ambiental do Bloco de Rega de Pias, tendo sido descrito como uma calçada de cronologia romana/medieval, situada numa das passagens do Barranco das Amoreiras.

Circuito Hidráulico Caliços-Pias, Monte Branco 3

Foi possível a identificação de duas estruturas negativas de tipo fossa e um conjunto de estruturas negativas que poderiam estar associadas ao cultivo de vinhas em época romana.

Bloco de Rega de Pias, Monte Branco 4

Identificaram-se contextos de cronologia romana, correspondentes a um piso com restos de opus signinum, 2 fossas escavadas no substrato rochoso e uma estrutura negativa que poderia estar associada ao cultivo de vinhas em época romana, realidade identificada também no sítio do Monte Branco 3.

Circuito Hidráulico Caliços-Pias, Monte da Capela 1 e 2

Realizaram-se 10 sondagens mecânicas de diagnóstico, num total de 40 m², dentro da área da albufeira projetada. O objetivo era diagnosticar se os limites da mancha de ocupação identificada no EIA se estendiam para a zona da albufeira.

Circuito Hidráulico Caliços-Pias, Monte da Capela 4

O sítio Monte da Capela 4 havia sido assinalado no Estudo de Impacte Ambiental como uma mancha de ocupação enquadrada cronologicamente no período romano.

Circuito Hidráulico Caliços-Pias, Monte da Capela 5

O sítio em questão havia sido descrito como um afloramento rochoso onde era já possível reconhecer alguns cortes que poderiam indicar uma atividade de extração de pedra.

Bloco de Rega de Pias, Monte da Igreja 4

Estes trabalhos consistiram na realização de 2 sondagens mecânicas de diagnóstico (1x4) na área afeta às obras de beneficiação do caminho, num total de 8 m².

Bloco de Rega de Pias, prospeções arqueológicas

Foram prospetados os troços de infraestruturas (redes de rega e redes viárias) que, durante a execução do Estudo de Impacte Ambiental, se encontravam descritas com visibilidade reduzida a nula, complementando desta forma a avaliação efetuada.

Bloco de Rega de Pias, Quintinha 2

Efetuaram-se 2 sondagens mecânicas de diagnóstico na área onde estava projetada a implantação da conduta C1, num total de 8m², não se tendo identificado contextos arqueológicos preservados.

Bloco de Rega de Pias, Quintinha

Os contextos identificados corresponderam a um edifício com pelo menos 2 compartimentos, em muito mau estado de conservação, uma vez que só foi possível identificar as fundações dos muros que o constituíam.

Bloco de Rega de Pias, Santa Luzia 3

Este sítio fora considerado no Estudo de Impacte Ambiental como uma área com um achado isolado (tegulae), com cronologia atribuída ao período Romano.

Bloco de Rega de Pias, Sesmarias

O sítio Sesmarias havia sido considerado no Estudo de Impacte Ambiental dos Blocos de Rega de Pias como uma villa romana com cerâmica de construção à superfície.

EDP-Gás, Rua Dom Frei Caetano Brandão, 154 e 161-C, Braga

Os edifícios em questão encontram-se num local cuja ocupação remonta às origens da cidade romana. De facto, esta artéria encontrou-se abrangida pelos perímetros muralhados da cidade romana e, também, da cidade medieval.

Lote 8 da Subconcessão da Auto-estrada Transmontana Vila Real/Bragança

Nesta intervenção visaram-se os seguintes procedimentos: identificação de novos elementos patrimoniais; relocalização de ocorrências patrimoniais que deveriam vir a ser diretamente afetadas; sugestão de medidas minimizadoras sobre o património identificado.

Rua General Sousa Machado, n.º 51, Chaves

O principal objetivo da intervenção consistiu em garantir a integridade física e química dos elementos de uma pintura mural de época Romana durante o processo de escavação arqueológica do espaço em causa.

Rua da Madalena, n.º 40, Faro

Foram realizados trabalhos arqueológicos de diagnóstico e acompanhamento de obra no âmbito do projecto de reconstrução deste edifício de habitação.

Antigo Convento do Corpus Christi, Rua dos Douradores nº 84, Lisboa

Esta intervenção de conservação e restauro incide no conjunto de Cetárias existentes no antigo Convento do Corpus Christi, localizado na Baixa Pombalina, em Lisboa, imóvel classificado na categoria de Monumento de Interesse Público.

Pestana Blue Alvor Hotel, Alvor, Portimão

A escavação de sondagens arqueológicas de diagnóstico decorreu no âmbito da empreitada de construção de Hotel de 5 estrelas (Pestana Blue Alvor Hotel), no sítio da Amoreira, em Alvor.

Centro Multiusos (Antigo Cineteatro), Travessa Cândido dos Reis/Rua Santo António, Chaves

Estes trabalhos arqueológicos enquadraram-se no projeto de reabilitação do edifício do Cineteatro de Chaves, para instalação do Centro Multiusos/Palácio da Água de Chaves.

Villas Romanas de Santa Suzana e do Freixo, Redondo

Os trabalhos de prospeção geofísica enquadraram-se numa perspetiva de investigação e valorização dos sítios arqueológicos de Santa Suzana e Freixo.

Reconversão Agrícola na Herdade da Torre de São Brissos, sítio Monte da Diabrória, Beja

Tendo em conta esta localização de elevado potencial arqueológico, a área foi alvo de trabalhos arqueológicos anteriores, dos quais decorreram um conjunto de medidas de minimização, preconizadas pela tutela.

Remodelação do Balneário Municipal do Castelo (Lisboa)

Durante os trabalhos procedeu-se à abertura de cinco valas e de uma área de perfil quadrangular, tendo em consideração os sectores que seriam afetados pela empreitada de remodelação dos balneários.

Hotel Alma Lusa, Praça do Município, 21, Lisboa

Estes trabalhos de diagnóstico arqueológico enquadraram-se no empreendimento Unidade Hoteleira Alma Lusa, na Praça do Município, zona de notável importância patrimonial.