Sistema Multimunicipal de Saneamento da Ria de Aveiro (SIMRIA)

Os trabalhos arqueológicos desenvolvidos no âmbito do projecto do Sistema Multimunicipal de Saneamento da Ria de Aveiro (SIMRIA) iniciaram-se a 11 de Janeiro de 1999 e terminaram a 24 de Fevereiro de 2004. Devidamente autorizadas pelo Instituto Português de Arqueologia, as acções a realizar pela ERA-Arqueologia foram enquadradas em quatro fases.

A primeira fase corresponde ao levantamento bibliográfico e documental exaustivo na Biblioteca do Instituto Português de Arqueologia e no fundo local da Biblioteca da Câmara Municipal de Aveiro. Os resultados foram apresentados nos vários relatórios de acompanhamento arqueológico, nos relatórios de prospecção e nos das escavações arqueológicas na Marinha Baixa (Cacia).

Respeita à segunda fase a prospecção sistemática com o objectivo de identificar vestígios arqueológicos e património etnográfico e arquitectónico que pudessem ser afectados pelas obras. Na área designada por Interceptor Norte foram apenas identificados sítios de valor etnográfico, com a excepção de vestígios de cerâmica incaracterística dispersa. No entanto, durante a remoção de terras neste espaço, confirmou-se a ausência de materiais arqueológicos. Já na zona do Interceptor Sul foram identificados três poços, sendo dois deles (Lagoa) afectados pela construção de uma estação elevatória.

Quanto à terceira fase, o acompanhamento arqueológico durante a remoção de terras foi conduzido na tentativa de articular as várias fases do trabalho e as necessidades da obra. Procedeu-se sempre ao preenchimento de uma ficha de acompanhamento de obra, ao registo em diapositivo das frentes de obra e dos vestígios de valor patrimonial identificados.

Na quarta e última fase, os trabalhos de escavação arqueológica assumiram desde o início do trabalho um carácter eventual, ou seja, realizar-se-iam sempre que necessário. Foi intervencionado o sítio arqueológico da Marinha Baixa, em Cacia, cujos resultados permitiram traçar uma diacronia de ocupação definida em duas fases de cronologia tardo-romana, caracterizadas por um tipo de utilização do espaço especializada e de carácter plurifuncional, e uma terceira fase de cronologia indeterminada.