Rua Terreiro do Parguinho, 2-4, Tavira

As escavações arqueológicas efectuados no âmbito da empreitada de remodelação dos números 2 a 4 da Rua Terreiro do Parguinho, em Tavira, enquadraram-se numa perspectiva de minimização de impactes sobre o património arqueológico. Adjudicados à ERA-Arqueologia pela Susceptum Lda., decorreram de forma faseada entre 16 de Fevereiro e 8 de Setembro de 2009.
 
Esta intervenção teve como objectivo caracterizar adequadamente os vestígios arqueológicos que integram o espaço a afectar, quer em termos científicos, quer patrimoniais. Além disso, visou-se contribuir para a minimização atempada dos riscos decorrentes de tais afectações, bem como libertar de condicionantes patrimoniais as áreas de trabalho para posterior continuação da empreitada.

Registou-se uma extensa diacronia de ocupação desde a Idade do Ferro à Época Contemporânea, marcada pela construção do actual imóvel. A intensa ocupação do espaço, com uma lacuna temporal entre os finais da Idade do Ferro e a Época Islâmica, caracterizada por contextos arqueológicos que se vão sobrepondo e afectando outros mais antigos, revela a complexidade estratigráfica do sítio. Esta, adicionada à leitura parcial da realidade (sujeita à cota e área de afectação da obra), condicionou a interpretação de determinados contextos.

Talha de grandes dimensões.

Destacou-se, entre a componente artefactual recolhida e inserida cronologicamente em Época Islâmica (época almóada), um pequeno púcaro, uma tacinha, uma talha de grandes dimensões (ver imagem acima), um alguidar vidrado e uma candeia vidrada.

Considerando que foram intervencionados os contextos arqueológicos existentes e que o promotor da obra se viu na necessidade de alterar o projecto aprovado, comprometendo-se a não afectar a área onde se encontra localizada uma eventual muralha da Idade do Ferro, preconizou-se como medida de minimização a cobertura desta estrutura e área envolvente com manta geotêxtil. Desta forma, pretendeu-se não comprometer a viabilidade da empreitada e, simultâneamente, preservar os vestígios arqueológicos registados.