Bloco de Rega de Pias, prospeções arqueológicas

Estes trabalhos de prospeção arqueológica enquadraram-se no âmbito do “Plano de Minimização de Impactes sobre o Património Cultural decorrentes de execução do Bloco de Rega de Pias – Fase Prévia à Obra”.

Desta forma, foram prospetados os troços de infraestruturas (redes de rega e redes viárias) que, durante a execução do Estudo de Impacte Ambiental, se encontravam descritas com visibilidade reduzida a nula, complementando desta forma a avaliação efetuada. A área prospetada encontrava-se dispersa um pouco por toda a área de implantação do projeto, perfazendo um total de 28 km.

Foram identificadas 12 novas ocorrências, sendo que 7 correspondem a manchas de ocupação (Bota Cerva 1, 2 e 3, Caseta do Cangueiro 4, Quintinha 7, Entregas 4 e Barranco de Pias 3) enquadradas cronologicamente entre a Pré-história recente e o período Medieval/Moderno, 1 a um alinhamento associado a um caminho de pé posto (Caseta do Cangueiro 3), 1 a um marco de propriedade (Caseta do Cangueiro), 2 a achados isolados (Caseta de Cangueiro 1 e 2) e 1 a uma calçada de cronologia moderna (Quintinha 6).

Foram ainda assinaladas três ocorrências, que, pela proximidade e semelhanças que apresentavam face aos sítios identificados no decorrer do Estudo de Impacte Ambiental do Bloco de Rega de Pias (Sesmarias e Quintinha), foram alvo de uma relocalização e reformulação das Medidas de Minimização, tendo mantido a designação (topónimo) constante na bibliografia. Foi ainda reavaliada a extensão da mancha de ocupação do sítio de Entregas 2.