Requalificação do Espaço Público da Rua da Vitória, Lisboa

Os trabalhos arqueológicos realizados no âmbito da empreitada de Requalificação do Espaço Público da Rua da Vitória, em Lisboa, foram adjudicados à ERA-Arqueologia pela Fitonovo S.A. e decorreram entre os dias 30 de Maio e 19 de Agosto de 2013.

No âmbito do acompanhamento arqueológico associado à referida empreitada, foram identificados contextos funerários preservados no cruzamento da Rua da Vitória com a Rua dos Douradores, junto à Igreja de São Nicolau. Perante a necessidade de afetação dos mesmos para o prosseguimento das obras em curso, programou-se a realização de uma sondagem arqueológica (sondagem 1) na área onde estes contextos foram identificados, que permitisse a escavação arqueológica integral dos mesmos na área e até à cota de afetação da obra.

Na sequência destes trabalhos veio a verificar-se a necessidade da abertura de uma vala para implantação de uma nova caixa para electricidade numa área nunca intervencionada no Largo da Igreja de S. Nicolau. Considerando o elevado potencial arqueológico desta zona e a referida identificação de contextos funerários preservados, muito perto desta nova área de afetação, programou-se a realização de uma segunda sondagem arqueológica (sondagem 2) que permitiu identificar novos contextos funerários. Estes contextos foram também escavados integralmente na área e até à cota de afetação da obra.

                                Enterramento.

Na sondagem 1, observou-se que os níveis de superfície estavam grandemente afetados pela presença de infraestruturas de subsolo contemporâneas, e sob as quais foi ainda possível identificar a parede de uma das condutas pombalinas instaladas nas ruas da Baixa como parte do seu sistema de saneamento urbano. A construção desta conduta no período pós-terramoto veio afetar os contextos funerários identificados, cuja presença pode assim ser datada de um período anterior, provavelmente associados a uma área de necrópole que rodearia a antiga Igreja de São Nicolau.

Na sondagem 2, sob os níveis de aterro recentes, identificou-se a calçada da rua pré-pombalina que sobrepunha os contextos funerários exumados. Nesta área foram essencialmente identificados níveis de ossário sobrepostos que correspondem a deposições secundárias fruto do reordenamento do espaço da necrópole, em conjunto com um único enterramento. Os diferentes enterramentos apresentam características idênticas: foram realizados em decúbito lateral no interior de fossas simples escavadas nos sedimentos locais, com uma orientação SONE e não tinham espólio associado.

A presença dos diferentes enterramentos e ossários sobrepostos demonstra uma ocupação prolongada desta área como espaço de necrópole. A ausência de materiais associados não permite no entanto apontar-lhes cronologias diferenciadas, podendo apenas fazer-se um enquadramento cronológico genérico do período Medieval/Moderno, correspondendo à utilização desta igreja entre o século XIII e a 1.ª metade do século XVIII.