Rua Carvalho Araújo nº 2

A janela gótica é constituída por uma moldura de pedra calcária compacta e o seu vão, cego, é coberto por azulejos, cujo padrão situa a sua manufactura no final do século XVII ou início do século XVIII. A presença destes azulejos neste vão específico poderá ter passado por um aproveitamento de um painel de maiores dimensões, de outro local. São azulejos de 13,5 x 13,5 cm, de padrão, com elementos vegetalistas em formas de espiga e linhas estilizadas, em tons de azul e amarelo sobre fundo branco. São ao todo 96 azuejos, sendo que os que acompanham a forma do arco do vão estão recortados. A sustentar a ideia de aproveitamento de azulejos está a parede de suporte dos azulejos, de cimentos Portleand, cujo acesso foi possível durante a intervenção. Os azulejos não estão fixos directamente ao cimentos, mas a uma argamassa aplicada entre o azulejos e a parede de cimento. A suportar o vão está um barrote de madeira maciça toscamente talhado, com medidas de 153 x 17 x 19 cm (visíveis).

 A moldura de calcário poderá, do mesmo modo ter sido aproveitada de outro local e colocada na sua actual localização. Tem dimensão total de 174 x 144 cm, sendo constituída por blocos maciços, de aresta biselada, com terminação superior em arco quebrado. Os blocos de pedra têm aproximadamente 20 x 14 cm. Pelas suas características formais é possível situar a sua época de construção no século XVI, o que terá dado origem ao nome pela qual se designa a janela – “janela gótica”.

A intervenção descrita neste relatório teve como objectivo a estabilização, conservação e protecção dos elementos de património integrado referidos. As acções passaram pela remoção de materiais incompatíveis e destabilizadores, fazendo a substituição por materiais compatíveis e tendo em conta as necessidades reais dos elementos patrimoniais. Optou-se pela reintegração cromática dos preenchimentos, uma vez que deoutra maneira estes ficariam demasiado destacados, dificultando a leitura global dos mesmos.