Aproveitamento Hidroeléctrico de Ribeiradio – Ermida, sítio arqueológico do Vau

No âmbito do acompanhamento arqueológico da empreitada de execução do Aproveitamento Hidroeléctrico de Ribeiradio – Ermida, foi identificado o sítio arqueológico do Vau (São João da Serra), pelo arqueólogo Filipe Pina, na sequência de prospeções de uma estrada romana localizada entre São João da Serra e a Praia do Vau, na margem esquerda do Rio Teixeira.

No local havia sido retirado o solo superficial por parte de indivíduos externos à obra, expondo níveis arqueológicos com material lítico talhado associado e estruturas pétreas com sinais de combustão. Dado que o local se encontrava em cota de submersão, a tutela da arqueologia determinou, como medidas de minimização complementares da implementação do projeto, a realização de um diagnóstico assente num conjunto de sondagens arqueológicas manuais, abrangendo um total de 40 m2.

Durante a intervenção foram identificados e delimitados contextos arqueológicos preservados, enquadrados crono-culturalmente na Pré-História Antiga. Os contextos identificados apresentaram características relacionadas com ocupações de comunidades de caçadores-recolectores, materializadas em artefactos de pedra lascada – utilizados em diversas actividades, estruturas típicas de acampamentos sazonais com diferentes áreas funcionais.

Esta sequência extremamente complexa apontou para um período de ocupação de milhares de anos entre o Madalenense (15000 a.C.) e o Mesolítico antigo (7500 anos a.C.), algo extremamente raro, tratando-se de um caso excepcional no Paleolítico Superior Ibérico, e em todo o Noroeste de Portugal.