Rua de Santiago, n.º 7-9, Lisboa

Os labores arqueológicos integrados na empreitada de reabilitação do edifício 7/9 da Rua de Santiago, em Lisboa, foram adjudicados à ERA-Arqueologia pela White Walls, S.A. e decorreram entre os dias 15 de Junho e 4 de Dezembro de 2015.

Os trabalhos desenvolvidos consistiram na realização de 13 sondagens (que foram implantadas nas zonas onde iriam ser construídas fundações, sapatas e valas) e no acompanhamento arqueológico em fase de obra.

Os dados obtidos permitiram compreender a evolução deste edifício. Foi possível verificar que o palácio dos Condes de Tentúgal já existia aquando do terramoto de 1755, mas que ainda antes desse evento teria sofrido remodelações no século XVII, nomeadamente o muro de tardoz, os muros que compartimentam a área habitacional atual e pisos/pavimentos em argamassa vermelha.

Este palácio teria sofrido alguns danos resultantes do sismo de 1755, que implicaram a realização de remodelações no edifício, nomeadamente os emparedamentos das portas da parede Oeste, a reconstrução de parte da parede Norte (fachada) e a construção de pavimentos em tijoleira e em seixos de basalto.

Entre o final do período moderno e durante o período contemporâneo teria sido construída uma estrutura hidráulica (identificada na entrada do edifício), uma cisterna e o seu sistema de abastecimento e uma forja/estrutura de combustão (no logradouro).

A finalizar, importa referir que foram identificadas estruturas e infraestruturas (localizadas sobretudo no logradouro) cronologicamente enquadráveis no século XX, que corresponderiam ao momento em que este palácio é transformado em laboratório.