Calçada do Forte e Outras, Lisboa

No âmbito da reabertura de valas entre Santa Apolónia (Calçada do Forte) e o Campo de Santa Clara, para extensão/renovação da Rede M.P. de Gás Combustível Canalizado, estes labores foram adjudicados à ERA-Arqueologia pela Lisboagás e decorreram entre os dias 3 de Setembro e 1 de Outubro de 2014.

O acompanhamento arqueológico dos trabalhos de reabertura mecânica de valas para substituição da tubagem de gás revelou níveis estratigráficos bastante heterogéneos e já revolvidos, correspondendo a unidades de sedimento e aterro de cronologia contemporânea.

No decorrer dos trabalhos, apenas foi identificada uma possível estrutura na Vala H, localizada na Calçada do Forte. Devido às limitações impostas pela natureza das ações de acompanhamento, não foi possível identificar os limites deste elemento estrutural. A caracterização que nos foi possível realizar não nos permitiu obter dados cronológicos ou funcionais.

Todos as operações de movimentação de terras e elementos edificados, em toda a área a afetar pela obra, foram alvo de acompanhamento, não se tendo registado qualquer ocorrência de vestígios arqueológicos, móveis ou edificados para além do referido possível elemento estrutural.

O acompanhamento arqueológico das obras de reabertura de vala foi dado por concluído. No entanto, dada a localização numa área de cariz histórico da cidade de Lisboa, na proximidade de diversos locais de interesse patrimonial e arqueológico, propôs-se que quaisquer operações futuras que implicassem a movimentação de solos fossem alvo de intervenção arqueológica de natureza preventiva.