Rua Elias Garcia, n.º 48-52, Cacilhas, Almada

Esta intervenção arqueológica integrou-se no projeto de construção de um edifício de habitação na Rua Elias Garcia, n.º 48-52, Cacilhas, em Almada. Adjudicada à Era-Arqueologia pela Flat and House Investimentos Imobiliários, decorreu entre os dias 13 Novembro de 2017 e 15 de Março de 2018.

Os trabalhos desenvolvidos nesta fase permitiram atingir os objetivos propostos. Com a remoção de entulhos e aterros de época contemporânea, foi possível aferir o parco estado de preservação da área de desenvolvimento do projeto.

As sondagens de diagnóstico arqueológico possibilitaram determinar a continuação dos aterros de época contemporânea até ao topo do substrato geológico, com alguns materiais mais antigos de cronologia moderna nestes pacotes sedimentares, fruto de arrastamento coluvionar de vertente, misturados com os materiais contemporâneos que datam os aterros. Na sondagem 2 foram identificados cortes antrópicos no substrato geológico, muito provavelmente relacionados com as inúmeras pedreiras que ali lavraram a pedra desde a época medieval até época contemporânea.

O aspeto citado acima encontra-se também representado nas ações arqueológicas levadas a cabo em 2012/13 numa zona mais elevada, a norte da localização destas sondagens, onde foram identificados vestígios de uma pedreira de época Moderna/Contemporânea. Estes trabalhos permitiram ainda produzir um perfil topográfico dos patamares desta área da vertente sul até à estrada.

O acompanhamento arqueológico subsequente veio confirmar os resultados anteriormente observados em sede de relatório preliminar: aterros do século XX/XXI por cima do substrato geológico, estéril do ponto de vista arqueológico. Os cortes no substrato geológico identificados na sondagem 2 não se prolongavam.

Com base nos dados recolhidos, pode-se afirmar que o local deste projeto se encontrava já muito alterado em relação ao que supostamente seria a superfície natural do terreno, não tendo sido identificados quaisquer contextos arqueológicos relevantes ou relacionados com o sítio arqueológico de Almaraz. Tal facto deve estar ligado com as grandes campanhas de construção que se desenvolveram nesta área nos anos 60/70 do século passado.