Portela 3 (Sítio 2)

O sítio 2 da Portela 3 (S.Bartolomeu de Messines) foi identificado durante o acompanhamento arqueológico da construção da A2 – Sublanço S.Bartolomeu/VLA com a descoberta de ossos humanos. Estes vestígios osteológicos estavam acumulados nos montes de terra resultantes das terraplangens do terreno e da destruição de uma casa.

Na intervenção arqueológica realizada, de 9 de Abril a 22 de Maio de 2001, foram exumados no total 9 indivíduos adultos. Os indivíduos estavam orientados no sentido SW-NE, geralmente em decúbito lateral direito, com a cabeça na extremidade SW. Pela ausência de espólio associado, orientação e posição destas inumações, concluiu-se que se tratava de uma necrópole com enterramentos segundo o ritual muçulmano, muito provavelmente de época medieval e eventualmente associada ao povoado islâmico vizinho da Portela 3.

Enterramentos.

Foram igualmente detectadas duas estruturas recentes (vestígios de uma provável calçada e muro de propriedade), assim como contextos de aterro recente.

A plataforma do Sítio 2 encontrava-se muito afectada, nomeadamente pela movimentação de máquinas de obra, pelo que não pôde ser reconstituída a real extensão, organização espacial e diacronia da necrópole. Não devemos excluir, também, a hipótese deste sítio ter sido parcialmente afectado pela construção de uma casa, em meados do século passado, entretanto destruída, e pelo uso agrícola destes terrenos.

Convém ainda referir que esta intervenção de emergência foi precedida pela realização de duas sondagens arqueológicas manuais, junto ao eixo da nova via, que não revelaram a existência de contextos arqueológicos. Já o estudo de impacte ambiental assinalava uma grande mancha de distribuição de materiais arqueológicos, mas não referia a existência de qualquer necrópole.