Acompanhamento Arqueológico no Alto do Parque, Lisboa

No âmbito das obras de construção do parque de estacionamento subterrâneo localizado no Alto do Parque Eduardo VII, para a Fábrica da Catedral de Lisboa, a Teixeira Duarte, S.A. adjudicou à ERA Arqueologia trabalhos de acompanhamento arqueológico, que seriam realizados em Agosto de 2001.

Este acompanhamento preventivo e permanente durante as movimentações de terras surgiu da necessidade de acautelar a eventual passagem do Aqueduto Real, erigido no reinado de D. João V, na área da futura rampa de acesso à Alameda Cardeal Cerejeira. Teve como objectivo a detecção de possíveis vestígios arqueológicos, que poderiam ser afectados pela obra em desenvolvimento, bem como a sua caracterização de valor científico e patrimonial.

Constatou-se que os trabalhos efectuados na área da rampa de acesso ao futuro parqueamento subterrâneo no Alto do Parque, virada à Alameda Cardeal Cerejeira, afectaram exclusivamente níveis recentes, nomeadamente resultantes de obras públicas, aterros e despejos. Na área onde se previa a passagem do Aqueduto Real não se verificou a sua existência, podendo estar já destruído em resultado dos aterros e movimentações aqui ocorridas ou eventualmente passar a uma cota inferior, não tendo sido afectado por este trabalho.

A única área onde se observaram vestígios com algum potêncial arqueológico surgiu fora da área prevista para trabalhos, no decorrer de um alargamento de área para manobramento de máquinas. Correspondia a uma área bastante frágil pois verificou-se a existência de materiais cerâmicos e argamassas sobre o que poderia corresponder a uma estrutura. Assim, caso se realizassem novos trabalhos de movimentações de terras seria importante a presença de um técnico especializado de forma a proceder à caracterização de eventuais vestígios arqueológicos neste espaço.