Parque da Cidade de Lagos

Estes trabalhos decorreram no seguimento da realização de 17 sondagens, enquadradas numa perspetiva de diagnóstico arqueológico. Com a escavação das sondagens registaram-se no local contextos arqueológicos preservados reportando-se a uma área de lixeira, cuja análise preliminar da componente artecfatual permite datar dos séculos XVI-XVII. Importa ainda salientar a presença de contextos funerários com a identificação de 4/5 enterramentos, sem um ritual funerário padronizado. Os dados disponíveis neste momento não permitem aferir qualquer hipótese interpretativa, não só porque a amostra é reduzida, mas porque não é percetível a funcionalidade deste espaço (Filipe, 2008).

Tendo em conta a importância das realidades identificadas nas sondagens de diagnóstico, os trabalhos no local prosseguiram com acompanhamento arqueológico, entre os dias 28 de Outubro e 4 de Dezembro de 2008. Num primeiro momento, de acordo com as medidas de minimização apontadas após a realização das sondagens arqueológicas (em reunião tida no final dos trabalhos de campo com os representantes da tutela e do consórcio), foi realizada a remoção mecânica dos depósitos de aterro/nivelamento da actual superfície de circulação de forma a permitir uma melhor delimitação dos contextos arqueológicos preservados, nomeadamente ao nível da área de implantação da zona de lixeira e possível necrópole, de forma a permitir uma futura escavação manual. Num segundo momento foram acompanhados os trabalhos de escavação mecânica, no âmbito da obra a decorrer, nas áreas onde não haviam sido identificados contextos arqueológicos até ao momento, nomeadamente na zona Oeste e Sul da área a afectar.

Continuou a não ser possível definir a área dos contextos funerários uma vez que os enterramentos não se encontram identificados, facto que representa um elemento importante e que deverá condicionar os trabalhos futuros, sendo necessário ter este ponto em atenção.