Palácio dos Lumiares

O Palácio dos Lumiares foi enquadrado numa perspetiva de minimização de impactes decorrentes de um projeto de reabilitação do edifício. A sua importante investigação determinou um contexto significativo de evidências de ocupação pré-históricas (mesolítica/neolítica antigo).

Trabalhos arqueológicos no Edifício do Palácio dos Andrades, Rua de São Pedro de Alcântara, nº 35 a 37 (Palácio Lumiares), consistia na minimização do impacte da construção de um posto de transformação da EDP na área a Sul da Estrutura 5. Todas as unidades registadas nessa área teriam que ser integralmente escavadas, sabendo-se pelos resultados da primeira fase dos trabalhos que se tratavam de contextos de cronologia mesolítica/neolítico antigo. Pretendia-se a compreensão da formação dessas realidades e determinar a diacronia de ocupação do espaço.

Para além das unidades estratigráficas identificadas, numa óbvia compreensão da sua diacronia de ocupação do espaço, todos os contextos arqueológicos foram identificados e registados, mostrando um período significativo, para além do supracitado, no século XVII/inícios do século XVIII.