Linha de Alta Tensão Santarém-Zêzere

No âmbito da implantação da Linha de Alta Tensão Santarém-Zêzere, a 220Kv, a ERA-Arqueologia realizou trabalhos de prospecção prévia, escavação e acompanhamento arqueológico das obras de execução, numa perspectiva de aplicação de medidas de minimização preconizadas pelo Estudo de Impacte Ambiental (EIA).

Numa etapa prévia às prospecções arqueológicas, efectuou-se uma pesquisa bibliográfica de forma à identificação de património arqueológico e etnográfico e proceder à sua localização.

Os dados das prospecções arqueológicas revelaram-se importantes, na medida em que foram observados à superfície vestígios arqueológicos, para onde se previa um impacte patrimonial efectivo. De acordo com o EIA, estes vestígios poderiam ser directamente afectados pela implantação da Linha, tendo-se proposto medidas de minimização de impacte.

Foram identificados materiais arqueológicos, quer cerâmicos, quer líticos, durante os trabalhos de prospecção prévia. A aplicação das medidas de minimização permitiu concluir que não foram afectados níveis estratigráficos ou estruturas de valor arqueológico e patrimonial. No Poste 142 foi detectada uma estrutura de muro de planta em L, com derrubes de telhado e parede, tendo sido alvo de uma intervenção arqueológica: na área selada pelos derrubes não se detectou qualquer vestígio de utilização do espaço.

A avaliação da cerâmica de cobertura recolhida em escavação permitiu apontar para uma cronologia inserida num momento do período Moderno ou, mais provavelmente, da Idade Média, podendo tratar-se de um pequeno casal agrícola. Nas restantes áreas acompanhadas não se verificaram evidências materiais de carácter arqueológico e/ou estruturas in situ.