Centro histórico de Portalegre, Projecto Polis

Entre 28 de Fevereiro a 2 de Maio de 2005, a ERA Arqueologia realizou trabalhos de acompanhamento arqueológico no centro histórico de Portalegre. Estas acções inseriram-se numa perspectiva de minimização de impactes patrimoniais decorrentes de obras relacionadas com o Projecto Polis.

Ao longo das várias frentes de obra, foi possível identificar vários contextos e realidades arqueológicas centrados entre os séculos XVII e XX. Verificou-se igualmente serem áreas intensamente impactadas por obras recentes, que teriam truncado e/ou destruído eventuais vestígios de ocupações mais antigas.

Na Rua de Santa Clara, identificaram-se cinco enterramentos humanos in situ e que, segundo a antropóloga presente, tratar-se-iam de indivíduos do sexo feminino. Estes contextos indiciaram a provável utilização deste espaço como campo santo, associado ao antigo convento de Santo Agostinho. Nas imediações da rua foi ainda possível identificar várias casas apalaçadas, provavelmente relacionadas com o período de riqueza, desenvolvimento económico e importância política desta cidade no século XVIII.

Do conjunto de observações realizadas durante o acompanhamento arqueológico pôde-se concluir que estas obras não tiveram impacto sobre vestígios arqueológicos significativos, exceptuando uma situação que ocorreu na frente do Convento de S. Francisco, predominando contextos recentes de implantação de infraestruturas e aterros.