Forte de São Sebastião, Castro Marim

A ERA-Arqueologia levou a cabo acções de conservação e restauro de rebocos decorativos da torre sineira e limpeza de cantarias no âmbito do projecto “Recuperação do forte de São Sebastião”. Estes trabalhos foram realizados para a Bel – Engenharia e Reabilitação de Estruturas, S.A., tendo a intervenção de campo decorrido entre final de Dezembro de 2005 e início de Janeiro de 2006.

A torre sineira é uma estrutura de planta rectangular, vazada por uma porta cujo lintel (peça colocada horizontalmente sobre as ombreiras de portas ou janelas) é em arco de volta perfeita. A título de exemplo, todas as zonas irrecuperáveis foram removidas de forma controlada com escopro, ponteiro e martelo, até se chegar a uma parte sã. Para desinfestação e prevenção de futuras colonizações biológicas utilizou-se um herbicida e um biocida.

A limpeza das cantarias incluiu a remoção de todos os preenchimentos realizados com massa de vidraceiro e abertura de todas as juntas. As superfícies foram limpas, por exemplo, com a aplicação de biocida para eliminar as espécies vegetais (trabalho realizado por duas vezes com quinze dias de intervalo, para garantir a eficácia da operação), tendo a remoção de sobreposições de argamassa sido realizada com espátulas, escovas e bisturis.

Os objectivos de conservação e restauro foram assim concretizados. Com esta acção e a partir da regularização das estruturas, conferiu-se ao monumento uma maior estabilidade físico-química, efectuada através de limpezas, intervenções estruturais e acabamentos finais. O edificado deveria ser alvo de uma observação regular: em Janeiro de 2006 ficou estabilizado, permitindo-se a avaliação da evolução do seu estado de preservação a partir de então.