Rua São João da Praça, nº 18, Lisboa

A ERA-Arqueologia realizou o acompanhamento dos trabalhos de picagem da muralha denominada por “Cerca Moura”, no âmbito das obras de remodelação do edifício nº 18 da Rua S. João da Praça, em Lisboa. Concretizados entre Outubro de 2006 e Janeiro de 2007, os trabalhos decorreram no R/C, 1º Piso e no antigo logradouro, sendo acompanhada a picagem de vários troços e da Torre localizada no logradouro.

O acompanhamento arqueológico decorreu em várias etapas, tendo resultado num contributo significativo para o conhecimento das etapas de transformação deste elemento fundamental da história olisiponense.

Foram removidos os vários rebocos, os cimentos e as argamassas que não estavam consolidadas. Constatou-se que o troço da Muralha se encontrava muito alterado e destruído em alguns pontos pelas obras de remodelação que o edifício sofreu ao longo do século XX. Além disso, foram recolhidas várias amostras de argamassa dos vários troços da “Cerca Moura”.

A consulta de documentação cartográfica dos séculos XVI, XIX e XX permitiu admitir que o troço em análise esteve aterrado em vários períodos e que foi desaterrado noutros. Na obra de Filipe Folque (séc. XIX) não estão representadas a torre e a muralha, o que levou a supor que estariam aterradas ou dissolvidas nas construções de outros edifícios. No entanto, no princípio do século XX ambos se encontram visíveis nas plantas da época.

Por fim, salientou-se o carácter salutar das relações inter-institucionais (Instituto Português de Arqueologia, Instituto Português do Património Arquitectónico – IGESPAR, Museu da Cidade de Lisboa e Gabinete Técnico de Alfama, Promotor do Empreendimento e ERA-Arqueologia) que se desenvolveram ao longo de todo o processo.