Travessa do Ferreiro – Lapa, Lisboa

O acompanhamento arqueológico efectuado no âmbito da abertura de uma vala para a colocação de infraestruturas eléctricas (instalação de cabos de baixa e média tensão) ao longo da Travessa do Ferreiro (Alto Cova da Cova da Moura) – Lapa, em Lisboa, teve lugar entre os dias 23 e 25 de Julho de 2007.

Os trabalhos preventivos de acompanhamento arqueológico permanente durante as movimentações de terras visaram a detecção de eventuais vestígios arqueológicos, que poderiam ser afectados negativamente por trabalhos decorrentes de obras; a sua caracterização em termos de valor científico e patrimonial; a actualização da “base de dados estratigráfica”; e o mapeamento e registo das eventuais presenças. 

A estratigrafia revelou-se simples, com pouca potência de terra, sendo relativa a contextos recentes/contemporâneos (meados do séc. XX). Estes reportam-se a diferentes intervenções realizadas no mesmo espaço físico, mas num curto intervalo de tempo, correspondendo à sobreposição de tubagens de cabos e à travessia destes por outras tubagens. Os materiais provenientes dos sedimentos levantados reforçaram esta observação. Nalguns pontos da vala (à frente do nº 21), observou-se a presença de tijolos de burro com restos de argamassa e fragmentos de azulejo azul e branco.

Neste sentido, consideraram-se cumpridos os objectivos inicialmente propostos no plano de trabalhos, não se tendo detectado a presença de vestígios arqueológicos na área afectada pela vala.