Praça Duque da Terceira, nº 20, Lisboa

Os trabalhos arqueológicos realizados, em 2007, no edifício nº 20 da Praça Duque da Terceira, em Lisboa, visaram o acompanhamento das remoções de terras efectuadas para a remoção do pavimento deste local. Posteriormente seria efectuada uma pequena escavação de cerca de cinquenta centímetros para se colocar a preparação do novo pavimento.

Do acompanhamento arqueológico efectuado resultou a identificação de um pavimento lajeado associado a uma estrutura ou muro em alvenaria. Agregados a estas estruturas, temos ainda a existência de aterros pós-terramoto de 1755, que apresentavam as mesmas características materiais e composicionais de contextos da mesma época identificados noutras intervenções.

Com efeito, a nível material, estes corresponderam ao típico aterro efectuado em zonas deste tipo em épocas após o terramoto. Ainda que estes vestígios estivessem completamente descontextualizados arqueologicamente, verificámos que as faianças de pastas amareladas remetiam para cronologias mais antigas e que o numisma se tratava de cinco reais do reinado de D. João V.

Assim, foram efectuados os registos gráfico e fotográfico das estruturas identificadas, bem como a sua limpeza prévia, que consistiu na remoção de algumas terras soltas que se encontravam por cima das mesmas. Para protecção das estruturas, foi colocada uma manta de geotêxtil por cima, antes de se efectuar um novo aterro, que serviria para nivelar a área antes da colocação do novo pavimento.