Barragem de Picote, Miranda do Douro

Os trabalhos arqueológicos realizados, em 2007, durante a construção do reforço de Potência da Barragem de Picote, em Miranda do Douro, consistiram na observação de todas as movimentações de terras, mecânicas ou manuais, decorrentes desta empreitada. Desta intervenção também resultou a realização da memória descritiva do conjunto arquitectónico da Barragem, que compreende todos os seus edifícios anexos, de transformação e sociais.

No decurso dos trabalhos, face à primeira medida de carácter geral a implementar descrita pela Declaração de Impacte Ambiental, foram efectuadas acções de formação para a sensibilização dos trabalhadores quanto à particular atenção em relação aos valores patrimoniais em presença na obra e às medidas cautelares estabelecidas para os mesmos.

Não se detectaram realidades arqueológico-patrimoniais, pelo que não foram tomadas medidas de minimização dos impactes negativos da obra sobre esses possíveis achados. Efectuaram-se acompanhamentos arqueológicos em todas as acções mecânicas ou manuais que decorreram no subsolo, nas áreas onde estas se desenvolveram e suscitaram interesse arqueológico.

As áreas referidas foram as seguintes: instalações sociais e posterior alargamento para escritórios, posto médico e respectivo acesso, acesso à restituição, entrada da Galeria de acesso à Central e Escombreira. Todas estas zonas foram acompanhadas separadamente e de acordo com o ritmo desenvolvido pela própria obra, dando desta forma resposta às necessidades decorrentes da empreitada.