Rua das Flores, nº 171 a 177, Porto

O acompanhamento arqueológico realizado no âmbito das obras de reabilitação de um edifício sito na Rua das Flores nº 171 a 177, em área classificada do centro histórico do Porto, decorreu entre 12 de Julho e 8 de Outubro de 2007. Este imóvel revela-se de uma extrema importância para o conhecimento local, regional e nacional dos períodos medievo e moderno, uma vez que nele se integra o antigo Hospital D. Lopo.

A intervenção enquadrou-se numa perspectiva de minimização de impactes patrimoniais, reconhecimento e detecção de eventuais vestígios arqueológicos durante a empreitada de recuperação do piso do rés-do-chão e no logradouro de um piso superior, onde se situa o Claustro do Hospital D. Lopo. Verificou-se, porém, que as obras neste imóvel não tiveram impacto quer sobre o património edificado, quer sobre o património soterrado.

Na realidade, os trabalhos de remoção de terra na zona mais sensível do edifício (zona do antigo Hospital D. Lopo) foram circunscritos à Zona Sul do Claustro do Hospital e não ultrapassaram os 30 cm de profundidade, incidindo sobre um aterro marcadamente contemporâneo. Após estes 30 cm surgiram vestígios (Zona Sudoeste do Claustro) do Lajeado pristino que é equivalente ao Lajeado da Zona Norte do Claustro, evidência desenhada em Plano Final à escala 1/20. Os materiais recolhidos foram parte integrante do aterro, constituindo-se como marcadamente contemporâneos.

Do mesmo modo, foi realizado um levantamento fotográfico integral das paredes do Claustro; no entanto, tendo em conta que não foram objecto de picagem, não foi possível efectuar um levantamento da estratigrafia arquitectónica. Relativamente à execução de valas no R/C do prédio, verificou-se que o piso assentava directamente sobre o substrato geológico, sendo, portanto, inexistentes os impactes sobre o património.