Imóveis Arquitectónicos e Arte Rupestre (preservação), Sabor

A ERA-Arqueologia concretizou, em 2008, o anteprojecto relativo à Preservação In Situ dos Imóveis Arquitectónicos e dos Maciços com Arte Rupestre, no âmbito dos estudos a desenvolver na fase de concurso do Aproveitamento Hidroeléctrico do Baixo Sabor. A preservação inseriu-se no cumprimento das medidas de minimização do RECAPE, em conformidade com o estabelecido na DIA.

A aplicação desta medida permitiria manter in situ um conjunto de elementos materiais e de vestígios de arte rupestre, considerados relevantes para a continuidade da sua existência física, garantindo uma maior capacidade de resistência à submersão e possibilitando a sua eventual reapreciação posterior.

Gravura rupestre.

A nível do anteprojecto, abordou-se o seguinte: caracterização e diagnóstico da situação actual em termos de condições de estabilidade e conservação; levantamento fotográfico; peças escritas que descrevessem e justificassem as soluções adoptadas; descrição dos sistemas, métodos e processos de trabalho, bem como as características técnicas dos materiais e equipamentos a utilizar; programa geral de trabalhos, incluindo as fases de estudos e projectos a elaborar; avaliação das quantidades e tipo de trabalho a realizar e respectivos mapas; orçamento preliminar da obra.

As soluções a adoptar para cada um dos sítios caracterizados – num total de 14, entre imóveis e maciços – entraram em linha de conta com a importância patrimonial, estado de conservação e grau de afectação a que iriam ser sujeitos. Tal equação levou, como se referiu, à definição de medidas de minimização de impacte a adoptar, colocando todos os sítios em situação de serem adoptadas medidas que garantissem a sua preservação futura, no novo contexto que seria criado aquando da construção do empreendimento.