Sítio de Alto da Pacheca, Alcochete

Os trabalhos de diagnóstico arqueológico efectuados no âmbito do projecto de construção dos sistemas de drenagem do subsistema de Alcochete, Alfonsoeiro e Sexalinho decorreram entre 3 e 7 de Setembro de 2007. Visou-se a avaliação e diagnóstico do impacte do traçado sobre o sítio de Alto da Pacheca, no sentido de determinar a necessidade da aplicação de medidas minimizadoras de maior amplitude.

Assim, a intervenção almejou a identificação e caracterização de contextos arqueológicos, bem como fazer uma avaliação do seu valor patrimonial e científico, no sentido de decidir se os trabalhos seriam suficientes como medida de mitigação de impacte. Para o efeito, foram realizadas sete sondagens no sítio de Alto da Pacheca, localizado sobre um depósito de terraço de origem fluvial, numa área total de 300 m2.

Foram recolhidas cerca de 442 peças arqueológicas, entre núcleos, lascas e fragmentos de cerâmica. O estado do material arqueológico indicou ter sido sujeito a um processo de arrastamento muito longo, sendo difícil encontrar-se in situ. Tipologicamente, pôde ser enquadrado dentro das indústrias líticas do Paleolítico Médio, com a cerâmica encontrada a abarcar, contudo, os períodos moderno e contemporâneo.

Dado os resultados obtidos e o grau de conservação do sítio, considerou-se a amostra suficientemente representativa para a caracterização da estação. Além disso, a recolha sistemática de materiais durante o acompanhamento apresentou-se como a medida mais indicada, permitindo a recolha de materiais e informação apenas em termos quantitativos.

Deste modo, o parecer técnico foi favorável à continuação da obra, dado o nível de afectação dos depósitos escavados, onde os materiais se encontram deslocados da sua posição original. Porém, revelou-se necessário o acompanhamento arqueológico permanente de forma a assegurar a recolha de materiais ou, ainda que pouco provável, a localização de contextos preservados.