Rua Dr. Miguel Bombarda, nº 61-64, Tavira

Os trabalhos arqueológicos realizados na Rua Dr. Miguel Bombarda, nº 61-64, em Tavira, inseriram-se numa perspectiva de minimização de impactes patrimoniais face aos trabalhos de movimentações de terras previstos no âmbito da empreitada de reabilitação deste edifício. Neste sentido, concretizaram-se, entre 10 e 26 de Março de 2008, quatro sondagens de diagnóstico.

Na Sondagem 1 foram identificadas diversas estruturas positivas, eventualmente do período Moderno, e uma estrutura negativa cuja funcionalidade não foi possível determinar nesta fase dos trabalhos. Esta poderia estar relacionada com um antigo poço, uma vez que apresentou um diâmetro demasiado largo para poder tratar-se de um silo (a não ser que este estivesse destruído).

Na Sondagem 2 os níveis mais antigos estão relacionados com a construção de dois buracos de poste num período cronológico passível de ser atribuído à Baixa Idade Média/princípios do período Moderno. As Sondagens 3 e 4, após a remoção dos pavimentos actuais, não revelaram vestígios arqueológicos preservados.

Assim, propôs-se como medida de minimização o acompanhamento arqueológico permanente sempre que se verificassem movimentações de terra no subsolo, eventual picagem e/ou demolições de paredes. Não obstante esta medida, considerou-se fundamental, atendendo aos vestígios registados nas sondagens 1 e 2, a escavação arqueológica manual na área afecta à construção da piscina (zona do pátio) até à cota de afectação do projecto de execução da obra.