Largo de Santos, nº 11, Lisboa

Os trabalhos arqueológicos desenvolvidos no Largo de Santos, n.º 11, em Lisboa, inseriram-se numa perspectiva de diagnóstico e estudo prévio no âmbito do projecto de construção imobiliária protagonizado pela EDIFER. De acordo com o PDM, este edifício encontra-se numa Zona de Nível 2, cuja intervenção no local exige um acompanhamento permanente de carácter arqueológico.

No entanto, o promotor da obra optou por realizar uma intervenção arqueológica prévia que permitisse avaliar o potencial arqueológico daquela zona. Neste sentido, foram realizadas três sondagens mecânicas na área a afectar, com o objectivo de avaliar o potencial patrimonial.

A primeira não revelou nenhum vestígio de carácter arqueológico e patrimonial. Relativamente à segunda, foi identificado um muro composto por pedra calcária, assim como uma calçada em basalto (ambos sem materiais associados). Na última sondagem, foi detectada a continuação do muro previamente identificado numa vala anteriormente aberta no âmbito da empreitada, assim como uma parede perpendicular àquela.

Para além das estruturas referidas, foram ainda registadas (a Sudeste) uma caleira de esgoto em calcário e uma soleira de porta (a Sul) associada a uma possível parede com vestígios de estuque e algum cimento. Recolheram-se também alguns materiais, nomeadamente, cerâmica comum e vidrada, faiança, sílex, cravos e um exemplar numismático.