Igreja de Nossa Senhora do Carmo, Lagos

A intervenção de conservação e restauro levada a cabo na Igreja de Nossa Senhora do Carmo, em Lagos, sobre elementos de cantaria, azulejos e madeira policroma, foi adjudicada à ERA-Arqueologia pela Planirest. Os trabalhos de campo decorreram durante o Verão de 2009.

O objectivo genérico foi a recuperação do referido património integrado no edifício, para que pudesse ser usufruído pelos visitantes do local. A par, foi implementada uma estratégia de intervenção que garantisse a preservação do património para o futuro, dentro das normas definidas internacionalmente.

A partir da regularização dos componentes materiais dos objectos, conferiu-se ao património integrado maior estabilidade físico-química, efectuada através de limpezas, intervenções estruturais e acabamentos finais. Uma estrutura descontínua devido a faltas ou deformações, bem como suja com depósitos estranhos ao material original, está sujeita ao desencadeamento de alterações mais aceleradas.

Com efeito, no caso de elementos imóveis integrados em património arquitectónico, a solução passa pela sua manutenção permanente através de acções directas sobre o objecto, como, por exemplo, limpezas e desinfestações regulares e uma observação e registos sistemáticos da evolução do seu estado de conservação.

O monumento deveria então ser alvo de uma observação regular, tendo os elementos de património integrado ficado estabilizados em Setembro de 2009. A evolução do seu estado de conservação poderia ser avaliada a partir desta data, medindo e contabilizando alterações na situação de referência criada.