Largo de São Rafael, n.° 6 a 10, Alfama

Esta intervenção visou a minimização de impactes sobre o património arqueológico decorrentes da implementação de um projecto de reabilitação no Largo de São Rafael, n.° 6 a 10, em Alfama. Situado na Zona de Protecção do Castelo de São Jorge e resto das Cercas de Lisboa, o edifício a reabilitar encontra-se inserido num local de grande potencial arqueológico, em zona de Nível 1 do PDM de Lisboa.

Os dados recolhidos na escavação arqueológica na área do elevador a instalar apontaram para realidades relativamente recentes (séc. XX). Apenas foram retirados os enchimentos das valas utilizadas para colocação das duas canalizações e estruturas associadas, sendo depósitos já muito revolvidos, o que explica a fraca presença de materiais arqueológicos.

Não fora as intervenções recentes no subsolo do edifício, seria de esperar o surgimento de enterramentos, em virtude de o edifício ter sido em tempos uma igreja do período medieval. Os restos ósseos humanos encontrados num dos depósitos indicaram a possibilidade de um enterramento, muito provavelmente destruído pela abertura das valas, tendo o seu conteúdo sido destruído e incorporado (já fragmentado) no enchimento das mesmas.

Em relação à análise parietal, a existência da técnica de construção em "gaiola" na construção da parede comprovou as informações fornecidas pelos dados históricos: destruída durante o grande terramoto de 1755, a antiga igreja de São Pedro foi reconstruída em 1757, tendo sido aplicadas as técnicas construtivas contemporâneas do período pombalino.

Com efeito, os resultados obtidos demonstraram que a área do edifício sofreu transformações que alteraram e destruíram realidades pré-existentes. Apenas se verificaram níveis de revolvimento e entulho, mantendo-se a estrutura (paredes) do edifício relativamente inalterada desde a sua construção. Não se preconizaram medidas de minimização adicionais.