Rua do Infante D. Henrique, nº 35, Porto

Os trabalhos de acompanhamento arqueológico e registo tipológico do edificado na obra de reabilitação do nº 35 da Rua do Infante D. Henrique decorreram nos dias 10 e 12 de Novembro de 2010. Registado pelo Gabinete de Arqueologia Urbana da Câmara Municipal do Porto (GAU), este edifício confronta a Sul com o Arquivo Municipal da Casa do Infante.

A intervenção visou a minimização de impactes patrimoniais das obras numa zona condicionada da cidade (ZAP 01 – Conjunto Classificado da Zona Histórica do Porto), nos termos do disposto no regulamento do PDM do Porto. O prédio em questão situa-se na zona da “Ribeira do Porto”, classificada como Património Mundial pela “United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization” (UNESCO).

A pré-avaliação realizada determinou que, tendo em conta o reduzido impacte do projecto, a medida de minimização de impacte passaria pelo acompanhamento arqueológico de movimentações de terras ou outras acções com afectação do subsolo ou de elementos de carácter patrimonial. O caderno de encargos determinou ainda a realização do registo tipológico do edificado, eventualmente relacionado com uma antiga casa torre da época medieval (levantamento das paredes laterais e de topo do r/c e do 1º andar).

Durante o acompanhamento arqueológico, não se verificaram impactos significativos quer sobre elementos arqueológicos, quer sobre elementos arquitectónicos do edifício. De facto, apenas foi demolido um forno recente adossado a uma das paredes do edifício, não tendo provocado qualquer afectação na mesma.

Quanto ao registo tipológico do edificado, bem como a sua interpretação e análise construtiva e cronológica, os alçados analisados permitiram aferir que o edifício, apesar da aparente uniformidade, evidencia dois momentos de significativas alterações arquitectónicas, testemunhando uma sucessiva adaptação às novas exigências de organização dos espaços habitacionais.