Cidadela de Cascais (registo ortofotográfico)

Na sequência de uma reunião realizada no dia 17 de Junho de 2010, ficou acordada a realização do registo ortofotográfico da Porta de Mar da Cidadela de Cascais. O objectivo foi a preservação, pelo registo, daquele elemento arquitectónico, dado que o tecto da referida estrutura seria alvo de afectações no âmbito da empreitada de reabilitação da Cidadela.

Foram realizados os levantamentos, com recurso à ortofotografia, das superfícies em causa, nomeadamente duas paredes laterais, a parede do topo e a cobertura. Procedeu-se à recolha de pontos de descontinuidade das superfícies com um aparelho Leica TCRM 1105 (que permite o armazenamento de coordenadas sem recursos a alvos reflectores) e a processos fotogramétricos digitais, monocárpicos ou estereoscópicos, conforme as situações, de forma a garantir as tolerâncias deste trabalho. O levantamento fotográfico foi realizado com máquina digital calibrada (Nikon 5400).

Decorrer dos trabalhos.

O processamento dos dados foi executado com recurso a programas informáticos (Leica SurvyOFFICE – edição e tratamento de pontos coordenados, PHOTOMODELER PRO 5 – rectificação de imagens, AutoCAD – produção de desenho), tendo o trabalho final sido apresentado em suporte papel e em digital DWG. As superfícies foram integralmente registadas por ortofotografia, sendo desenhadas secções representativas dos vários tipos de técnicas construtivas identificadas e elementos arquitectónicos mais relevantes.

Concluído o registo ortofotográfico, consideraram-se cumpridos os objectivos, particularmente o da preservação pelo registo da estrutura da Porta de Mar, afectada ao nível do tecto pela construção de um dos quartos da Pousada. Note-se que os registos executados permitiriam, no futuro, a realização de trabalhos de análise de estratigrafia vertical ou reconstituições a 3D. Neste sentido, propôs-se a libertação da área para a normal continuação da empreitada.