Viaduto do Rio Sado, Lanço B, subconcessão do Baixo Alentejo

Os trabalhos realizados, em 2011, nas fundações do Viaduto do Rio Sado enquadraram-se no âmbito da minimização de impactes sobre o património arqueológico resultantes da execução do Lanço B da auto-estrada que integra a subconcessão do Baixo Alentejo, correspondendo à aplicação das medidas definidas em RECAPE.

Estava prevista a abertura de 11 sondagens mecânicas, incidindo na área das fundações do viaduto, num total de 110 m2. No entanto, foi apenas possível realizar 10, dado que a última sondagem programada se encontrava inacessível ao balde da máquina devido à presença de um sobreiro, para o qual não existia autorização para abater. Desta forma, foram intervencionados 100 m2, distribuídos por 10 sondagens de diagnóstico.

A intervenção revelou a inexistência de vestígios de carácter histórico/arqueológico, pelo que se preconizou o acompanhamento arqueológico cuidado de todas as actividades que implicassem a remoção de terras no local.