Igreja Matriz de Grândola

O acompanhamento arqueológico do empreendimento dos “Arranjos Exteriores da Igreja Matriz de Grândola”, na Praça Marquês de Pombal (Grândola), realizou-se entre os dias 10 e 14 de Setembro de 2012. A Igreja Matriz encontrava-se em vias de classificação como Monumento de Interesse Público (MIP), decorrendo também a fixação da respectiva Zona Especial de Proteção (ZEP), sendo esta uma área com potencial arqueológico.

Considerando a sensibilidade da zona de intervenção, os trabalhos arqueológicos asseguraram a não afectação do subsolo, sendo o projeto limitado à tarefa de repavimentação da área envolvente da Igreja Matriz. Procedeu-se, portanto, à remoção do pavimento original, seguida da terraplenagem do solo para preparação da caixa de suporte ao novo pavimento.

Durante os trabalhos de terraplenagem surgiu um conjunto de vestígios osteológicos humanos heterogéneo, que se encontravam desagregados e depositados aleatoriamente e sem qualquer conexão anatómica. Visto que não seria necessária a afectação da área, decidiu-se, após a consulta da tutela, selar o achado através da colocação de manta geotêxtil e areão, para depois ser construída a caixa de sustentação do pavimento.