Escola Luísa Ducla Soares, Rua do Passadiço, n.º 86, Lisboa

Efectuada em 2015, esta intervenção surgiu da necessidade de avaliação, em termos arqueológicos, da realização de poços de inspecção estrutural e geotécnica na Escola Luísa Ducla Soares, localizada na Rua do Passadiço, n.º 86, em Lisboa, no âmbito de um projecto de reabilitação do espaço, efectuados sem a presença de um arqueólogo.

Foram escavados 9 poços geotécnicos, sendo as suas dimensões e profundidades variáveis de poço para poço, abrangendo uma área total de 16,42m². Nos poços 1 e 4, para além de depósitos de aterros, foi possível a identificação de vários pisos de cronologia possivelmente moderna/contemporânea, nomeadamente, uma calçada de seixos de quartzito e um piso em tijoleira no poço 4, e um outro piso em lajes de calcário no poço 1.

No poço 5, para além dos aterros de cronologia contemporânea, foi identificado um possível nível de lixeira, observando-se a presença frequente de carvões e restos ósseos de fauna. A nível cronológico, poderia apontar-se para uma datação moderna/contemporânea, tendo em conta os outros contextos identificados neste poço e alguns fragmentos de faiança recolhidos do corte.

Apenas no poço 8 foi encontrada uma estrutura aparentemente não relacionada com o edificado actual, referindo-se a um possível muro em alvenaria, não tendo este sido afectado durante os trabalhos de escavação. A sua cronologia é desconhecida, dado que se encontrava directamente coberta por contextos contemporâneos e cobria um depósito natural, não se tendo identificado a sua vala de fundação.

Nos restantes poços (2, 3, 6, 7, e 9), apenas foram identificados níveis de aterro de cronologia moderna/contemporânea e depósitos de origem natural. Face ao exposto, e de acordo com ofício da DGPC, “deverá caracterizar-se melhor a referida estrutura [da sondagem 8], através duma sondagem realizada a partir do alargamento da área já sondada pela abertura do poço 8, aquando do acompanhamento arqueológico da obra”.