Recuperação e requalificação da antiga igreja do Convento da Graça, Loulé

Os trabalhos arqueológicos incedem sobre o antigo convento de São Francisco, também conhecido como antiga Igreja do Convento da Graça. A sua fundação deve-se aos frades Fransciscanos provenientes da Andaluzia e é datada entre os anos de 1253 e 1267. A sua vida como Mosteiro dos Franscisvanos prolongou-se até ao ano de 1567. Posteriormente conheceu mais dois ciclos de utilização. Entre 1568 e 1834 foi entregue à Ordem dos Ermitas de Santo Agostinho e o seu patrono passou a ser a Nossa Senhora da Graça, que ainda se mantém. Neste período a estrutura do imóvel foi bastante danificada pelo terramoto de 1755, tendo sido derrubado grande parte do edifício. Com a extinção das ordens religiosas passa para privados em 1834 o que originou muitas perdas e destruições em pinturas, livros, jóias e estruturas arquitectónicas. A igreja transformou-se em rua e quintal, as capelas, sacristias e claustro foram ocupadas com construções novas que desvirtuaram a Igreja e o Convento, acabando por ser pacialmente demolidas a sua capela-mor. 

Hoje o espaço da Igreja é uma rua pública por onde, através do seu portal voltado para o Largo Tenente Cabeçadas, pela qual se acede a anexos e logradouros de habitações particulares. Nesta área pode ainda observar-se diversos elementos arquitectónicos como colunas, arcos e elementos decorativos que faziam parte da capela-mor demolida e que se encontram adossados às paredes das habitações particulares.

Os trabalhos arqueológicos inserem-se no âmbito do projecto de recuparação do Portal da antiga Igreja do Convento da Graça e à requalificação do seu espaço interior a realizar pelo Município de Loulé. A intervenção da Era-arqueologia tem como objectivo uma análise arqueológica completa do espaço que inclui a realização de sondagens arqueológicas, acompanhamento arqueológico permanente e leitura e análise parietal dos paramentos da antiga Igrreja. 
Até ao momento a equia de arqueologia e antropologia biológica descobriu já várias sepulturas, incluindo restos de enterramentos e de ossários.