Palácio Mesquitela, Lisboa

Realizada entre 26 e 29 de Janeiro de 2009, e adjudicada pela Paço Investimentos Imobiliários S.A., esta intervenção surgiu na sequência de trabalhos de acompanhamento arqueológico realizados no Palácio Mesquitela, em Lisboa, que revelaram contextos relevantes para a compreensão da ocupação deste espaço.

Foi implantada uma sondagem arqueológica (2 m X 2 m) numa área onde já tinha sido identificado um contexto de potencial lixeira de época moderna, no sentido de averiguar a sua real natureza. No decorrer deste labor foram identificados três depósitos sobrepostos que pertenceriam à realidade considerada como lixeira, a qual, pela análise dos materiais identificados, teria sido formada na primeira metade do século XVII.

Este contexto é de extrema importância para a história da vida quotidiana do palácio, na medida em que expressa gostos, modas, capacidade económica e hábitos alimentares de uma época, em geral, e dos habitantes do Palácio Mesquitela, em particular. Já os muros e a canalização identificados no decorrer do acompanhamento são de uma época posterior, colocando-se a hipótese de estarem relacionados com uma cozinha construída no século XVIII.

No tocante a medidas de minimização, preconizou-se, decorrente dos resultados obtidos da escavação da sondagem 1, a escavação manual integral de toda a área onde foram identificados os depósitos que constituem a lixeira do século XVII.

 

Agosto - Outubro de 2010

 

No âmbito do projecto de reestruturação/reabilitação do Palácio dos Condes de Mesquitela, foi dada continuidade, entre os dias 3 de Agosto e 19 de Outubro de 2010, às acções de acompanhamento arqueológico que haviam sido interrompidos em Abril de 2009. Os trabalhos agora realizados permitiram conhecer realidades que se enquadram nos diferentes momentos de vida deste espaço, reveladores das dinâmicas ocupacionais entre os séculos XVI e XXI da nossa era.