Ruas Cândido dos Reis, 2 e 4, e do Arco de Santana, 1 e 3, Estoi, Faro

Realizada faseadamente entre Fevereiro e Julho de 2010, esta intervenção baseou-se no acompanhamento arqueológico das obras de reestruturação do edifício sito na Rua Cândido dos Reis, nº 2 e 4 e Rua do Arco de Santana, nº 1 e 3, em Estoi, concelho de Faro. No decorrer destes trabalhos foi possível identificar as várias fases construtivas do edificado.

A evidência mais antiga da ocupação do espaço verificou-se no compartimento 7, com a identificação de duas sepulturas que poderão estar relacionadas com a Igreja Matriz de Estoi, dedicada a São Martinho desde a Baixa Idade Média. Tendo em conta que o projecto de obra foi alterado de forma a não afectar os contextos funerários, procedeu-se ao registo gráfico e fotográfico e à cobertura com manta geotêxtil.

Com o terramoto de 1755 assiste-se a grandes operações de reconstrução e construção. Assim, até finais do século XVIII terá ocorrido uma expansão para nascente do aglomerado urbano de Estoi, com o surgimento das Ruas do Arco de Santana, Visconde de Estoi e Poeta Emiliano da Costa. Deve começar nesta altura a primeira ocupação habitacional do espaço, com a construção dos compartimentos 8 e 16.

Já em pleno século XIX terá sido construída a moradia de piso térreo no cruzamento das Ruas Cândido dos Reis e do Arco de Santana. Finalmente, a última fase identificada corresponde à campanha de obras que ligou os dois núcleos anteriormente referidos, assim como da construção do primeiro e segundo pisos, que terá ocorrido em meados do século XX, atestado pela existência de escaiola na decoração do compartimento 4.