Estação do Areeiro, Linha Verde do Metropolitano de Lisboa

Os trabalhos de acompanhamento arqueológico realizados no âmbito da Empreitada ML 657/05 “Ampliação e Remodelação (Toscos, Acabamentos, Baixa Tensão e Telecomunicações) da Estação do Areeiro da Linha Verde do Metropolitano de Lisboa E.P.E.“ foram adjudicados à ERA pela Hagen SA no ano de 2009 e prolongaram-se de forma periódica até 2012.

O levantamento patrimonial efectuado em 2009 mostrou a inexistência de património classificado na área do projecto, por um lado, e o desconhecimento total sobre a existência de património arqueológico, por outro. De facto, a zona do Areeiro localiza-se a cerca de 3 km a Norte do casco histórico da cidade de Lisboa, onde se sobrepõem as ocupações da Idade do Ferro à Idade Moderna.

A ocupação humana nesta área da cidade terá começado com a construção do caminho-de-ferro, a Linha de Cintura que liga a Linha do Norte à Linha de Cascais, nos finais do século XIX. Mais tarde, já na primeira metade do século XX, a cidade expande-se mercê da necessidade de construção habitacional, algo coadjuvado pelo alargamento da linha do metropolitano nos anos 1950/60.

O acompanhamento arqueológico realizado às obras de alargamento da estação do metro do Areiro veio, de forma inequívoca, corroborar esta narrativa, porquanto não foram registados nenhuns elementos arqueológicos estruturais ou artefactuais, contextualizados ou não, de cronologia anterior ao século XX. Aliás, os elementos estratigráficos disponíveis sugerem que aquando das obras de construção do Bairro do Areeiro toda a área terá sido terraplanada ao nível do substrato geológico, na medida em que não foi registada nenhuma camada de origem natural que constituísse o subsolo e solo originais da zona.

Pelo contrário, a estratigrafia observada demonstrou a existência de uma camada de aterro de formação antrópica, com elementos artefactuais contemporâneos, como tijolo e fragmentos de cimento, directamente sobre o substrato geológico e sob os diversos pavimentos actuais. Face ao exposto, consideram-se cumpridos os objectivos apresentados em Plano de Trabalhos.