Estações Amadora-Este e Reboleira, Linha Azul do Metropolitano de Lisboa

Efectuada entre Outubro de 2009 e Dezembro de 2010, esta intervenção consistiu no acompanhamento arqueológico das diferentes frentes de obra integradas na Empreitada ML671/07 - Concepção/Construção dos Toscos do Prolongamento entre a Estação Amadora-Este e a Estação da Reboleira, da Linha Azul do Metropolitano de Lisboa, adjudicada à Nova Estação ACE.

O acompanhamento decorreu apenas em duas Frentes de Obra distintas (Frente 1 e Frente 4); as Frentes 2 e 3 (troços em túnel) não foram objecto de acompanhamento arqueológico dado que incidem em níveis claramente geológicos e estéreis do ponto de vista arqueológico. De um modo genérico, não foram identificados vestígios arqueológicos muito relevantes, não havendo necessidade de interrupção das actividades construtivas.

Os elementos artefactuais identificados são cerâmicos e avulso. O conjunto é reduzido (cerca de doze peças no total, correspondendo, apenas, quatros fragmentos a bordos), muito fragmentado ou mesmo incaracterístico e, por vezes, bastante rolado, do qual pouca informação cronológica se pôde extrair. Aliás, os elementos cerâmicos que poderiam fornecer elementos de datação apresentam-se muito fragmentados ou associados, maioritariamente a contextos secundários de deposição. Neste sentido, optou-se por não se recolher a generalidade dos materiais, porém, os elementos observados foram sempre referidos nas fichas de acompanhamento.

No decurso desta empreitada foi possível documentar e registar o resto de um dispositivo agrícola, na Frente 1, e, possivelmente, um segmento de um caminho antigo, estruturado, na Frente 4. Com vista à apresentação pública dos resultados obtidos, foi elaborado o poster “O Acompanhamento Arqueológico do Prolongamento da Linha Azul entre Amadora-Este e Reboleira, do Metropolitano de Lisboa, E.P.E.” no âmbito da 1º Conferência da Rede de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactes (Lisboa, 2010).

Considerou-se, assim, garantida a operacionalização e, consequentemente, o cumprimento da Declaração de Impacte Ambiental e do Plano de Monitorização Ambiental, na fase de construção do Prolongamento da Linha Azul entre a Estação Amadora-Este e a Estação da Reboleira, do Metropolitano de Lisboa, E.P.E., relativamente ao factor ambiental Património Arqueológico.