Rua da Bica de Duarte Belo e Outras - EPAL (PPF 11)

Esta intervenção enquadrou-se nos trabalhos de renovação da rede de distribuição de água da cidade de Lisboa do Plano de Perdas e Fugas (PPF 11) da EPAL. O acompanhamento arqueológico realizou-se, entre 1 de Novembro de 2003 e 20 de Setembro de 2004, em duas frentes de obra: Rua da Bica de Duarte Belo (e ruas envolventes) e Rua dos Poiais de S. Bento (e ruas envolventes).

O objectivo fundamental foi minimizar o impacte das obras de implementação do PPF 11 sobre o património arqueológico. Durante a remoção de terras constatou-se que o subsolo se encontrava revolvido por diversas intervenções relacionadas com a instalação de infra-estruturas pré-existentes.

Apesar do acompanhamento arqueológico do PPF 11 se localizar na Zona de intervenção de Nível 2 do Plano Director Municipal da Cidade de Lisboa, não foram detectadas quaisquer estruturas de interesse arqueológico. Todas as frentes se inseriram em zonas que sofreram um grande crescimento e desenvolvimento entre os séculos XV e XVIII, facto que foi reforçado pelos materiais arqueológicos recolhidos, que apontaram para cronologias enquadráveis entre os séculos XVII-XX.

Ao longo da abertura de valas estiveram presentes níveis de entulho, de onde surgiram os materiais arqueológicos. Estes revolvimentos de terras, por sua vez, relacionaram-se com os trabalhos de reconstrução Pombalina e com a instalação das antigas infra-estruturas.

Foram cumpridos os objectivos que se prendiam com a minimização do impacte e salvaguarda do património arqueológico e histórico. Apesar de não se ter encontrado nenhum tipo de estrutura arqueológica, confirmou-se a necessidade dos trabalhos de acompanhamento arqueológico. Note-se que, quer do ponto de vista científico, quer em termos de ordenamento do território, é tão importante o conhecimento da ausência como da presença de um determinado dado arqueológico.