Calçada do Duque e Travessa de João de Deus

As sondagens arqueológicas realizadas, em 2005, na Calçada do Duque e na Travessa de João de Deus, em Lisboa, inseriram-se no âmbito do PPF24 (EPAL). Decorreram numa perspectiva preventiva de impactes sobre o património arqueológico resultantes da abertura de valas para implantação de tubagem, tendo como objectivo a avaliação do potencial arqueológico da área referida.

Inicialmente estavam programadas dez sondagens, sete na Calçada do Duque e três na Travessa de João de Deus. No entanto, no decorrer dos trabalhos, por opção do Dono de Obra (EPAL), verificou-se que não era necessário efectuar a sondagem 10 na Travessa de João de Deus, na medida em que a tubagem não passaria aí.

Não se registou qualquer contexto arqueológico preservado em nenhuma das oito sondagens realizadas na Calçada do Duque, verificando-se em todas elas a presença de infraestruturas recentes cuja obra implicou alteração do subsolo. Nas duas sondagens executadas na Travessa de João de Deus (sondagens 8 e 9) registaram-se junto ao lancil estruturas de alvenaria, cuja funcionalidade ou cronologia não foi possível determinar.

A inexistência de contextos arqueológicos preservados nas sondagens efectuadas, até à cota alcançada, não invalidou que no restante traçado e a cotas mais profundas se pudessem registar este tipo de realidades, devendo por isso ter um acompanhamento arqueológico permanente.