EPAL (PRR 64) - Avenida Infante D. Henrique, Lisboa

Entre 7 e 28 de Dezembro de 2006, a ERA-Arqueologia realizou o acompanhamento arqueológico da abertura da vala para substituição de uma conduta da EPAL na Avenida Infante D. Henrique, em Lisboa. A empreitada decorreu ao longo de 132 metros, entre o Campo das Cebolas e o Terreiro do Paço, inserindo-se na Zona Nível 2 do PDM de Lisboa, o que obriga a um cuidado particular no que diz respeito às intervenções no subsolo.

O acompanhamento incidiu de maneira minuciosa sobre todas as situações onde se verificou levantamentos de terras (abertura de vala), de forma a evitar a destruição de eventuais vestígios patrimoniais ou de interesse arqueológico. Os trabalhos ficam indubitavelmente ligados à profusa quantidade de travessias que denotam um profundo remeximento do subsolo nesta área. Daqui resultou uma ausência de realidades de cariz arqueológico.

Ainda na interpretação estratigráfica, o depósito mais atestado foi o de aterro ou entulho. Este confundiu-se com os entulhos utilizados para aterrar as diversas tubagens aí existentes, verificando-se na sua constituição a presença de poucos elementos pétreos, bem como materiais arqueológicos, tendo sido identificado até aos 2,10 metros de profundidade.

Assim, concluiu-se que os trabalhos de acompanhamento arqueológico do PRR 64 corresponderam à eficaz aplicação de uma medida de minimização de impacte, cumprindo os seus objectivos gerais e o enquadramento legal em vigor.