Diagnóstico Arqueológico

Complexo Arqueológico dos Perdigões

Classificado como Monumento Nacional, os Perdigões são um grande complexo arqueológico abrangendo uma área de cerca de 20 ha

Teatro Gregório Mascarenhas

Os trabalhos de arqueologia desenvolvidos pela Era-Arqueologia S.A., numa prespectiva preventiva e de minimização de impactos sobre o património arqueológico decorrentes da obra de reabilitação do edifício, permitiram a recolha de significativos dados relativos ao conhecimento da herança islâmica da cidade de Silves numa zona periférica relativamente aos espaços das antigas Medina e Alcáçova

Reabilitação Urbana do Centro Histórico de Silves

Esta intervenção teve como objectivo principal a realização de sondagens de diagnóstico no sentido de compreender o potencial científico e patrimonial deste espaço, tendo em vista a avaliação de impactes e a preconização de medidas de minimização relativamente aos trabalhos de Reabilitação Urbana do Centro Histórico de Silves levados a cabo pelo Programa Polis de Silves.

Mercado da Ribeira

A intervenção arqueológica no Mercado da Ribeira, pertencente à freguesia de S. Paulo em Lisboa, trouxe algumas conclusões sobre a ocupação do espaço onde, nos inícios do Século XX, foi construído o atual Mercado da Ribeira.

Convento das Bernardas

Os trabalhos de arqueologia realizados no antigo convento das Bernardas, Tavira, permitiram observar a dinâmica da evolução do espaço naquela zona da cidade, desde a construção do convento cisterciense nos inicios do século XVI até à sua transformação em Fábrica de Moagem e Massas a Vapor nos finais do século XIX.

Mercador - Bloco 5

O povoado do Mercador apresenta um potencial científico imensurável para o estudo do povoamento do 3º milénio a.C. na bacia do Guadiana, nomeadamente da sua margem esquerda.

Alcariais dos Guerreiros de Cima

A intervenção arqueológica nos Alcariais dos Guerreiros de Cima (Gomes Aires, Almodôvar) puseram à vista um conjunto único para a arqueologia rural islâmica na região e no Garb Al-Andaluz.

Almoinhas

A intervenção da Era Arqueologia S.A. enquadra-se numa perspetiva de prevenção e minimização de impactes sobre contextos arqueológicos afetos à obra da LIDL & Companhia, em Loures, correspondente ao sítio Romano da Villa das Almoinhas.

Casa do Governador, Belém, Lisboa

A unidade romana de produção de preparados de peixe da Casa do Governador da Torre de Belém é um complexo edificado em uma única fase de construção, de planta regular, com uma área total de 1525,08 m².

Marinha Baixa

No decurso do acompanhamento das obras, a cargo da SIMRIA S.A., de implantação do Sistema Multimunicipal de Saneamento da Ria de Aveiro e por deliberação do, já extinto, Instituto Português de Arqueologia, a Marinha Baixa foi objeto da realização de cinco sondagens arqueológicas efetuadas em duas fases nos anos de 1999 e 2000.

Praça Rodrigues Lobo

A intervenção na Praça Rodrigues Lobo permitiu a identificação de uma necrópole que insere-se no período medieval/moderno, sendo o estudo dos dados recolhidos durante a escavação arqueológica fundamental para a sua caracterização e, consequentemente, representa um contributo para o estudo das necrópoles deste período.

Barragem dos Minutos

Projecto de coordenação geral dos trabalhos arqueológicos que decorreu no âmbito de prevenção e minimização de impactes sobre o património arqueológico. Resultaram, deste âmbito, inúmeras intervenções a diversos níveis nos sítios localizados na área afectada pela obra.

Parque da Cidade de Lagos

Os trabalhos de acompanhamento arqueológico realizados em Lagos, na área a afectar pelas obras de construção de um parque de estacionamento subterrâneo, Parque da Cidade/ Anel Verde, da responsabilidade do Consórcio EL, S.A.

Palácio dos Lumiares

A intervenção no Palácio dos Lumiares decorreu de um projeto de reabilitação do edifício que permitiu vislumbrar a presença de um contexto cronologicamente situado entre o Mesolítico e o Neolítico Antigo.

Altas Moras 1 - Bloco 5

O sítio das Altas Moras 1 confirmou-se a ocupação daquela plataforma por comunidades que usavam recipientes cerâmicos de fabrico manual. Foram detectadas algumas estruturas arquitectónicas, como muros e lajeados, mas, ainda não é perceptível a organização espacial do habitat, nem é possível estabelecer uma cronologia para esta ocupação, ou relacionar os dados de superfície com a informação recolhida durante a escavação dos contextos.

Altas Moras 2 - Bloco 9

Embora a expectativa inicial fosse realizar uma escavação arqueológica num povoado, os resultados desta intervenção nas Altas Moras vieram confirmar a existência, neste local, de uma necrópole do Bronze Pleno, formada por duas sepulturas, e indicar a presença de um povoado, de cronologia indefinida, nas suas imediações.

Cerros Verdes 4 - Bloco 9

No âmbito do Plano de Minimização de Impactes sobre o Património Arqueológico na área do regolfo de Alqueva, foi criado um bloco (Bloco 9) destinado à investigação da Ocupação Proto-Histórica na Margem Esquerda do Guadiana

Porto da Junto 1 - Bloco 5

Escavação arqueológica que nda revelou de um eventual sítio arqueológico pré-histórioco.

Monte do Judeu 6 - Bloco 9

A escavação arqueológica realizada no Monte do Judeu permitiu identificar um pequeno sítio formado por, pelo menos, três edifícios. No entanto, a leitura da cultura material parte de uma amostragem truncada por a maioria das cerâmicas serem provenientes das camadas revolvidas de superfície.

Castelo das Juntas - Bloco 9

Os trabalhos arqueológicos realizados no Castelo das Juntas confirmaram a existência de um povoado fortificado de médias dimensões, ocupado durante o último terço do primeiro milénio AC.

Cruz de Celas

Os trabalhos arqueológicos realizaram-se numa das áreas de estacionamento do empreendimento Celas Studio Residence localizado na zona de protecção da DGCP do Mosteiro de Santa Cruz de de Celas classificado como Monumento Nacional.

Ermida de Santo António

Trata-se de uma antiga Ermida dedicada a Santo António. Terá sido provavelmente construída na 2ª metade do século XVIII, tendo perdido o seu uso religioso entre 1803 e 1853, começando a ser utilizada para fins profanos. A última actualização do sítio levou à construção de um piso superior, que veio cortar os altares. Da construção original existem ainda vestígios de frescos com decoração geométrica, que terão decorado os altares. Durante os trabalhos de escavação foram detectados enterramentos.

Forte da Graça, Elvas

A ERA integrou, ao nível da arqueologia e da conservação e restauro, a equipa que concretizou para a Câmara Municipal de Elvas um vasto projecto de reabilitação do Forte da Graça.

Diagnóstico Arqueológico da Rua dos Lagares 74, Lisboa

No âmbito das obras de requalificação de um edifício na Rua dos Lagares (Mouraria, Lisboa) foi identificada uma ocupação desde a baixa idade média. Das várias ocupações do espaço destaca-se a sua utilização como necrópole e como zona de despejo de resíduos das olarias que ali funcionavam entre a baixa idade média e a época moderna.

Diagnóstico arqueológico no Largo São João de Deus, Óbidos

Foram realizadas sondagens arqueológicas de diagnóstico no âmbito do empreendimento de reabilitação de edifício para espaço de restauração e bebidas no centro histórico de Óbidos. A sua realização permitiu confirmar o potencial arqueológico do local.

Reabilitação do Edifício Largo do Intendente Pina Manique, 57-58

No âmbito da reabilitação de um efifício no Largo do Intendente Pina Manique foram realizadas sondagens de diagnóstico arqueológico para detecção de eventuais vestígios arqueológicos.

Recuperação e requalificação da antiga igreja do Convento da Graça, Loulé

Os trabalhos arqueológicos inserem-se no âmbito do projecto de recuparação do Portal da antiga Igreja do Convento da Graça e à requalificação do seu espaço interior a realizar pelo Município de Loulé.

Rua do Poço, Chaves

Foram efetuadas sondagens de diagnóstico arqueológico no âmbito da remodelação de um edifício na Rua do Poço.

Sondagens de Diagnóstico Arqueológico na Rua das Flores, Porto

No âmbito da reabilitaçao da Casa Ferraz-Bravo a Era realizou sondagens arqueológicas de forma a aprofundar o conhecimento histórico da casa e das realidades cronológicas anteriores.

Antiga praia de Santos, Lisboa

Os vestígios da antiga fábrica metalúrgica Vulcano e Colares, cuja actividade no local remonta a meados do século XIX, foram os primeiros a emergir das escavações arqueológicas recentemente concluídas na zona da Boavista, em Lisboa. Mas para lá dessas marcas, os arqueólogos localizaram também várias estruturas e materiais associados a um passado bem mais longínquo: o da praia que ali existiu, antes da construção do aterro que veio a conquistar terreno ao rio.

Leroy Merlin (Loulé)

Os trabalhos arqueológicos adjudicados à Era-Arqueologia S.A. pela BRIMOGAL, S.A., decorreram entre os dias 26 de Dezembro de 2016 a 19 de Janeiro de 2017, numa acção de emergência decorrente da construção de um empreendimento comercial pertencente à cadeia de bricolage Leroy Merlin.

Centro de Fisioterapia da Stª Casa da Misericórida, Almeirim

Apesar da diminuta área intervencionada e da exiguidade dos dados obtidos, as cinco sondagens arqueológicas realizadas, permitiram registar um pequeno conjunto de elementos antrópicos, de diferentes tipologias, relativos a seis grandes momentos/fases de ocupação/abandono deste espaço, que apontam para um potencial de presença de vestígios arqueológicos nesta área.

Obras de Remediação Ambiental das Minas de Prado Velho, Forte Velho e da Antiga Fábrica do Barracão (Guarda)

Estes trabalhos de acompanhamento arqueológico foram efetuados no âmbito do Projeto de Remediação Ambiental das Antigas Áreas Mineiras de Prado Velho e Forte Velho e da Antiga Fábrica do Barracão.

Programa Polis de Torres Vedras

Estes trabalhos enquadraram-se numa perspectiva de prevenção e avaliação prévia face à necessidade de aplicar um adequado plano de minimização de impactes sobre o património arqueológico, decorrente da implementação do Programa Polis de Torres Vedras.

Ponte Romana da Catribana, Sintra

Os trabalhos arqueológicos realizados na Ponte da Catribana, Sintra no âmbito do Projecto de Recuperação da Ponte e Calçada romanas da Catribana – Freguesia de São João das Lampas, Sintra

Cortijo Berlanga-Valbuena, Cártama, Málaga

Os contextos mais significativos detetados permitiram-nos concluir estarmos perante a pars rústica de uma villa romana de dimensões consideráveis.

Sítio Figueiras 2 e 3 – Lagos

A ERA está a realizar na Meia Praia, em Lagos, um projecto de actuação arqueológica relacionada com um processo de urbanização.

R. Santa Marta, 56, Lisboa

Projecto ERA nº 1705.17

Rua do Instituto Bacteriológico

Escavação de contextos funerários associados ao Colégio Jesuíta de Santo Antão-o-Novo (Séc. XVII e XVIII)

R. dos Quartéis

Sondagem arqueológica em curso na Ajuda

Palácio de Dona Rosa, Rua dos Remédios, Lisboa

O edifício em questão insere-se na Zona de Protecção do “Castelo de São Jorge e Restos das Cercas de Lisboa”, facto que levou à programação de uma abordagem arqueológica integrada prévia às obras, contemplando-se a realização de sondagens de diagnóstico arqueológico.

R. General Sousa Machado (Chaves)

Trabalhos arqueológicos

Rua de São Julião, 45-57, Lisboa

Os trabalhos arqueológicos efectuados no edifício da Rua de São Julião, 45-57, confirmaram a existência de vestígios pombalinos e pré-pombalinos.

Ermida de São Pedro, Campo Maior

A intervenção da ERA Arqueologia visou o diagnóstico do potencial arqueológico da Ermida de São Pedro, no âmbito do projecto de valorização e salvaguarda do imóvel desenvolvido pela autarquia.

Barragem dos Minutos (Montemor-o-Novo)

Os trabalhos arqueológicos realizados no âmbito de um estudo de impacto patrimonial enquadram-se numa perspectiva de minimização de impactos na zona a afectar pelo empreendimento da Barragem dos Minutos.

Ponte Europa, Rio Mondego (Coimbra)

A ERA Arqueologia realizou um diagnóstico arqueológico na área de construção do projecto da Ponte Europa, na margem esquerda do rio Mondego (Coimbra).

Bloco 5, Mercador, Mourão

A primeira campanha de trabalhos no sítio arqueológico do Mercador visou caracterizar o seu espectro cronológico-cultural, confirmar a existência de ocupação e avaliar o seu estado de conservação, bem como o impacte que o regolfo do Alqueva teria sobre o sítio.

Largo dos Lóios, Freguesia de Santiago, Lisboa

Esta intervenção teve como objectivo o diagnóstico do grau de impacto da obra de reestruturação arquitectónica neste edifício sobre as realidades arqueológicas que pudessem vir a ser postas a descoberto.

Edifício n.º 1 a 13 da Rua Ivens, Lisboa - 2ª Campanha

As sondagens de diagnóstico arqueológico desenvolvidas pela ERA-Arqueologia no edifício nº 1 a 13 da Rua Ivens, em Lisboa, decorreram na sequência de anteriores trabalhos com sondagens de trado a fim de avaliar o potencial interesse arqueológico do local.

A14 Variante EN234 - Pinhal Novo

Estes trabalhos arqueológicos enquadraram-se nas acções de minimização de impactes sobre o património arqueológico do empreendimento da A14.

A14 Variante EN234 - Várzea 3

As escavações arqueológicas no sítio da Várzea 3 decorreram da identificação de vestígios durante os trabalhos de acompanhamento arqueológico da obra de ligação à EN 234-1 da A 14.

Villa Romana das Argamassas

Estes trabalhos surgiram em resposta a uma solicitação para realizar um diagnóstico do estado de conservação e potencial científico e patrimonial que informasse do interesse num plano geral de valorização deste sítio arqueológico, de forma a transformá-lo num recurso patrimonial disponível para a comunidade.

Mosaico de Boca do Rio, Vila do Bispo

A ERA-Arqueologia efectuou o diagnóstico do estado de conservação do pavimento de mosaico deste sítio arqueológico, avançando também com proposta de intervenção de recuperação sobre o mesmo.

Rua da Saudade, n.º 2, Lisboa

O objectivo dos trabalhos foi diagnosticar a importância arqueológica do sítio e preconizar medidas de minimização de impactes no âmbito do empreendimento que se pretendia ali realizar.

Palácio do Alvito, nº 47, Lisboa

Esta intervenção surgiu na sequência de um parecer do IPPAR decorrente do empreendimento de remodelação deste edifício, enquadrando-se numa perspectiva de diagnóstico e avaliação do potencial científico e patrimonial dos contextos arqueológicos ali existentes.

Rua da Misericórdia, nº 94-104 (sondagens)

A intervenção arqueológica realizada neste edifício enquadrou-se no plano de minimização de impactes sobre o património arqueológico no âmbito do empreendimento a realizar no local.

Rua das Sobreiras, nº 636, Porto

Os trabalhos realizados no âmbito do empreendimento imobiliário Cidade Foz tiveram como objectivo a elaboração de um diagnóstico acerca da existência de vestígios arqueológicos e consequente mitigação de efeitos negativos.

Largo dos Lóios e Rua de Santiago (EPAL - PPF)

Os trabalhos arqueológicos realizados no Largo dos Lóios e na Rua de Santiago tiveram como objectivo o diagnóstico no âmbito do plano de medidas de minimização do Plano de Perdas e Fugas da EPAL.

Faião, Sintra (Sondagens de diagnóstico)

Levou-se a cabo o diagnóstico prévio do potencial arqueológico de um terreno localizado em Faião (Terrugem/Sintra), face a uma futura intervenção no local decorrente de um projecto de cariz imobiliário.

Cruz de Celas, Coimbra (Diagnóstico)

A realização de sondagens de diagnóstico teve como objectivo a recolha de dados que permitissem programar a minimização de impactes sobre o património decorrentes da implementação do projecto de construção de um empreendimento imobiliário.

Igreja Matriz da Mexilhoeira Grande

Esta intervenção teve como objectivo detectar e caracterizar eventuais vestígios arqueológicos, e permitir uma correcta avaliação do impacte que as acções de reabilitação do adro da Igreja teriam sobre os mesmos, propondo medidas de minimização de impactes.

Praça João Mantas, Alverca do Ribatejo

Na sequência de uma solicitação da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, levaram-se a cabo trabalhos arqueológicos no edifício da antiga câmara de Alverca, onde recentemente se havia identificado um compartimento subterrâneo.

Cine-Teatro Farense (Diagnóstico)

Esta intervenção arqueológica enquadrou-se na avaliação prévia do potencial arqueológico da zona a afectar pelas obras do projecto de remodelação do Cine-Teatro Farense.

Rua Dr. Miguel Bombarda, nº 10 a 14, Tavira

Esta intervenção enquadrou-se no diagnóstico prévio do potencial arqueológico de um terreno localizado em Tavira, face a uma intervenção decorrente de um projecto de reabilitação e ampliação do edifício aí existente.

Área de Protecção da Villa das Almoínhas, Loures

Estes trabalhos arqueológicos enquadraram-se no diagnóstico prévio do potencial arqueológico de um terreno localizado em Loures, anexo à área intervencionada arqueologicamente na Villa das Almoínhas, face a uma obra programada para o local.

Rua do Arco do Marquês de Alegrete

Estes trabalhos arqueológicos tiveram como objectivo o diagnóstico no âmbito do plano de medidas de minimização do PRR 31 - EPAL.

Rua de Sobre-o-Douro, 1A - Bairro Ignez, Porto

Os objectivos específicos da intervenção visaram a elaboração de um diagnóstico para avaliar o potencial arqueológico do local, assim como a minimização do risco da afectação negativa dos mesmos pelas obras previstas para este espaço.

Rua de Fez/Rua Dr. Afonso Baldaia, Porto

Os trabalhos arqueológicos visaram o diagnóstico do potencial arqueológico do local, assim como a minimização do risco da afectação negativa de evidências preservadas com valor científico e patrimonial pelas obras previstas.

Estação Arqueológica de Vila Fria, Silves

As sondagens arqueológicas de diagnóstico tiveram os seguintes desígnios: avaliação do grau de impacte sofrido; definição dos limites do sítio arqueológico; avaliação do potencial arqueológico de Vila Fria; e avaliação do potencial do sítio quanto a uma possível valorização e musealização.

Sítio da Forca, Maia

Os objectivos específicos da intervenção visaram a elaboração de um diagnóstico para avaliar o potencial arqueológico do sítio, assim como a minimização do risco da afectação negativa dos mesmos pelas obras previstas para este espaço.

Centro histórico de Albufeira, Programa Polis

Os trabalhos realizados enquadraram-se numa perspectiva de minimização de impactes sobre o património arqueológico, decorrentes das obras de melhoramento dos arruamentos do centro antigo, na zona de intervenção do programa Polis em Albufeira.

Cineteatro Eduardo Brazão, Vila Nova de Gaia

Estes trabalhos arqueológicos enquadraram-se numa perspectiva de minimização de impacte face às obras de requalificação do Cineteatro.

Rua do Jardim, nº 6-10, Lagos

Estes trabalhos enquadraram-se no âmbito do projecto de reabilitação do imóvel, cuja localização no Centro Histórico, muito próximo da Porta de S. Gonçalo, o colocam dentro da Zona Especial de Protecção a este monumento Nacional.

Barragem Romana de Santa Rita, Vila Real de Santo António

O objectivo destes trabalhos foi caracterizar o estado de preservação da barragem e avaliar o valor patrimonial do imóvel.

Moinho do Pereira, Arroja, Odivelas

Estes trabalhos arqueológicos enquadraram-se numa perspectiva de diagnóstico e minimização de impactes negativos sobre a área a afectar pela construção de uma estrutura de carácter comercial.

Rua Lethes, Faro

Estes trabalhos de acompanhamento arqueológico enquadraram-se numa perspectiva de minimização de impactes face a uma vasta intervenção de recuperação e valorização prevista para o Palacete Doglioni,

Igreja de Nossa Senhora da Encarnação, Largo do Chiado, Lisboa

Os trabalhos arqueológicos realizados no Salão Paroquial da Igreja de Nossa Senhora da Encarnação visaram a aplicação de medidas de minimização de impactes sobre o património arqueológico decorrentes das suas obras de recuperação.

Largo do Príncipe Real, nº 32, Lisboa

Esta intervenção enquadrou-se numa perspectiva de diagnóstico e avaliação do potencial científico e patrimonial dos contextos arqueológicos presentes no edifício do Largo do Príncipe Real, no âmbito de um projecto de reabilitação.

Rua da Judiaria e Arco do Rosário, Lisboa

Os trabalhos arqueológicos efectuados, no âmbito da renovação da rede da EPAL, consistiriam na realização de quatro sondagens diagnóstico, com o objectivo de avaliar o potencial arqueológico da área em questão.

Ecopontos, Centro Histórico de Tavira

A realização de sondagens no Centro Histórico de Tavira teve como objectivo principal o diagnóstico do potencial arqueológico dos locais onde se previa a implantação de Ecopontos subterrâneos, nos casos em que estes se situavam em zonas especialmente sensíveis a nível patrimonial.

CIRVER - Vale de Moinho, Carregueira, Chamusca

No âmbito da minimização de impactes para a construção do CIRVER, desenvolveram-se acções de prospecção/recolhas de superfície, sondagens mecânicas de diagnóstico e estudo de materiais arqueológicos.

Palácio da Rosa, Lisboa

A ERA-Arqueologia efectuou sondagens de diagnóstico na área do Palácio da Rosa, no âmbito de um projecto de recuperação e remodelação deste edifício e respectivo logradouro.

Palácio Almada Carvalhais, Lisboa

Estas sondagens foram realizadas numa fase de elaboração do projecto, enquadrando-se numa perspectiva de diagnóstico prévio do potencial arqueológico e da complexidade estratigráfica existente neste espaço.

Palácio dos Condes de Murça, Lisboa

A ERA-Arqueologia efectuou trabalhos arqueológicos no âmbito de um projecto de recuperação e remodelação do edifício e respectivo logradouro, numa perspectiva de diagnóstico e avaliação do potencial científico e patrimonial dos contextos arqueológicos presentes naquele espaço.

Rua da Misericórdia, nº 4 a 10, Lisboa

O acompanhamento arqueológico realizado na Rua da Misericórdia, nº 4 a 10, em Lisboa, teve como finalidade a minimização de impactes sobre eventuais vestígios patrimoniais a serem afectados pela (re)construção de um novo edifício nesse espaço.

Casa da Câmara de Vila Real de Santo António

Os trabalhos de acompanhamento arqueológico efectuados no âmbito da remodelação do edifício da Casa da Câmara de Vila Real de Santo António inseriram-se no plano de reabilitação urbana do centro histórico.

Barragem de Picote, Miranda do Douro (arte rupestre)

Esta intervenção consistiu na realização de diagnóstico do potencial arqueológico e das condições de execução de ulteriores trabalhos de prospecção dirigida à identificação de arte rupestre na zona de afectação da empreitada.

Pátio das Canas, 9, Alfama, Lisboa

Esta intervenção consistiu na realização de sondagens de diagnóstico/acompanhamento arqueológico nas áreas a afectar por cinco sapatas, no edifício nº9 do Pátio das Canas e no nº4 e 11 do Beco das Corvinhas, em Alfama.

Aproveitamento Hidroagrícola de Alvito-Pisão, sítio da Chucha

A intervenção arqueológica efectuada no sítio da Chucha, na Vidigueira, enquadrou-se numa perspectiva de minimização de impactes sobre o património cultural decorrentes das obras de implementação do Aproveitamento Hidroagrícola de Alvito-Pisão.

Aproveitamento Hidroagrícola de Alvito-Pisão, sítio de Cuba 1

Os trabalhos arqueológicos realizados no sítio de Cuba 1 consistiram no diagnóstico e avaliação do potencial científico e patrimonial dos contextos arqueológicos presentes naquela zona.

Aproveitamento Hidroagrícola de Alvito-Pisão, Ermida da Senhora das Neves

A intervenção arqueológica no sítio da Ermida da Senhora das Neves revestiu-se de uma natureza de diagnóstico e avaliação do potencial científico e patrimonial dos contextos arqueológicos presentes naquele espaço.

Aproveitamento Hidroagrícola de Alvito-Pisão, sítio da Horta das Canas

A intervenção arqueológica realizada no sítio da Horta das Canas visou o diagnóstico e avaliação do potencial científico e patrimonial dos contextos arqueológicos presentes naquele espaço.

Aproveitamento Hidroagrícola de Alvito-Pisão, Horta da Marineta

As acções arqueológicas no sítio da Horta da Marineta visaram a minimização de impactes sobre o património cultural resultantes das obras de implementação do Aproveitamento Hidroagrícola de Alvito-Pisão.

Aproveitamento Hidroagrícola de Alvito-Pisão, sítio da Horta das Presas

A intervenção arqueológica efectuada no sítio da Horta das Presas consistiu na realização de 3 sondagens mecânicas de diagnóstico.

Aproveitamento Hidroagrícola de Alvito-Pisão, sítio do Monte do Outeiro

Os resultados obtidos nas 11 sondagens efectuadas e as observações de terreno no que respeita à existência de estruturas preservadas revelaram que apenas na vertente NO do cerro, onde se situa parte da necrópole do Monte do Outeiro, haveria uma afectação directa sobre contextos arqueológicos preservados.

Projecto dos Interceptores do Largo do Chafariz de Dentro – Cais do Sodré

Este plano de intervenção arqueológica surgiu no âmbito da definição de processos de minimização de impacte previsto pela implementação do Projecto dos Interceptores do Largo Chafariz de Dentro – Cais do Sodré sobre o património arquitectónico e arqueológico conhecido para a área de afectação.

Aproveitamento Hidroagrícola de Alvito-Pisão, sítio da Quinta da Graciosa 2

As sondagens de diagnóstico realizadas foram distribuídas ao longo do traçado das valas (previamente marcadas pela topografia da obra), procurando deste modo ter uma visão tão abrangente quanto possível do potencial estratigráfico existente.

Aproveitamento Hidroagrícola de Alvito-Pisão, sítio de Xancra II

Os 46 m2 escavados neste sítio, divididos por 4 sondagens, revelaram a presença de uma necrópole com diversos enterramentos preservados em cada uma das sepulturas.

Rua Carlos Campeão, Tomar

As sondagens de diagnóstico possibilitaram a identificação de contextos arqueológicos com uma longa diacronia de ocupação, tendo-se registado vestígios da Idade do Ferro, do período romano e do período medieval.

Sítio de Alto da Pacheca, Alcochete

Os trabalhos de diagnóstico arqueológico no âmbito da construção de sistemas de drenagem visaram a avaliação e diagnóstico do impacte do traçado sobre o sítio de Alto da Pacheca, no sentido de determinar a necessidade da aplicação de medidas minimizadoras de maior amplitude.

Rua da Misericórdia, nº 4 a 10, Lisboa

A intervenção arqueológica realizada na Rua da Misericórdia, nºs 4 a 10, teve um carácter de diagnóstico e surgiu no âmbito da (re)construção de um novo edifício habitacional nesse espaço.

Sondagens Arqueológicas no Centro de Almeirim

As sondagens arqueológicas de diagnóstico no centro de Almeirim surgiram na sequência do acompanhamento arqueológico da empreitada de colocação de infraestruturas e da condicionante imposta pelo IGESPAR no sentido de prevenção de impactes negativos sobre o património arqueológico.

Rua de Santa Marta, Lisboa

A intervenção arqueológica na área de um imóvel sito na Rua de Santa Marta, entre a Travessa de Santa Marta e a Travessa do Despacho, em Lisboa, foi realizada no âmbito de um projecto de reconversão do referido edifício para adaptação a uma unidade hoteleira.

Casas Mortuárias de Alhandra

Os trabalhos consistiram na realização de 5 sondagens de diagnóstico arqueológico com vista à avaliação e caracterização preliminar do potencial científico e patrimonial dos contextos arqueológicos presentes no local.

Aqueduto das Águas Livres, troço Calçada das Necessidades/Av. Infante Santo

A ERA-Arqueologia elaborou o diagnóstico do estado de preservação e projecto de recuperação do Troço do Aqueduto da Águas Livres entre a Calçada das Necessidades e a Avenida Infante Santo.

Área Industrial de Santa Margarida, Tavira

Os trabalhos de diagnóstico arqueológico efectuados no âmbito da empreitada de construção da Área Industrial de Santa Margarida enquadraram-se numa perspectiva de minimização de impactes patrimoniais face às movimentações de terras previstas.

Avenida do Mar, nº 8-10, Peniche

O acompanhamento arqueológico e a sondagem arqueológica de diagnóstico efectuados na área deste imóvel situado na Avenida do Mar realizaram-se no âmbito de um projecto de remodelação do edifício.

Rua de Santiago, nº 7-9, Lisboa

Estes labores surgiram na sequência de um parecer do (ex) IPPAR decorrente da apreciação do projecto de obra e da obrigatoriedade de realizar trabalhos arqueológicos prévios em locais situados em Zona de Nível 1 segundo o PDM de Lisboa.

Requalificação das Ruas 25 de Abril e Silva Lopes, Lagos (1ª intervenção)

Numa perspectiva de diagnóstico arqueológico da área a afectar pelas obras de requalificação urbana da Rua 25 de Abril e Rua Silva Lopes, estas acções arqueológicas consistiram na realização de 24 sondagens.

Sítio de Trigaches 13, São Brissos, Beja

Estes trabalhos surgiram da identificação de concentrações pétreas que indiciavam a existência de uma possível estrutura preservada em local a afectar pela execução de um caminho.

Rua Dr. Miguel Bombarda, nº 61-64, Tavira

Estas sondagens arqueológicas de diagnóstico inseriram-se numa perspectiva de minimização de impactes patrimoniais face aos trabalhos de movimentações de terras previstos no âmbito da empreitada de reabilitação deste edifício.

Largo do Chafariz de Dentro ao Terreiro do Trigo, Lisboa (diagnóstico)

O objectivo deste trabalho foi a realização de um diagnóstico prévio que permitisse fundamentar, planear e orçamentar todas as intervenções arqueológicas subsequentes, quer de escavação, quer de acompanhamento de obras, assim como fornecer dados fundamentais para o planeamento da empreitada geral.

Rua das Cruzes, nº 4-10, Lagos

Os trabalhos arqueológicos efectuados na Rua das Cruzes, Lagos, enquadraram-se numa perspectiva de diagnóstico do potencial arqueológico da área a afectar pelas obras de abertura de um ramal de água.

Largo de Santos, nº 11, Lisboa

Foram realizadas três sondagens mecânicas no âmbito do projecto de construção imobiliária protagonizado pela EDIFER, com o objectivo de avaliar o potencial patrimonial.

Praça D. Pedro IV, 1-3, e Rua Augusta, 285-295, Lisboa

As sondagens arqueológicas realizadas no interior destes dois edifícios permitiram identificar estruturas pré-pombalinas.

Largo Trindade Coelho (diagnóstico arqueológico)

As acções arqueológicas executadas no Largo Trindade Coelho enquadraram-se numa perspectiva de minimização do impacte sobre o património decorrente da realização de uma vala para colocação de um sistema de saneamento

Bloco de Rega de Orada – Amoreira, sítio Caliços 1

Estes trabalhos enquadraram-se na minimização de impactes sobre o património cultural decorrentes da obras de implementação do Bloco de Rega de Orada – Amoreira (fase prévia à obra)

Bloco de Rega de Orada – Amoreira, sítio Casqueira 2

O sítio arqueológico Casqueira 2 levou a que se efectuassem duas sondagens mecânicas no eixo da futura vala de uma conduta, na zona onde esta passa mais próxima do referido sítio, de modo a localizar possíveis contextos arqueológicos que pudessem vir a ser afectados.

Bloco de Rega de Orada – Amoreira, sítio Corça 1

Pelo facto deste sítio arqueológico ser atravessado a meia encosta pela vala da conduta, o plano de minimização de impactes previu a realização de sondagens manuais num mínimo de 16 m2.

Bloco de Rega de Orada – Amoreira, sítio Monte da Talabita 1

Como o traçado de uma conduta ia passar bastante próximo da área de dispersão de materiais, o plano de minimização de impactes previu a realização de sondagens manuais.

Bloco de Rega de Orada – Amoreira, sítio Quinta do João Privado

Estando projectado o melhoramento da estrada que passa ao lado deste sítio arqueológico, o plano de minimização de impactes previu a realização de sondagens manuais.

Parque de Estacionamento da Frente Ribeirinha, Lagos

Realizou-se a avaliação prévia do potencial arqueológico e de minimização de impactes sobre o eventual património arqueológico na área a afectar pela empreitada.

Rua António Maria Cardoso, nº 36, Lisboa

As acções arqueológicas na área adjacente à ocupada pela construção de um empreendimento de luxo localizado no sítio da antiga sede da PIDE-DGS visaram a minimização de impactes sobre o património arqueológico.

Central Hidroeléctrica de Serpa, sítio Alpendres 3

A Central Hidroeléctrica de Serpa seria construída na base de um pequeno cerro onde se encontra uma possível villa romana. Por este motivo, o plano de minimização de impactes previu a realização de sondagens manuais.

Estação Elevatória de Torre do Lóbio, sítio Casa Branca 2 (núcleos B e C)

Estes núcleos seriam afectados pela construção da Estação Elevatória de Torre do Lóbio, motivo pelo qual o plano de minimização de impactes previu a realização de sondagens manuais num total de 50 m2 no núcleo B e de 20 m2 no núcleo C

Conduta Elevatória de Pedrogão, sítio Malhada de Orada 2

O cabeço onde se encontraram os vestígios arqueológicos iria ser atravessado a meia encosta pela Conduta Elevatória de Pedrogão, motivo pelo qual o plano de minimização de impactes previu a realização de sondagens mecânicas num total de 40 m².

Aproveitamento Hidroagrícola de Alvito-Pisão, sítio Monte das Covas 3

Estes trabalhos enquadraram-se numa perspectiva de minimização de impactes sobre o património cultural decorrentes da execução da empreitada de beneficiação da rede viária e rede de drenagem.

Aproveitamento Hidroagrícola de Alvito-Pisão, sítio Ribeira de Selminhos 1

As evidências identificadas no âmbito do acompanhamento arqueológico motivaram a realização de 1 sondagem manual num total de 6 m.

Calçada da Estrela, nº 144, Lisboa

Estes trabalhos arqueológicos inseriram-se numa perspectiva de diagnóstico e estudo prévio no âmbito do projecto arquitectónico de remodelação deste imóvel.

Largo do Limoeiro, 5-11, Lisboa

Foi realizada uma sondagem arqueológica no âmbito do diagnóstico e estudo prévio do projecto arquitectónico de remodelação deste imóvel.

Zona da Central Fotovoltaica de Ferreira do Alentejo (2ª intervenção)

Esta intervenção enquadrou-se numa perspectiva de diagnóstico arqueológico decorrente dos trabalhos de levantamento patrimonial realizados na área a afectar pela construção da Central Fotovoltaica de Ferreira do Alentejo.

Rua do Barão, n.º 2-4, e Travessa das Merceeiras, n.º 16, Lisboa

Estas acções de diagnóstico arqueológico visaram a aplicação de medidas de minimização de impactes sobre o património arqueológico decorrentes da empreitada de reabilitação deste edifício.

Herdade do Roncão, Reguengos de Monsaraz, Monte Roncão 8

No âmbito do Processo de Avaliação de Impacte Ambiental (AIA) do Projecto do Campo de Golfe do Monte Roncão D’El Rey, foram realizados trabalhos de diagnóstico arqueológico no sítio do Monte Roncão 8.

Herdade do Roncão, Reguengos de Monsaraz, Monte Roncão d'El Rey

Realizaram-se onze sondagens parietais nas mais representativas estruturas do conjunto arquitectónico e oito sondagens de subsolo em diferentes locais para aferir a possível existência de contextos arqueológicos preservados.

Rua Vasco da Gama, nº 81, Peniche

Esta escavação arqueológica enquadrou-se numa perspectiva de minimização de impactes sobre o património arqueológico decorrentes da obra de remodelação de um imóvel.

Rota Histórica das Linhas Defensivas de Torres Vedras

A ERA-Arqueologia efectuou o diagnóstico do estado de preservação e plano de recuperação e arqueologia de diversos fortes pertencentes ao circuito das Rotas Históricas das Linhas Defensivas de Torres Vedras.

Abastecimento de Água e Saneamento de Águas Residuais, Chaves

Os trabalhos arqueológicos realizados no âmbito da obra de instalação da ETAR de Chaves decorreram como medida de minimização do impacte sobre o património existente no local.

Loja IKEA de Loures (2ª intervenção)

As sondagens de diagnóstico arqueológico enquadraram-se na sequência da identificação de vestígios de interesse patrimonial durante o acompanhamento arqueológico.

Largo da Nossa Senhora da Guia, Ferrel, Peniche

Os trabalhos arqueológicos efectuados num imóvel situado no Largo Nossa Senhora da Guia visaram a minimização de impactes sobre eventuais vestígios patrimoniais.

Rua Augusta, 285 a 289, Lisboa

Estas sondagens arqueológicas inseriram-se no âmbito das medidas de minimização de impactes sobre o património arqueológico face à afectação prevista pela implantação de sapatas, projectadas em virtude da reabilitação do edifício.

Antigo Parque de Festas, Tavira

Estes trabalhos de diagnóstico arqueológico visaram a obtenção de informação que auxiliasse o desenvolvimento da construção do Centro de Arte Contemporânea no antigo Parque de Festas, bem como a definição de condicionantes arqueológicas.

Calçada da Graça, nº 8, Lisboa

A intervenção arqueológica enquadrou-se no âmbito de um projecto de remodelação do edifício, visando a minimização de impactes sobre eventuais vestígios patrimoniais.

Avenida da Índia, nº 186, Lisboa

A ERA acompanhou a escavação e movimentação de terras no âmbito da empreitada de desmantelamento do edifício da Casa do Arco da Torre e reconstrução, na mesma área, de um novo prédio.

Sítio de Monte Augusto 1, Palmares, Lagos

Na sequência de trabalhos de prospecção geofísica, os quais acusaram positivamente a existência de estruturas no sítio, foi decidido proceder-se à execução de sondagens arqueológicas de diagnóstico.

Rua do Poço nº 62-64, Chaves

Os trabalhos arqueológicos enquadraram-se no âmbito de um projecto de remodelação, visando a minimização de impactes sobre eventuais vestígios patrimoniais, uma vez que o edifício se encontra localizado na ZEP da muralha medieval desta cidade.

Antiga Lithografia Portugal, Rua da Rosa, Lisboa

Foram realizadas, no espaço do edifício da antiga Lithografia Portugal, seis sondagens arqueológicas de diagnóstico, implantadas da forma mais abrangente possível.

Antiga Casa da Guarda, Forte de São Vicente, Torres Vedras

A ERA levou a cabo a avaliação do potencial arqueológico e patrimonial no Forte de São Vicente, no âmbito da requalificação deste edificado, mais concretamente na antiga Casa da Guarda, cuja demolição estava prevista.

Rua de Santiago, 7-9, Lisboa

Foram abertas três sondagens de diagnóstico no sentido de aferir da existência de eventuais condicionantes arqueológicas à alteração do projecto de reabilitação do edifício.

Praça do Príncipe Real, nº 32, Lisboa

As acções de acompanhamento arqueológico surgiram na sequência duma fase prévia de sondagens de diagnóstico e da existência de vestígios arqueológicos no subsolo, nomeadamente, na zona do logradouro do edifício.

Loja IKEA de Loures (3ª intervenção)

A intervenção arqueológica realizada entre 11 e 19 de Fevereiro de 2010 na Rotunda 3 do empreendimento da Loja IKEA de Loures resultou do acompanhamento arqueológico que integrou as obras deste estabelecimento desde Fevereiro de 2009.

Linha Batalha - Lavos, 400 kV, sítio de Calvário

A intervenção arqueológica no AP 25 surgiu na sequência da detecção de achados arqueológicos líticos, enquadráveis na Pré-História Antiga, na superfície da área a afectar pela construção do apoio, assim como nas suas imediações.

Linha Batalha - Lavos, 400 kV, sítio de Mata da Curvachia

A intervenção arqueológica no AP 29 surgiu na sequência do acompanhamento arqueológico da empreitada da Linha de Batalha - Lavos, enquadrando-se numa perspectiva de minimização de impactes face à construção do referido apoio.

Sítio de Currais do Chão, Mem Martins, concelho de Sintra

As sondagens de diagnóstico prévio do potencial arqueológico de terrenos inseridos na área definida para o sítio de Currais do Chão visaram a caracterização do lugar e a preconização de medidas de minimização.

A8, Lanço CRIL/LOURES, Bairro das Queimadas

procedeu-se à escavação de duas sondagens arqueológicas manuais que procuraram caracterizar o sítio identificado e diagnosticar o potencial arqueológico da área contígua.

Sítio de Quinta da Eira da Loba 4, freguesia de Estombar, Lagoa

Esta intervenção enquadrou-se numa perspectiva de avaliação e caracterização do sítio arqueológico Quinta da Eira da Loba 4, identificado através de trabalhos de prospecção.

Sítio de Quinta dos Poços 4 e 5, freguesia de Parchal, Lagoa

A avaliação e caracterização deste sítio arqueológico tornou possível adequar as obras previstas para aquela área aos vestígios aí identificados, pois o projecto encontrava-se ainda em fase de elaboração.

Auto-Estrada do Litoral Oeste, tramo de Batalha, sítio de São Jorge

Esta intervenção consistiu na avaliação e diagnóstico do impacte do traçado da auto-estrada sobre o sítio de São Jorge.

Sítio de Portela de Seradelo 1, freguesia de Meirinhos, Mogadouro

Os trabalhos no sítio de Portela de Seradelo 1 enquadraram-se numa perspectiva de minimização de potenciais impactes arqueológicos de uma área a afectar pela construção do “Lote 8 Nozelos (IP 2)/Mogadouro”.

Centro Cívico de Leiria

A intervenção consistiu na execução de sondagens arqueológicas manuais, tendo como objectivos genéricos a avaliação do potencial arqueológico e patrimonial da área em questão.

Herdade das Areias e Cebolinhos, Monte Roncão 16, Reguengos de Monsaraz

No âmbito do Processo de Avaliação de Impacte Ambiental (AIA) do Projecto da Barragem da Sardinha – Herdade das Areias e Cebolinhos, Reguengos de Monsaraz, foram realizados trabalhos arqueológicos com carácter de diagnóstico no sítio do Monte Roncão 16.

Cidadela de Cascais (sondagens de diagnóstico)

Face à necessidade de afectação da uma estrutura no âmbito da construção da piscina do empreendimento, foi solicitada a realização de uma sondagem mecânica em profundidade na área contígua de forma a obter uma caracterização funcional e cronológica mais completa da mesma.

Alargamento da A8 – Lanço CRIL – Loures, sítio da Flamenga

No âmbito do acompanhamento arqueológico desta empreitada realizou-se uma sondagem de caracterização no Km3 +575, num local designado por sítio da Flamenga.

Rua de Pedrouços, nº 105, Lisboa

esta intervenção teve como objectivo principal a avaliação e caracterização do potencial arqueológico e patrimonial da área a afectar por um empreendimento habitacional na Rua de Pedrouços.

Espaço Público da Ribeira das Naus, Lisboa

Estas acções de diagnóstico arqueológico foram preconizadas no âmbito da requalificação do Espaço Público da Ribeira das Naus, com a realização de sondagens em áreas referentes ao antigo Arsenal da Marinha.

Casa dos Patudos, Alpiarça

Esta intervenção visou dar resposta às exigências legais do IGESPAR relativas à minimização de impactes sobre o património arqueológico decorrentes do projecto de renovação da Casa dos Patudos.

Campo de Golfe de Palmares, Lagos

No âmbito da construção do Campo de Golfe de Palmares, estas sondagens de diagnóstico corresponderam à execução de um conjunto de medidas de minimização de impacte/caracterização patrimonial a aplicar neste local.

Anta dos Enxacafres, concelho de Grândola

A escavação integral da Anta dos Enxacafres permitiu a identificação de uma estrutura funerária em cujo tumulus se pôde encontrar, para além do monumento principal, composto por câmara funerária e corredor, uma pequena estrutura escavada na rocha interpretada como uma possível sepultura.

Rua da Escola Politécnica, Praça do Príncipe Real e Rua da Alegria

Estes trabalhos procuraram obter uma caracterização do potencial científico e patrimonial dos contextos arqueológicos presentes nestes locais, através da limpeza, registo fotográfico e gráfico dos perfis das sondagens geotécnicas aí realizadas.

Antigo Hotel Bristol, Sintra

O objectivo foi a caracterização do potencial científico e patrimonial do interior do edíficio, tendo as sondagens sido implementadas de forma a proporcionarem uma correcta leitura espacial do imóvel.

Cidadela de Cascais (4ª intervenção)

Estes trabalhos arqueológicos tiveram como principal objectivo a escavação integral de um importante contexto arqueológico associado a uma lixeira, enquadrável no século XVIII.

Viaduto do Rio Sado, Lanço B, subconcessão do Baixo Alentejo

Os trabalhos enquadraram-se no âmbito da minimização de impactes sobre o património arqueológico resultantes da execução do Lanço B da auto-estrada que integra a subconcessão do Baixo Alentejo.

Necrópole de Carenque, Amadora

Foram realizadas 25 sondagens de diagnóstico, precedidas da desmatação e prospecção da área do traçado, no âmbito do projecto 2ª Fase da Conduta entre o Reservatório do Alto de Carenque e o Reservatório das Mercês.

Parque de Estacionamento Subterrâneo da Praça de D. Luís, Lisboa

Em 2011, realizou-se um diagnóstico arqueológico no âmbito da construção do Parque. Posteriormente, foi exposto, registado, ortofotografado e desmontado um conjunto estrutural diacrónico, destacando-se quatro estruturas portuárias. Mais tarde, em 2013, foi identificado um contexto arqueológico que faz recuar até à época Romana os vestígios de utilização/ocupação desta área.

Palácio do Porto Covo da Bandeira, Lisboa

A ERA realizou trabalhos de acompanhamento arqueológico no âmbito da construção de um parque de estacionamento subterrâneo.

Casa dos Patudos, Alpiarça (2ª intervenção)

Após a identificação de vestígios osteológicos humanos e uma eventual estrutura de combustão na Sala de Arqueologia deste edifício, realizaram-se trabalhos de diagnóstico arqueológico de forma a melhor compreender estas realidades.

Largo José Afonso, n° 69 e 68 A, Setúbal

Efectuaram-se 2 sondagens de diagnóstico, não se tendo registado contextos arqueológicos preservados em nenhuma das áreas intervencionadas.

Rua de São Marçal, nº 16/Travessa da Piedade, nº 7, Lisboa

Esta intervenção consistiu na realização de um diagnóstico arqueológico que permitisse informar o planeamento e gestão de projecto da obra no quarteirão da Rua de São Marçal.

Rua do Machado, nº8/10, e Rua Neves Costa, nº 11/13, Carnide, Lisboa

A ERA realizou uma sondagem de diagnóstico, na zona de maior afectação no subsolo, no âmbito do projecto de requalificação de um edifício.

Lanço B – Área do Viaduto sobre o Sado, sítio de Santa Margarida do Sado 3

Após a identificação deste sítio arqueológico num terraço fluvial em Santa Margarida do Sado (Ferreira do Alentejo), durante a fase de acompanhamento de obra, programou-se a realização de sondagens de diagnóstico arqueológico.

Lote 2 do IC3 – Avelar Norte/Condeixa, sítio de Ribeiro das Aradas

Os trabalhos arqueológicos realizados no sítio de Ribeiro das Aradas enquadraram-se numa perspectiva de minimização de impactes patrimoniais das obras da subconcessão do Pinhal Interior.

Sítio de S. Simão, Capela de Nossa Senhora da Graça, Penela

No âmbito de um parecer do IGESPAR para a construção de uma moradia unifamiliar junto à Capela de Nossa Senhora da Graça, no concelho de Penela, a ERA realizou trabalhos de avaliação patrimonial no sítio de S. Simão.

Avenida Dr. Brandão de Vasconcelos/Rua da Fangoia, Almoçageme

Estes trabalhos procuraram obter uma avaliação preliminar do potencial arqueológico do local, previamente à fase de construção, de forma a permitir uma melhor programação da mesma.

Rua do Carmo, nº 97, e Rua 1º de Dezembro, nº 105, Lisboa

A ERA efectuou uma abordagem arqueológica integrada que contemplou a realização de 5 sondagens arqueológicas de diagnóstico, numa área total de 15 m2 até 1 m de profundidade (variável), a implantar no local de 5 das 9 sapatas a realizar em obra.

Travessa do Açougue, Lisboa

Foram realizadas 2 sondagens arqueológicas de diagnóstico no âmbito do empreendimento de abertura de valas para a colocação de infraestruturas de telecomunicação.

Rua de Santiago, n.º 10-14, Lisboa

No âmbito do empreendimento neste edifício, a ERA realizou trabalhos arqueológicos de diagnóstico e acompanhamento de obra, registando-se estruturas do tipo tanque e de cronologia romana, que nos é dada pelo seu modo construtivo, em opus signinum.

Rua dos Sapateiros, nº 79, Lisboa

A ERA concretizou uma sondagem de diagnóstico arqueológico/mitigação de impacte no âmbito da abertura de uma vala para implantação de uma fossa séptica.

Palacete Ribeiro da Cunha e Rua da Alegria, nº 76-104, Lisboa

Estes trabalhos resultaram de uma avaliação preliminar do potencial arqueológico, que consistiu na limpeza dos cortes resultantes das sondagens geotécnicas efectuadas e na consequente leitura estratigráfica dos mesmos.

Rua da Imprensa Nacional, nº 22, Lisboa

Esta intervenção teve como objectivo a detecção de eventuais vestígios arqueológicos afectados pelo empreendimento de reabilitação e a proposta de medidas de minimização a aplicar.

Rua do Cabeço do Pisão, Azóia

As sondagens arqueológicas realizadas previamente à execução do projecto de construção de uma residência unifamiliar decorreram nos dias 1 e 2 de Agosto de 2011.

São Simão, Penela (2ª intervenção)

Esta intervenção representou uma nova fase de trabalhos em São Simão, consistindo na realização de duas sondagens, no corte NO, com o objectivo de compreender o impacte da obra sobre o património existente.

Rua dos Panaçais, concelho de Vila Nova de Gaia

No âmbito do projecto de construção de uma moradia unifamiliar, executaram-se quatro sondagens de diagnóstico, visando-se abranger uma amostra significativa da estratigrafia presente no local.

Hotel Project Lisboa, Avenida da Liberdade, 136, Lisboa

Esta intervenção enquadrou-se numa perspectiva de avaliação do potencial científico do local afecto à construção do Hotel Project Lisboa.

Rua do Recolhimento, n.º 35, Lisboa

As sondagens de diagnóstico efetuadas possibilitaram a identificação de uma longa diacronia de ocupação neste local, desde a Idade do Ferro à actualidade. Numa delas, registaram-se vestígios atribuídos ao período Romano republicano, nomeadamente um muro, já muito afectado por contextos posteriores.

Sítio da Amoreira, São Martinho de Árvore, Coimbra

As sondagens arqueológicas realizadas no âmbito do empreendimento (em projecto) da construção de um Centro Cultural no sítio da Amoreira foram adjudicadas pela Câmara Municipal de Coimbra.

Mercado do Livramento, Av. Luísa Todi, 163, Setúbal

No âmbito da requalificação do Mercado, esta intervenção decorreu do facto de a criação de uma estrutura de acesso implicar a afectação da zona onde se acreditava existir a muralha correspondente ao Baluarte do Livramento.

Requalificação Urbana da Vila de Odemira

Foi programada a abertura de um conjunto de sondagens prévias de diagnóstico em locais com potencial arqueológico.

Rua Diogo do Couto, 8, Lisboa

Estes trabalhos (sondagem arqueológica manual de diagnóstico e emissão de parecer) foram realizados no âmbito do empreendimento de reabilitação do edifício sito na Rua Diogo do Couto.

Rua Afonso de Albuquerque, 13-23, Peniche

A intervenção resultou de este projecto se inserir na Zona Especial de Protecção da Fortaleza de Peniche (Monumento Nacional) e na Zona de Protecção da Igreja de S. Pedro (Imóvel de Interesse Público).

Igreja de São Roque (Galeria Anexa), Lisboa

Os trabalhos arqueológicos dividiram-se em quatro fases: sondagens parietais, picagem integral das paredes, remoção do pavimento e sondagens de diagnóstico.

Calçada de São Francisco, 23-27, Lisboa

Realizou-se uma sondagem de diagnóstico, numa zona coincidente com a futura caixa de elevador do edifício, de forma a avaliar o potencial arqueológico.

Rua das Grutas, Alapraia, Cascais

Programaram-se trabalhos arqueológicos de diagnóstico que visaram a caracterização preliminar do potencial científico e patrimonial dos eventuais contextos arqueológicos presentes no local.

Calçada do Correio Velho, 2-8, Lisboa

Realizou-se uma sondagem arqueológica na área de implantação da vala para ligação do imóvel ao sistema de saneamento urbano da cidade de Lisboa.

Hotel Portugal, Rua João das Regras, n.º 4, Lisboa

A empreitada de reabilitação do edifício implicava a afectação de áreas com potencial arqueológico, já que se desenvolveu numa Zona de Intervenção de nível I do PDM.

Circuito Hidráulico de Baleizão – Quintos (Beja), sítio de Monte das Cabeceiras 2

A intervenção surgiu da possibilidade de interferência desta empreitada com o sítio de Monte das Cabeceiras 2, referenciado em EIA como mancha de dispersão de material cerâmico e lítico, enquadrável em tipologias da pré-história recente.

Circuito Hidráulico de Baleizão – Quintos (Beja), sítio de Salvada 7

Os trabalhos surgiram da possibilidade de interferência da empreitada com o sítio de Salvada 7, correspondente a um Recinto de Fossos com cerca de 500 metros por 450 metros.

Rua dos Sapateiros (130-144)/Rua da Assunção (73-77), Lisboa

Foram programadas acções prévias de diagnóstico arqueológico, com o objectivo genérico de procurar compreender a estratigrafia do espaço e fornecer dados para a posterior instrução do projecto de obra.

Hotel Lisboa Prata Boutique, Rua da Prata, 116-122, Lisboa

Realizaram-se sondagens arqueológicas de diagnóstico no âmbito das obras de reabilitação deste edifício sito na Rua da Prata, para adaptação do Hotel Lisboa Prata Boutique.

Rua dos Douradores 142-156 e Rua da Assunção 10-16, Lisboa

Estes trabalhos arqueológicos foram realizados no âmbito do projecto de reabilitação estrutural e adaptação a unidade hoteleira de 3 estrelas deste edifício.

Museu de São Roque, Lisboa (3ª intervenção)

Realizaram-se sondagens arqueológicas no âmbito do projecto de adaptação de espaços para a instalação da Biblioteca Brotéria, reinstalação da Biblioteca da SCML e serviços afectos à secretaria-geral.

Palácio dos Condes de Tomar, Lisboa

No logradouro do Palácio, concretizaram-se 2 sondagens de diagnóstico integradas no Plano de Sondagens Geotécnicas e Sondagens Estruturais requerido pela equipa projectista.

Loja da Tezenis, Rua 1º de Dezembro/Praça D. Pedro IV, Lisboa

Esta intervenção visou a detecção de vestígios arqueológicos afectados pelo desenvolvimento de obras, tendo resultado na identificação de dois conjuntos de estruturas enquadráveis em dois períodos diferentes.

Rua da Reboleira, n° 52-62, Porto

As obras a realizar neste edifício implicavam a afectação de áreas com potencial arqueológico, dado este situar-se numa zona da cidade formalmente condicionada do ponto de vista arqueológico e patrimonial.

Rua Dr. Fernando Andrea, nº 22-26, Colares (Sintra)

As obras a realizar implicavam a afectação de áreas com potencial arqueológico, já que o sítio se localiza na “Zona Especial de Protecção da Paisagem Cultural de Sintra”.

Rua Fernando Magalhães, nº 27, Barcelos

Foram realizadas sondagens prévias de diagnóstico, parietais e no solo, distribuídas de forma a abranger as principais zonas de afectação e a caracterizar o mais rigorosamente possível a diacronia do local.

Instalação de Condutas de Distribuição de Gás — Delães — V. N. de Famalicão

Os trabalhos arqueológicos procuraram avaliar, por um lado, o eventual grau de destruição do sítio pelas valas já escavadas e, por outro, diagnosticar a presença de contextos preservados em zonas ainda não abertas.

Rua dos Poiais de São Bento 1-9/Rua Poço dos Negros 6, Lisboa

Estes trabalhos arqueológicos foram realizados no âmbito das obras de reabilitação do edifício, permitido aferir alguns dados referentes a diferentes momentos de ocupação do palácio.

Alto do Coruto, Escariz, Arouca

Foi aberta uma sondagem de 5m2 numa área de concentração de blocos graníticos que poderiam corresponder à Mamoa 2 da Urreira descrita por Fernando Silva (2004).

Calçada Marquês de Abrantes, nº 17, Lisboa

Realizou-se o acompanhamento arqueológico da abertura de quatro sondagens geotécnicas e da execução de duas sondagens arqueológicas manuais de diagnóstico neste edifício.

Linha Caniçada Riba D’Ave/Guimarães, a 150 kV, Subestação de Fafe

Foram realizadas seis sondagens prévias de diagnóstico, implantadas nas zonas a afectar pela construção dos apoios 48, 48A e 49, de forma a caracterizar o mais rigorosamente possível a diacronia do local.

Largo do Chão do Loureiro, Lisboa

Os trabalhos foram realizados em duas fases, consistindo a primeira na execução de duas sondagens de diagnóstico e a segunda no acompanhamento arqueológico da abertura de vala para a colocação de infraestruturas de telecomunicações.

Rua da Lapa nº 69, Lisboa

A intervenção consistiu na realização de sondagens geotécnicas com o objectivo de analisar a consistência dos alicerces e de sondagens arqueológicas no interior e exterior do edifício.

Avenida de São Domingos, Elvas, Recuperação e Reabilitação do troço da Muralha

Estes trabalhos consistiram na abertura de três sondagens de diagnóstico, encostadas ao pano de Muralha, com o objectivo de obter uma leitura estratigráfica e a caracterização do seu processo construtivo.

Rua da Misericórdia nº 135-137, Lisboa

Foram realizadas 3 sondagens de diagnóstico em áreas a afectar pelo projecto de execução da obra.

Rua do Facho nº 35, Óbidos

Foram realizadas cinco sondagens arqueológicas manuais, de diagnóstico preliminar, permitindo assim uma primeira avaliação do potencial arqueológico da área de incidência do projecto de reconstrução/ampliação do prédio

Rua da Madalena nº 75, Lisboa

A ERA realizou, em 2016, trabalhos de diagnóstico arqueológico no imóvel sito na Rua da Madalena nº 75, situado em zona de nível I do PDM de Lisboa, estando igualmente abrangido pelo Plano de Pormenor da Baixa.

Projecto de Adaptação Parcial do Extinto Tribunal da Boa Hora, Lisboa

O Largo da Boa-Hora localiza-se em Zona de Nível 1 do PDM de Lisboa e insere-se na área designada por “Baixa Pombalina”, o que implicava a afectação de áreas com potencial arqueológico por parte das obras de adaptação do edifício.

Villa Vergani, Almoçageme

Os trabalhos de diagnóstico arqueológico consistiram na abertura mecânica de três sondagens na área correspondente ao jardim da propriedade e de duas sondagens na área de acesso circundante ao jardim.

Rua dos Correeiros, nº 181-183, Lisboa

Realizou-se uma sondagem arqueológica na área referente à futura instalação do poço de elevador no âmbito do projecto de requalificação do imóvel.

Escola Luísa Ducla Soares, Rua do Passadiço, n.º 86, Lisboa

Esta intervenção surgiu da necessidade de avaliação, em termos arqueológicos, da realização de poços de inspecção estrutural e geotécnica na Escola Luísa Ducla Soares, no âmbito de um projecto de reabilitação do espaço.

Travessa André Valente, n.º 13, Lisboa

O plano de sondagens arqueológicas programado, e previamente aprovado pela DGPC (3 sondagens de diagnóstico), pretendia avalizar as intervenções exteriores previstas no projecto.

Largo do Carmo, 8-10, Lisboa

A intervenção consistiu na execução de 9 sondagens arqueológicas com vista a aferir o potencial arqueológico do local e assim dotar o cliente das informações necessárias à execução de futuros projectos de requalificação do edificado.

Travessa das Mónicas, n.º 17, Lisboa

As obras a realizar no edifício implicavam a afectação de áreas com potencial arqueológico, localizadas na Zona de Protecção do Castelo de S. Jorge e Restos das Cercas de Lisboa e na Zona Especial de Protecção ao Palácio Condes de Figueira.

Rua do Ferragial, 9-13, Lisboa

A obra a realizar neste local implicava a afectação de áreas com potencial arqueológico, já que se desenvolve na Zona de Intervenção de Nível II do PDM de Lisboa, estando o imóvel classificado como Conjunto de Interesse Público (CIP).

Largo D. Paulo da Gama, n.º 8, Palhais

O acompanhamento arqueológico teve como objetivo responder às condicionantes estabelecidas para a execução do projecto para a remodelação e ampliação do edifício.

Avenida da Ribeira das Naus, Lisboa

Os labores arqueológicos realizados no âmbito do empreendimento de requalificação da Avenida da Ribeira das Naus, na sua primeira fase, dedicada ao avanço de margem previsto no projecto desta empreitada.

Parque Central do Cartaxo

Os trabalhos de remoção mecânica para a instalação do Parque Subterrâneo Automóvel permitiram identificar contextos arqueológicos preservados que tudo indicava pertencerem a um antigo complexo religioso.

Parque de Estacionamento da Praça Dom Luís I, Lisboa

Neste trabalho foi exposto, registado, ortofotografado e desmontado um conjunto estrutural diacrónico, do qual se destacaram quatro estruturas portuárias (séculos XVII e XVIII): um cais de madeira e alvenaria, um estaleiro naval de grandes dimensões, o cais do Forte de São Paulo e o cais da Casa da Moeda.

Avenida dos Bombeiros Voluntários, Parede (Cascais)

Esta intervenção decorreu no âmbito de um projecto de recuperação de uma moradia, encontrando-se o lote de terreno no perímetro do Povoado pré-histórico da Parede, classificado como Bem Cultural de Interesse Patrimonial.

Rua de São Bento, 562-570, Lisboa

Apesar dos trabalhos de remodelação do edificado terem começado antes da chegada da equipa de arqueologia, foi ainda assim possível fazer uma leitura da estratigrafia do local.

Rua Beato Rodrigues e Av. Combatentes da Grande Guerra, Alcochete

O objectivo desta intervenção foi o diagnóstico prévio de uma área abrangida por uma Zona Especial de Protecção da Igreja de Alcochete, Capela da Nossa Senhora da Vida e Igreja da Misericórdia de Alcochete.

Escadinhas do Duque e Calçada da Glória, Lisboa

Esta intervenção visou definir os critérios que fundamentariam as acções de conservação e de arqueologia relativas ao troço de Muralha Fernandina existente na área do património edificado da CP.

Rua da Fonte, 6-12, Carnide, Lisboa

As obras de reabilitação do imóvel implicavam a afectação de áreas com potencial arqueológico, já que integram a Zona Antiga de Carnide-Luz, em vias de classificação como Conjunto de Interesse Público.

Forte da Consolação, Peniche

Dado que o projecto de recuperação do Forte implicava a afectação de áreas com potencial arqueológico, já que se desenvolvia num edifício classificado como Monumento Nacional, foi preconizada a realização de sondagens de diagnóstico.

Rua das Alcássimas, 16-18, Oeiras

Foram executadas 5 sondagens de diagnóstico, no sentido de aferir a existência de possíveis contextos que pudessem vir a ser afectados pelo empreendimento de construção de um edifício.

Jardim da Cerca do Hospital, Almeirim

As obras a realizar no Jardim da Cerca do Hospital implicavam a afectação de áreas com potencial arqueológico, como verificado pela intervenção efectuada em 2003.

Rua Nova do Desterro, 16, Lisboa

Esta intervenção consistiu na definição de um Plano de Actuação Arqueológica que permitisse aferir o potencial arqueológico e patrimonial da área de implantação do imóvel.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Alqueva

Esta intervenção enquadrou-se numa perspectiva de Minimização de Impactes sobre o Património Cultural decorrente da implementação do Bloco de Rega de Ferreira Figueirinha e Valbom (Fase de Obra), integrado no Sistema Global de Rega do Alqueva.

Sítio do Barranco do Pinheiro, Bloco de Rega de Brinches, concelho de Serpa

Estes trabalhos enquadraram-se numa perspectiva de minimização de impactes sobre o património cultural decorrentes da execução do Bloco de Rega de Brinches, no concelho de Serpa.

Palácio dos Lumiares, Lisboa

Os objectivos visavam um diagnóstico, determinado na sequência da primeira intervenção no local, a qual evidenciou o potencial arqueológico do subsolo do Palácio dos Lumiares.

Bloco de Rega de Faro, sítio de Covas 1

O sítio de Covas 1 foi intervencionado pela ERA no âmbito da Minimização de Impactes sobre o Património Cultural resultantes da execução do Bloco de Rega de Faro, correspondendo a uma série de estruturas negativas identificadas em vala no decorrer da empreitada.

Bloco de Rega de Faro, sítio Monte da Mourata 3

A intervenção arqueológica no sítio Monte da Mourata 3 assentou na minimização de impactes sobre um conjunto de estruturas negativas identificadas no decorrer da obra.

Sítio de Meu Jardim, EN 242 – variante da Nazaré, Concessão do Litoral Oeste

Os trabalhos enquadraram-se no processo de minimização de impactes sobre o património decorrentes da execução da EN 242 – variante da Nazaré, no âmbito da execução da Concessão do Litoral Oeste.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Horta do João da Moura 1

No sítio da Horta do João da Moura 1, identificaram-se dois monumentos funerários pré-históricos (tipo Tholos).

Avenida dos Aliados, 151-179, Porto

Estes trabalhos visaram a caracterização/diagnóstico preliminar do potencial científico e patrimonial dos contextos arqueológicos presentes na área a afectar pela Remodelação e Ampliação da Antiga Pensão Monumental.

Rua dos Machados, 5-7, Tavira

Esta intervenção inseriu-se numa perspectiva de minimização de impactes patrimoniais face aos trabalhos de movimentações de terras, picagem de paredes e/ou demolições de paredes, previstos no âmbito da empreitada de reabilitação deste edifício.

Quarteirão dos Lagares, Mouraria, Lisboa

O objectivo foi a caracterização funcional e cronológica deste espaço, tendo também por base os dados resultantes de trabalhos anteriores, onde se identificaram vestígios de um jardim do século XVI, que teria sido construído sobre contextos relacionados com a produção oleira.

Rua da Assunção, 88, Lisboa

Determinou-se a abertura de uma sondagem arqueológica de diagnóstico, a qual incluiu a totalidade do subsolo a afectar para construção de um poço de elevador.

Centro de Saúde de Alhandra, concelho de Vila Franca de Xira

No âmbito da construção do futuro Centro de Saúde de Alhandra, no local onde antigamente se situava a Igreja de S. Francisco, foram realizadas 15 sondagens arqueológicas, num total de 64 m2.

Largo da Rosa, Mouraria, Lisboa

Esta intervenção resultou da identificação de restos humanos nas terras provenientes de uma vala aberta no Largo da Rosa, no âmbito do acompanhamento arqueológico do projecto de remodelação da Mouraria de Lisboa, durante o qual foram recolhidos dois crânios e diversos outros ossos.

Palácio Condes de Azevedo, Rua da Porta do Sol, 2, Porto

Os trabalhos iniciais, estudo histórico-espacial e sondagens de diagnóstico, ocorreram entre Janeiro e Fevereiro de 2013, sendo que o acompanhamento arqueológico teve início em Fevereiro de 2014, decorrendo continuamente durante esse ano até à sua conclusão em 17 de Abril de 2015.

Rua António da Costa Ascensão, nº 8, Loulé

Assim, a realização desta sondagem de diagnóstico tinha como objectivo a caracterização tipológica e cronológica da estrutura negativa aparentemente melhor conservada.

Travessa André Valente, nº 13-19, Lisboa

Efectuaram-se três sondagens de diagnóstico, implantadas nas áreas de construção de vigas, com o objectivo de avaliar o potencial arqueológico deste espaço e consequentemente determinar as medidas de minimização a aplicar.

EPAL - Ruas do Lumiar e Alexandre Ferreira, Lisboa

Foram realizadas sondagens e acompanhamento arqueológico no decurso do projecto de Renovação de condutas de água do Lumiar, mais concretamente nas Ruas do Lumiar e Alexandre Ferreira.

Aqueduto das Águas Livres, Carenque

No âmbito do empreendimento de Construção da 2ª Fase da Nova Conduta Adutora entre o R. do Alto de Carenque e o R. das Mercês, Foi realizada uma sondagem de diagnóstico sob o arco do aqueduto, na Rua do Arco, freguesia da Mina.

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Barranco do Guadiana 2

O sítio em questão foi considerado como uma área com vestígios de superfície do período romano, tendo a intervenção consistido na execução de 4 sondagens manuais de diagnóstico dentro da zona onde estava projetada a implantação das infraestruturas.

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Barranco de Vale de Cavalos 1

Estes trabalhos arqueológicos foram realizados no âmbito da “Minimização de Impactes sobre o Património Cultural decorrentes da execução do Circuito Hidráulico S. Pedro - Baleizão – Fase Prévia à Obra”.

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Monte da Atouguia 2

Estes trabalhos consistiram na realização de 2 sondagens manuais de diagnóstico dentro da área onde estava projetada a implantação das infraestruturas, num total de 8 m².

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Monte Branco 5

À superfície identificaram-se materiais arqueológicos que representam uma fase de ocupação relacionada com um momento da pré-história antiga. Este conjunto engloba indústria lítica talhada (lascas, núcleos, percutores), com acentuado desgaste das arestas.

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Monte Branco 8

Esta intervenção arqueológica foi desenvolvida no sítio de Monte Branco 8, considerado no EIA como uma mancha de ocupação com cronologia atribuída à Pré-História.

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Monte Branco 10

Estes trabalhos consistiram na realização de 5 sondagens manuais de diagnóstico na área onde estava projectada a implantação de infraestruturas de rega, num total de 20 m².

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Monte da Chaminé 2

O sítio em questão foi inventariado com o nº 279 e considerado no Estudo de Impacte Ambiental como um habitat de cronologia atribuída à pré-história e ao período romano.

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Monte da Corte Piorno 2

No local foram realizadas três sondagens mecânicas de diagnóstico que procuraram caracterizar a estratigrafia da área de afectação da empreitada e compreender a possível presença do sítio arqueológico em questão nessa mesma localização.

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Monte dos Frades 3

O sítio em questão foi assinalado e inventariado no Estudo de Impacte Ambiental deste Circuito Hidráulico, caracterizando-se pela presença de alguns vestígios de superfície de cronologia romana.

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Monte da Laje de Cima

Procedeu-se à realização de 3 sondagens mecânicas de diagnóstico dentro da área onde estava projetada a implantação das infraestruturas, num total de 12 m².

Escadas das Verdades, 48-50, Porto

As obras de reabilitação de um edifício implicavam a afectação de áreas com potencial arqueológico, uma vez situadas na Zona de Protecção (-50 M) do Paço Episcopal do Porto, Monumento Nacional.

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Outeiro 2

O sítio em questão foi considerado no Estudo de Impacte Ambiental como uma área de concentração de grandes blocos pétreos com algumas marcas gravadas, mencionando-se o aparecimento de um fragmento de tegulae.

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Vale de Alcaide de Baixo 2

Foi realizada uma sondagem arqueológica de diagnóstico que procurou caracterizar a estratigrafia da área de afectação da empreitada.

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Vale de Vinagre 5

O sítio em questão foi assinalado e inventariado com o n.º 186 no Estudo de Impacte Ambiental do Circuito Hidráulico, caracterizando-se por ser uma pequena área de dispersão de materiais de superfície, incaracterísticos e algo rolados.

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Vale de Vinagre

Foram realizadas três sondagens mecânicas de diagnóstico que procuraram caracterizar a estratigrafia da área de afectação da empreitada e compreender a possível presença do sítio arqueológico em questão nessa mesma localização.

Centro de Artes e Tecnologia, Belém, Lisboa

Durante a intervenção foram detectadas diferentes realidades arqueológicas. A fase mais recente (séc. XX) materializou-se pelas edificações de carácter industrial relacionadas com a antiga Central Tejo, complexo conhecido pela produção de electricidade a carvão.

Programa Polis do Litoral Sudoeste, Praia do Malhão, Odemira

A ERA levou a cabo ações de reavaliação de prospecção arqueológica sistemática e sondagens arqueológicas na Praia do Malhão, no âmbito do empreendimento Programa Polis do Litoral Sudoeste.

Programa Polis do Litoral Sudoeste, Praia da Samouqueira, Sines

No âmbito do empreendimento Polis do Litoral Sudoeste, foram aqui desenvolvidos, de janeiro a junho de 2014, trabalhos arqueológicos de prospeção, diagnóstico (sondagens) e acompanhamento de obras.

Rua de S. Julião, n.º 72 Lisboa

Estes serviços arqueológicos decorreram no âmbito do empreendimento de requalificação do n.º 72 da Rua de S. Julião, o qual implicou a afectação de áreas com potencial de carácter arqueológico, dado que se desenvolveu em zonas de intervenção de nível 1 do PDM.

Circuitos Hidráulicos de Amoreira-Caliços e Caliços-Pias, Monte da Guedelha 1

Foram implantadas sondagens de forma a caracterizar espacialmente as estruturas negativas identificadas no local, nomeadamente 15 estruturas negativas do tipo fossa e duas estruturas negativas com formatos ovais, provavelmente fundos de assentamentos domésticos.

Largo Rafael Bordalo Pinheiro, Lisboa

A intervenção realizada no âmbito do Projecto de Requalificação do Largo Rafael Bordalo Pinheiro permitiu confirmar alguns dados urbanísticos presentes nas fontes históricas e cartográficas.

Rua das Gaivotas, n.º 18 (antiga Fábrica de Vidro das Gaivotas), Lisboa

As sondagens de diagnóstico realizadas visaram a caracterização do potencial científico dos contextos presentes no local, fundamental para a definição do efectivo potencial patrimonial e complexidade específica deste espaço.

Beco do Castelo, Letra A, e Calçada da Rosa, 18-A, Lisboa

Realizaram-se duas sondagens de diagnóstico e subsequentes trabalhos de acompanhamento arqueológico, que permitiram caracterizar a ocupação deste espaço.

Bloco de Rega Moura Gravítico, Barranco dos Caliços (ID62)

Foram realizadas quatro sondagens manuais de diagnóstico, que procuraram caracterizar a estratigrafia da área e compreender a possível presença deste sítio arqueológico.

Bloco de Rega Moura Gravítico, Monte dos Coteis 5

Embora tivessem sido identificados raros elementos líticos (à superfície e muito rolados) no terreno onde se realizaram as sondagens, estes elementos não foram observados durante a escavação das mesmas.

Bloco de Rega Moura – Gravítico, Vale de Carvão 1

Caracterizado como uma mancha de ocupação com materiais enquadráveis na Idade do Ferro, Romano e Medieval, no Vale de Carvão 1 observaram-se fragmentos de cerâmica com baixa densidade, levantados pelas valas abertas para plantação do olival.

Bloco de Rega Moura – Gravítico, Vale de Figueiras 4

Esta intervenção consistiu na realização de 9 sondagens, no total de 84,25 m², que incidiram sobre um conjunto de 9 estruturas negativas identificadas no decorrer do acompanhamento de obra.

Bloco de Rega Moura – Gravítico, Vale de Carvão 7

Esta intervenção consistiu na realização de 3 sondagens de diagnóstico, no total de 32 m², que incidiram sobre um conjunto de estruturas negativas identificadas no decorrer do acompanhamento de obra.

Bloco de Rega Moura – Gravítico, Cabral 3

Esta intervenção consistiu na escavação integral, no total de 4m ², de uma estrutura negativa de planta circular, sem qualquer tipo de material associado.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Adegas

Foi programada a realização de quatro sondagens e respectivos alargamentos, de forma a intervencionar a totalidade dos contextos arqueológicos na área de afectação, num total de 107 m².

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Atalaia da Quinta

Foram realizadas 3 sondagens, num total de 20 m², para caracterização das possíveis estruturas identificadas, tendo esta área sido definida de acordo com a área de afectação e os vestígios existentes à superfície.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Braceeira

Os contextos intervencionados em ambas as sondagens puderam ser enquadrados numa cronologia romana, representando um pequeno casal rústico a cuja área edificada se associava uma estrutura de combustão.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Cancelinha 1

Durante o acompanhamento de obra associado ao projecto, foi identificado um conjunto de possíveis estruturas negativas de carácter arqueológico. Procedeu-se então à execução de um total de 18 sondagens arqueológicas para escavação dos referidos contextos.

Bloco de Rega Moura – Gravítico, Casa da Vinha

Esta intervenção consistiu na realização de 6 sondagens de diagnóstico, no total de 14, 75 m², que incidiram sobre um conjunto de estruturas negativas identificadas no decorrer do acompanhamento arqueológico de abertura de vala.

Bloco de Rega Moura – Gravítico, Monte da Talabita 3

Estabeleceu-se a realização de 1 sondagem manual de modo a melhor caracterizar uma ocorrência identificada no decurso do acompanhamento arqueológico de obra.

Bloco de Rega Moura – Gravítico, Vale de Figueiras 5

Esta intervenção consistiu na realização de 2 sondagens de diagnóstico, no total de 5 m², que incidiram sobre duas estruturas negativas identificadas no decorrer do acompanhamento de obra.

Rua de São Julião/Rua Augusta, Lisboa

Estes labores arqueológicos integraram-se no empreendimento de abertura de vala para instalação de cablagem de fibra óptica na Rua de São Julião/Rua Augusta.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Cancelinha 2

Perante possíveis estruturas negativas de carácter arqueológico, foi programada a realização de quatro sondagens, implantadas no local de acordo com a área de afectação e com os vestígios existentes à superfície.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Convento de São Francisco

Perante a identificação de uma mancha de materiais durante o acompanhamento de obra associado ao projecto, foi realizada uma sondagem para diagnóstico destes contextos.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Convento de São Francisco 2

No contexto da minimização de impactes decorrentes da execução destes Blocos de Rega, a ERA realizou 8 sondagens arqueológicas no sítio do Convento de São Francisco 2.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Convento de São Francisco 3

Foi programada a realização de 8 sondagens arqueológicas na sequência de possíveis contextos arqueológicos identificados durante o acompanhamento de obra associado à execução deste projeto.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Convento de São Francisco 5

Levados a cabo em três fases diferenciadas, estes trabalhos permitiram identificar um conjunto de silos de provável cronologia medieval, uma sepultura da Idade do Ferro e alguns contextos não arqueológicos.

Quinta Alegre – Palácio do Marquês do Alegrete, Lisboa

Estes trabalhos de diagnóstico arqueológico abrangeram uma superfície total de 95 m2 distribuídos pelas áreas de maior interesse para o projecto de arquitectura paisagista.

Largo de São Martinho, Lisboa

Os trabalhos realizados no Largo de São Martinho permitiram identificar os vestígios de uma ocupação do período romano, atestada pela presença de um pavimento em opus signinum.

Rua da Madalena, 54-60, Lisboa

A ERA levou a cabo, em 2013, sondagens arqueológicas de diagnóstico no n.º 54 da Rua da Madalena.

Adutor de Vale do Gaio (troço 4), Horta de S. Roque 1

Realizaram-se duas sondagens manuais no eixo central da área de afectação, numa área de dispersão de materiais arqueológicos à superfície.

Adutor de Vale do Gaio (troço 4), Horta de S. Roque 2

Embora estivesse preconizado um conjunto de 10 sondagens de diagnóstico arqueológico, face aos resultados obtidos nas primeiras, optou-se pela realização de apenas 6 sondagens manuais no eixo central da área de afectação, implantadas numa área de dispersão de materiais arqueológicos à superfície.

Adutor de Vale do Gaio (troço 4), Horta do Cabral 5

Na sequência da identificação, durante o acompanhamento de obra, de uma possível estrutura negativa de carácter arqueológico, foi programada a realização de uma sondagem arqueológica, implantada no local de acordo com a área de afectação e com os vestígios existentes à superfície.

Adutor de Vale do Gaio (troço 4), Horta do Cabral 6

Perante a identificação de um conjunto de manchas circulares que apontavam ser estruturas negativas de origem antrópica, foi necessário caracterizar e proceder ao seu salvamento através do registo.

Blocos de Rega de Vale do Gaio e Adutor de Vale do Gaio, Horta do Pinheiro 5

Os trabalhos permitiram identificar um conjunto de estruturas negativas tipo fossa, uma delas utilizada como espaço funerário, e uma área de necrópole, com diversos enterramentos.

Blocos de Rega de Vale do Gaio e Adutor de Vale do Gaio, Horta do Pinheiro 6

Após se terem identificado, neste sítio, 6 interfaces negativas tipo fossa e fosso, no decurso dos trabalhos de acompanhamento de decapagem de vala, foram realizadas sondagens arqueológicas para caracterização destas ocorrências.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Barranco de Rio de Moinhos 1

Os trabalhos permitiram caracterizar dois muros identificados aquando do acompanhamento das decapagens realizadas no âmbito deste projeto, estando relacionados com uma estrutura hidráulica tipo caleira, para deslocação de água.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Barranco de Rio de Moinhos 2

Durante a escavação foram identificadas nove estruturas negativas correspondentes a deposições, provavelmente secundárias, de restos de cremações funerárias.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Cerro dos Outeirões

Os trabalhos iniciaram-se no seguimento da descoberta, em ações de acompanhamento arqueológico, de uma interface negativa escavada no substrato geológico.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Covanco das Mesas 1

No local foram realizadas dez sondagens de diagnóstico, com meios mecânicos, que permitiram caracterizar a estratigrafia da área.

Ligação ao Sistema de Adução de Morgável, Ermidas Aldeia

De modo a avaliar o potencial arqueológico do local, realizaram-se 6 sondagens mecânicas no eixo central da área de afectação, implantadas numa área de dispersão de materiais arqueológicos à superfície.

Ligação ao Sistema de Adução de Morgável, Ermidas Aldeia 2

Realizaram-se 5 sondagens mecânicas no eixo central da área de afectação, numa área total de 20 m², implantadas numa plataforma localizada na margem direita do rio Sado.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Foro dos Escanchados

Realizaram-se 3 sondagens arqueológicas, a implantar no local de acordo com os objectivos propostos, a área de afectação e os vestígios existentes à superfície, procurando-se caracterizar duas possíveis fossas e uma mancha com materiais.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Horta do Monte Grande

Realizou-se uma sondagem que permitiu caracterizar uma interface negativa identificada durante os trabalhos de acompanhamento da obra.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Moinhos 3

Foram realizadas três sondagens de diagnóstico, que permitiram caracterizar a estratigrafia da área. Em todas a sondagens apenas se identificaram depósitos de origem natural, sem quaisquer materiais arqueológicos associados.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Monte Alegre 1

Foram realizadas cinco sondagens manuais com o objectivo de caracterizar um conjunto de realidades de potencial interesse arqueológico.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Monte da Pinha

Efetuou-se uma sondagem manual com o objectivo de caracterizar uma uma estrutura negativa de pequenas dimensões com sinais de combustão.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Monte das Quartelhas 1

Foi realizada uma sondagem manual com o objectivo de caracterizar uma ocorrência de possível interesse arqueológico, aparentemente uma estrutura de argamassa.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Monte das Quartelhas 2

Foi realizada uma sondagem manual com o objectivo de caracterizar uma ocorrência de possível interesse arqueológico, aparentemente uma estrutura negativa.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Monte do Brás da Gama

Foram realizadas seis sondagens manuais com o objectivo de caracterizar um conjunto de estruturas negativas, de natureza possivelmente antrópica e características muito semelhantes.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Freixeira

Foram realizadas 5 sondagens arqueológicas, num total de 8 m2, para escavação de possíveis estruturas negativas.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Galaz

A escavação realizada permitiu identificar duas estruturas negativas escavadas na rocha, de formas irregulares e função indeterminada.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Herdade da Viuvinha 1

Foram realizadas três sondagens, verificando-se que, embora duas estruturas negativas pudessem ter origem antrópica (possíveis buracos de árvore), nenhuma teria cariz arqueológico.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Herdade dos Lanças 2

Realizaram-se duas sondagens implantadas sobre manchas de forma tendencialmente circular que corresponderiam a duas estruturas negativas.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Horta da Cancela 2

Foram implantadas sondagens no local de acordo com a área de afectação e com os vestígios existentes à superfície: um possível forno e um pequeno covacho, ambos de cronologia indeterminada, e ainda duas possíveis estruturas negativas.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Horta da Cancela 4

O acompanhamento de obra associado ao projecto identificara, na C1.3 Alvito Alto, uma sepultura e uma estrutura negativa subcircular. Perante estes contextos, programou-se a realização de duas sondagens arqueológicas numa área total de 8,5 m².

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Horta da Figueira 1

Perante a identificação de duas possíveis interfaces negativas, de difícil definição, junto às quais se recolhera cerâmica manual e uma esquírola de quartzo, procedeu-se à execução de uma sondagem arqueológica, implantada no local para escavação destes contextos.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Horta da Figueira 2

Realizou-se uma sondagem arqueológica, implantada no local de acordo com a área de afectação e com os vestígios existentes à superfície: uma canalização de cronologia indeterminada e uma possível estrutura negativa.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Horta da Figueira 5

Procedeu-se à realização de uma sondagem arqueológica, com o objectivo de caracterizar uma estrutura já afectada e visível apenas em corte.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Horta Nova 4

Face à identificação de um conjunto de contextos arqueológicos, programou-se, inicialmente, a realização de um conjunto de sondagens arqueológicas de diagnóstico, posteriormente alargadas para escavação e caracterização dos contextos em área de afectação de obra.

Circuito Hidráulico de São Matias, Arrancada da Polina

Numa perspetiva de minimização de impactes sobre o património resultantes da execução deste Circuito Hidráulico, foram implantadas duas sondagens de modo a abranger duas manchas de material e uma estrutura.

Circuito Hidráulico de São Matias, Esfola

Estabeleceu-se a realização de 2 sondagens arqueológicas para caracterização de uma mancha com alguns materiais de cronologia romana, associada a alguns elementos pétreos.

Circuito Hidráulico de São Matias, Herdade dos Almeidas 6

Estes trabalhos iniciaram-se no seguimento da descoberta, em acompanhamento arqueológico, de mais de duas dezenas interfaces negativas de planta subcircular e irregular, do tipo fossa, preenchidas por um sedimento argiloso.

Circuito Hidráulico de São Matias, Horta do Monte Barbosa 1

Foi implantada uma sondagem de modo a abranger uma mancha de materiais de cronologia romana, descoberta em ações prévias de acompanhamento arqueológico.

Circuito Hidráulico de São Matias, Horta do Pombal

Foram escavadas duas estruturas negativas de tipo “fossa”, com depósitos compostos essencialmente por sedimento arenoso embalando pedras de pequena e média dimensão e algum material cerâmico.

Circuito Hidráulico de São Matias, Monte da Cegonha

Na execução destes labores foram implantadas quatro sondagens, de modo a abranger duas manchas de material, uma interface negativa tipo vala e um recipiente cerâmico que se suspeitava tratar de uma urna funerária.

Circuito Hidráulico de São Matias, Monte da Polina 1

Esta intervenção resultaram da descoberta, em trabalhos de decapagem mecânica do terreno, de vários vestígios arqueológicos, sendo abrangida uma área total de 481,41 m², distribuída por várias sondagens e dividida por dois núcleos de ocupação.

Circuito Hidráulico de São Matias, Monte da Polina 2

Foi implantada uma sondagem, num total de 4 m2, de modo a permitir a caracterização de uma eventual estrutura existente no local.

Circuito Hidráulico de São Matias, Monte do Zambujal 1

Os trabalhos iniciaram-se no seguimento da descoberta, em acompanhamento arqueológico, de duas interfaces negativas escavadas no substrato geológico, sendo realizada 1 sondagem de diagnóstico manual com vista à caracterização destas ocorrências.

Circuito Hidráulico de São Matias, Monte do Zambujal 3

No seguimento da descoberta de uma caleira construída no substrato geológico, foram realizadas quatro sondagens de diagnóstico manuais com vista à caracterização da mesma e de uma eventual interface negativa localizada no limite sul do sítio.

Circuito Hidráulico de São Matias, Monte de Mata Bodes

Realizaram-se 3 sondagens arqueológicas de diagnóstico para escavação e caracterização de um conjunto de estruturas negativas identificadas no decorrer do acompanhamento de obra.

Circuito Hidráulico de São Matias, Monte de Mata Bodes 4

As sondagens arqueológicas realizadas permitiram identificar um conjunto de estruturas em negativo que julgámos serem de diferentes épocas cronológicas, atestando a ocupação deste Monte ao longo dos tempos.

Circuito Hidráulico de São Matias, Monte do Meio 6

A intervenção consistiu na escavação integral de 2 estruturas negativas, num total de 5 m2, que se encontravam dispersas entre os PK 7+278 e 7+280.

Circuito Hidráulico de São Matias, Monte dos Arcos 1

Foi estabelecida a realização de 7 sondagens arqueológicas, num total de 85,50 m2, para escavação e caracterização de uma série de vestígios associados a cerâmica de construção de cronologia Romana.

Circuito Hidráulico de São Matias, Presilhas

No seguimento da descoberta, em acompanhamento arqueológico, de vestígios de um forno de cerâmica, foi implantada uma sondagem de modo a abranger esta estrutura.

Carenque, Amadora

Foram realizadas 12 sondagens de diagnóstico junto às grutas artificiais de Carenque.

Rua do Passeio Alegre, n.º 258-280, Porto

Levou-se a cabo a avaliação do potencial arqueológico do local, através de sondagens de diagnóstico. Posteriormente, efetuou-se o acompanhamento arqueológico de movimentações de terra que pudessem incidir sobre contextos arqueológicos preservados, coetâneos ou não com as estruturas identificadas na fase de diagnóstico.

Circuito Hidráulico S. Pedro – Baleizão, Magra 3

Foi possível aferir que este sítio teria duas fases de ocupação, a primeira correspondendo a um assentamento de cariz industrial, vocacionado para a extracção de pedra e posterior transformação da matéria-prima em época romana, datada de meados do séc. I d.C.

Rua dos Lagares, 24, Lisboa

Durante a remoção mecânica dos depósitos de superfície (aterros recentes), no âmbito da abertura das fundações para construção de um posto de transformação (PT), foi detectada a presença de restos humanos, pelo que se suspenderam os trabalhos com recurso a meios mecânicos.

Herdade do Mercador (Mourão), Monte do Mercador 7

Os trabalhos realizados identificaram a continuação dos contextos escavados na primeira fase, correspondentes a uma ocupação materializada pela presença de compartimentos, buracos de poste e lajeados de cariz habitacional.

Circuito Hidráulico de São Matias, Quinta das Faias

Na primeira fase dos trabalhos foi escavada uma sepultura de incineração de cronologia romana. Já os trabalhos da 2.ª fase permitiram a identificação de 3 estruturas negativas.

Circuito Hidráulico de São Matias, Ribeira de São Pedro 4

Estes trabalhos iniciaram-se no seguimento da descoberta, em acompanhamento arqueológico, de uma mancha com materiais de cronologia desconhecida associada a vários alinhamentos pétreos (possíveis estruturas) e derrubes.

Circuito Hidráulico de São Matias, Ribeira de São Pedro

Estes trabalhos consistiram na realização de uma sondagem de 7 m² para a escavação de uma numa estrutura negativa com materiais atribuíveis ao Bronze Final/Idade do Ferro.

Circuito Hidráulico de São Matias, Romeirã 4

A intervenção consistiu no alargamento de uma das sondagens (sondagem 1) realizada pela equipa afecta aos trabalhos prévios de Minimização de Impactes da referida empreitada, num total de 36 m2, para diagnóstico e caracterização de vestígios arqueológicos aí identificados.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Monte do Serralho 1

Assinalado e inventariado na sequência de trabalhos de prospecção arqueológica realizados durante a Avaliação de Impacte Ambiental, o sítio em questão corresponde a uma ocorrência patrimonial localizada numa área a afectar pelas infraestruturas a construir.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Monte do Serrano 1

Foram realizadas quatro sondagens manuais com o objectivo de caracterizar um conjunto de realidades de possível interesse arqueológico.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Monte dos Escanchados

Foi realizada uma sondagem manual com o objectivo de caracterizar uma ocorrência de possível interesse arqueológico.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Monte dos Escanchados 2

Foram realizadas oito sondagens manuais com o objectivo de caracterizar um conjunto de realidades de possível interesse arqueológico.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Monte dos Nabos de Cima

Esta intervenção incidiu sobre uma concentração composta por numerosos fragmentos de dollia, aparentemente in situ, identificada no decurso do acompanhamento de abertura da conduta C8.

Ligação ao Sistema de Adução de Morgável, Monte Novo dos Modernos 1

Realizaram-se 11 sondagens manuais no eixo central da área de afectação, implantadas numa área de dispersão de materiais líticos à superfície e de acordo com as condições geomorfológicas do local.

Ligação ao Sistema de Adução de Morgável, Monte Novo dos Modernos 2

Realizaram-se 3 sondagens mecânicas no eixo central da área de afectação, implantadas numa plataforma adjacente ao sítio de Monte Novo dos Modernos 1.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Porto Monte Coelho

Esta intervenção iniciou-se no seguimento da descoberta, em trabalhos de decapagem mecânica, de estruturas e alinhamentos pétreos, sendo identificados e caracterizados os vestígios remanescentes de um moinho.

Sistema de Adução de Morgável, Vale da Represa 1

Realizaram-se 8 sondagens mecânicas no eixo central da área de afetação, implantadas numa área de dispersão de materiais arqueológicos à superfície e de acordo com as condições geomorfológicas do local.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Vale Verde 1

No local foram realizadas dez sondagens de diagnóstico, com meios mecânicos, que permitiram caracterizar a estratigrafia da área. Sob os níveis de utilização agrícola do terreno, identificou-se o substrato geológico.

Circuito Hidráulico de Roxo-Sado, Vale Serrão

Os trabalhos incidiram sobre uma mancha de materiais identificada à superfície, correspondendo à abertura de 3 sondagens. Posteriormente, foi intervencionada uma estrutura negativa.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Monte do Azinhal

Foi programada a realização de uma sondagem arqueológica que permitisse a caracterização de uma estrutura já afectada e visível apenas em corte.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Monte dos Cabreiros 1

Realizou-se uma sondagem implantada sobre uma mancha de forma circular, parcialmente afectada na metade oeste durante a decapagem mecânica decorrente da obra, que corresponderia a uma estrutura negativa.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Monte do Barão 3

No âmbito do acompanhamento de obra haviam sido identificadas três manchas com materiais e duas interfaces negativas circulares. Perante estes contextos, foram realizadas cinco sondagens arqueológicas, num total de 16,25 m².

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Monte dos Lanças 1

Realizaram-se duas sondagens implantadas sobre manchas de forma circular que corresponderiam a duas estruturas negativas de cariz possivelmente arqueológico.

GALP - Largo da Severa, Lisboa

Levou-se a cabo o acompanhamento arqueológico da abertura de uma vala para a colocação de gás canalizado e, posteriormente, a realização de uma sondagem arqueológica em virtude do aparecimento de uma estrutura durante o acompanhamento.

Rua Henriques Nogueira, Lisboa

A necessidade de se proceder à abertura de uma travessia conduziu, por deliberação da DGPC e nos termos da lei geral (PDM e Plano de Pormenor da Baixa Pombalina) à realização de uma sondagem arqueológica.

Blocos de Rega de Beringel-Beja, Álamo 1

Levou-se a cabo uma sondagem de diagnóstico no local onde a equipa de acompanhamento arqueológico identificara uma estrutura positiva correspondente a um muro, no aparelho do qual era visível um grande bloco em opus signinum.

Blocos de Rega de Beringel-Beja, Almocreva

Foram realizadas cinco sondagens manuais com o objectivo de registar a estratigrafia completa de uma área já previamente diagnosticada e de caracterizar um conjunto de estruturas negativas de possível interesse arqueológico.

Blocos de Rega de Beringel-Beja, Carlota 7

Durante o acompanhamento de obra associado ao projecto, fora identificada, no Carlota 7, uma mancha de plano rectangular no decurso dos trabalhos de decapagem de vala para a instalação de uma conduta.

Blocos de Rega de Beringel-Beja, Carrascalão

Na primeira de três fases de trabalhos, foi realizada uma sondagem, no total de 4 m², que incidiu sobre uma estrutura negativa de planta circular.

Blocos de Rega de Beringel-Beja, Cerro da Atalaia 3

Na intervenção foi escavada uma estrutura negativa com forma alongada, de tipologia indeterminada, aberta diretamente sobre o substrato de caliço.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Monte do Vale do Hospital 2

Realizou-se uma sondagem implantada sobre uma mancha de forma sub-circular, parcialmente afetada durante a decapagem mecânica decorrente da execução da obra, e que corresponderia a uma estrutura negativa.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Monte do Zambujal 6

Foram programados trabalhos de escavação arqueológica, com a realização de 8 sondagens, visando caracterizar um conjunto de contextos, entre os quais algumas fossas, um valado e um possível fosso.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Pavão

Programou-se a execução de 4 sondagens arqueológicas, num total de 9 m2, para caracterização de um conjunto de possíveis sepulturas.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Pocinho

Foi programada a realização de duas sondagens arqueológicas de 2 x 2 m, numa área total de 8 m², visando caracterizar um depósito com alguns materiais arqueológicos.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Ribeira do Carrasco 2

Realizaram-se 7 sondagens implantadas sobre manchas com diversas formas (irregulares, circulares e em “osso”), que poderiam corresponder a estruturas negativas.

Blocos de Rega de Vale do Gaio, Vale de Lameiros

A intervenção visou caracterizar, numa primeira fase, um conjunto de manchas sub-circulares e, numa segunda fase, uma possível estrutura negativa afetada durante a abertura de vala.

Blocos de Rega de Beringel-Beja, Estrada da Calçada 2

Estes trabalhos permitiram a identificação de várias estruturas e enterramentos em urna, associados a uma necrópole do período romano, localizada nas imediações da cidade de Beja. Além disso, registaram-se duas calçadas, sendo a mais antiga possivelmente contemporânea da necrópole.

Blocos de Rega de Beringel-Beja, Lobeira de Cima 2

Perante a identificação, em acompanhamento de obra, de uma possível estrutura negativa, foi programada a realização de 1 sondagem arqueológica, num total de 4 m2, para escavação do referido contexto.

Blocos de Rega de Beringel-Beja, Lobeira do Meio 1

Realizaram-se 28 sondagens de diagnóstico, que incidiram sobre um conjunto de estruturas negativas identificado durante o acompanhamento de obra, num total de 125,5 m2.

Blocos de Rega de Beringel-Beja, Monte do Bolor 1 e 2

Perante a identificação, em acompanhamento de obra, de uma possível estrutura negativa, foi programada a realização de 1 sondagem arqueológica, num total de 4 m2, para a sua escavação.

Blocos de Rega de Beringel-Beja, Monte do Almocreva

Esta intervenção iniciou-se no seguimento da descoberta, em trabalhos de acompanhamento arqueológico, de duas interfaces negativas escavadas no substrato geológico.

Blocos de Rega de Beringel-Beja, Monte do José Bernardo

Esta intervenção revelou a existência de três furos destinados à captação e conservação de aquíferos, provenientes do leito do Barranco de Meia Légua.

Rua dos Correeiros 130-134/Rua da Assunção 41-47, Lisboa

Os trabalhos consistiram na realização de 10 sondagens de diagnóstico localizadas em áreas a afetar pela obra de reabilitação, designadamente, nas zonas de implantação das câmaras de inspecção referentes à rede de drenagem de águas residuais.

Variante dos Capuchos, Leiria

Nesta intervenção, é de salientar a identificação de diversos contextos arqueológicos enquadráveis numa ampla diacronia, desde a Pré-historia Antiga (Paleolítico Inferior) à Época Contemporânea.

Rua Ivens 18-28/ Rua Capelo 2-4B, Lisboa

A escavação das sondagens demonstrou uma ausência de vestígios arqueológicos cronologicamente atribuíveis a períodos anteriores ao Terramoto de 1755. Contudo, foi possível identificar elementos estruturais, que correspondem à fase contemporânea de construção do edifício, entre os anos de 1755 e 1807.

Palácio Nacional de Queluz

Estes trabalhos foram desenvolvidos no âmbito do projecto de recuperação do Palácio Nacional e Jardins de Queluz, consistindo na realização de uma sondagem de diagnóstico no extradorso da abóboda do Canal dos Azulejos e no acompanhamento da remoção dos sedimentos e limpeza desta estrutura setecentista.

Rua dos Fanqueiros, n.º 110-114, Lisboa

Os trabalhos de diagnóstico permitiram compreender um pouco da história ocupacional deste espaço, tendo-se individualizado 5 fases que correspondem grosso modo às principais alterações.

Rua do Alecrim, 24, Lisboa

No âmbito do empreendimento de reabilitação do edifício, estes trabalhos consistiram na realização de quatro sondagens de diagnóstico e no posterior acompanhamento arqueológico dos trabalhos em fase de obra.

Rua dos Remédios, Alfama, Lisboa

Os trabalhos permitiram recolher um conjunto de dados que ajudam a complementar as nossas noções sobre a evolução e desenvolvimento do urbanismo nos últimos 3 séculos desta área da cidade de Lisboa, e em particular deste antigo arruamento.

Empreendimento Rei Ramiro Terraces, Vila Nova de Gaia

O plano de trabalhos preconizou o alargamento em área das sondagens realizadas, em 2008, na plataforma superior, onde haviam sido identificados contextos romanos, e a escavação de duas novas sondagens na plataforma inferior, dentro do actual edifício.

Hotel do Bairro Alto, Lisboa

A intervenção teve como objectivo caracterizar o património arqueológico que pudesse existir nas áreas onde era necessário proceder à abertura de sondagens geotécnicas.

Abastecimento Hidroagrícola da Baixa de Óbidos

Procedeu-se, até ao final do mês de Setembro de 2016, ao acompanhamento de toda a movimentação de terras, no sentido de salvaguardar pelo registo as realidades ali observadas.

Rua da Emenda, n.º 41, Lisboa

Realizaram-se 2 sondagens de inspeção estrutural com o objectivo de informar o projecto da estabilidade da futura empreitada e detetar eventuais vestígios arqueológicos. Posteriormente, efetuou-se o acompanhamento das ações de remoção de pavimento em cimento e de abertura de caixa.

Parque de Estacionamento Subterrâneo da Praça do Príncipe Real, Lisboa

Estes trabalhos decorreram no âmbito do planeamento e licenciamento de um projeto de construção de um parque de estacionamento subterrâneo localizado na Praça do Príncipe Real, em Lisboa.

Rua do Salitre, n.º 100, Lisboa

Foram realizadas duas sondagens até à cota de afetação de obra no interior do edifício, com o objetivo foi detetar eventuais vestígios arqueológicos a serem afetados pelo desenvolvimento destes trabalhos,

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Monte de Pombal 1

O sítio intervencionado apresentava uma série de contextos de cronologias diversas, sobretudo estruturas negativas de distintas morfologias, funcionalidades e cronologia.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Quinta de São Vicente 5

Os trabalhos desenvolvidos permitiram a constatação, e subsequente escavação, de 18 estruturas de inumação e duas de incineração, que albergavam vestígios osteológicos humanos.

Adutor Pisão-Roxo (Fase de Obra), Vinha das Caliças 5

Efetuou-se a escavação arqueológica manual dos 7 m2 de sondagens implantadas sobre os depósitos e estruturas negativas identificadas pela equipa responsável pelo acompanhamento arqueológico.

Adutor Pisão-Roxo (Fase de Obra), Vale Frio

Neste sítio foram diagnosticados, em diferentes fases de acompanhamento, uma cista e um conjunto de três cistas da Idade do Bronze.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Vale de Bangula

Neste sítio, haviam sido detetadas, em acompanhamento de obra, algumas manchas bem distintas no subsolo de caliço esbranquiçado. Assim, foram realizadas duas sondagens na área de afectação, sendo que uma delas detinha em si um conjunto de interfaces pouco perceptíveis.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Monte de Mancocas

Os trabalhos de escavação arqueológica realizados no local puderam registar a existência de 2 fossas morfológica e cronologicamente distintas.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Vale de Bangula 1

Tendo em conta as estruturas negativas identificadas no decurso da decapagem das terras de superfície, estabeleceu-se em reunião prévia de campo a realização de cinco sondagens manuais, totalizando 21.75 m2

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Poço da Gontinha 1

Neste local, havia sido identificado um conjunto de interfaces negativas, de funcionalidade diversas, associadas a materiais enquadráveis na Pré-história, na proto-história, em épocas romana e moderna.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Peroguarda 1

Estabeleceu-se a realização de quatro sondagens manuais, totalizando 8.9 m2, tendo em conta a dimensão das estruturas negativas identificadas no decurso da decapagem das terras de superfície.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Pinheiro 3

A escavação no sítio do Pinheiro 3 surgiu após a identificação de um forno de utilização moderna no decurso da abertura de vala da Conduta 1.2 do Sub-bloco de Ferreira.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Monte do Sabino 3

Realizaram-se três sondagens manuais na sequência da identificação de duas interfaces negativas e uma mancha de terras negras durante a decapagem da camada vegetal na área da vala da Conduta 1 do Sub-bloco de Ferreira.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Barranco do Pereiro

Os trabalhos surgiram na sequência da deteção de duas manchas de materiais, uma do período romano e outra aparentemente moderna, no decurso da abertura de vala da Conduta 1 do Sub-bloco de Ferreira.

Bloco de Rega de Faro (Alvito-Pisão), Pedreira de Trigaches 5

Tendo em conta a deteção de duas manchas de materiais de época romana, estabeleceu-se em reunião prévia de campo a realização de duas sondagens manuais, totalizando 42 m2.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Monte do Cardim 3

Os trabalhos efetuaram-se após a identificação, no decurso do acompanhamento da abertura da vala CP de Ferreira, de 6 estruturas negativas, de funcionalidade indeterminada, colmatadas aparentemente na Idade do Bronze.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Monte Cardim 6

Os trabalhos puseram a descoberto uma múltipla realidade composta por estruturas negativas sub-circulares, uma estrutura quadrangular associada aos trabalhos agrícolas, um sepulcro tipo tholos e dois possíveis hipogeus em associação com este último.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Monte Cardim 5

Foram abertas duas sondagens posteriores à abertura da vala da Conduta Principal de Ferreira, tendo-se detetado uma sepultura romana/tardo-romana, no corte Oeste da vala, parcialmente destruída pela sua abertura.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Monte do Cardim 4

Após a deteção de uma estrutura negativa, parcialmente afetada, no corte Oeste da Conduta Principal, optou-se pela abertura de uma sondagem de forma a abranger a estrutura em corte e em plano.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Sub-estação de Ferreira 3

Tendo em conta uma estrutura negativa, de funcionalidade e cronologia indeterminadas, identificada no decurso dos trabalhos de instalação da conduta CP, estabeleceu-se a realização de uma sondagem manual de 1,5 m x 1,5.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Cangueiros, Barranco do Pinheiro

A escavação arqueológica revelou a existência de 6 realidades caracterizáveis como fossas, 5 delas morfologicamente semelhantes, embora de dimensões variáveis.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Cangueiros, Gato de Cima

Neste sítio, haviam sido identificadas, em fase de obra, quatro manchas de funcionalidade e cronologia indeterminadas, tendo-se estabelecido a realização de duas sondagens manuais e o registo das outras duas manchas observadas em corte.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Cangueiros, Monte do Gato de Cima 3

Nas sondagens intervencionadas verificou-se a existência de dois enterramentos, um em fossa circular e outro numa estrutura mais complexa, constituída por câmara e antecâmara, sendo que ambas as ocorrências se enquadram cronologicamente na Idade do Bronze.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Cangueiros, Outeiro Alto 2

A continuação dos trabalhos afetos à obra de construção do reservatório Brinches Sul viria a revelar uma necrópole da Idade do Bronze, uma área habitacional constituída por um fosso escavado no substrato geológico e um conjunto relativamente amplo de fossas, cronologicamente enquadráveis na transição entre o Neolítico Final e o Calcolítico.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Cangueiros, Ourém 5

No sítio Ourém 5 fora identificada, no decurso de ações de acompanhamento de abertura de vala, uma possível interface de funcionalidade e cronologia indeterminadas, encontrando-se parcialmente afectada.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Cangueiros, Ourém 6

Os níveis arqueológicos registados no interior das fossas mostraram tratar-se de uma ocupação calcolítica, localizada algures no III milénio a.C.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Cangueiros, Ourém 7

As quatro sondagens escavadas revelaram estruturas com funcionalidades distintas entre si, podendo, contudo, pertencer ao mesmo sítio arqueológico e mesmo momento de ocupação, neste caso à Idade do Bronze.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Cangueiros, Ourém 8

Foi intervencionada uma fossa aberta no substrato geológico, preenchida por quatro depósitos distintos, cujos materiais exumados revelaram tratar-se de uma ocupação atribuível à Idade do Bronze.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Charneca, Monte da Charneca 2

Neste sítio, fora identificada, em ações de acompanhamento de obra, uma mancha de sedimento e uma interface negativa, de funcionalidade e período cronológico indeterminados.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Charneca, Ribeira de Pias 3

A intervenção arqueológica no sítio Ribeira de Pias 3 enquadrou-se numa perspectiva de minimização de impactes sobre uma possível estrutura negativa identificada no decorrer da obra de execução do Bloco de Rega de Brinches

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Contendinha, Charneca

A intervenção arqueológica no sítio da Charneca enquadrou-se numa perspectiva de minimização de impactes sobre possiveis contextos arqueológicos identificados no decorrer da execução do Bloco de Rega de Brinches.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Contendinha, Figueirinha

As ações arqueológicas no sítio da Figueirinha enquadraram-se numa perspectiva de minimização de impactes sobre quatro estruturas negativas identificadas no decorrer da execução do Bloco de Rega de Brinches (Fase de Obra).

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Contendinha, Vila Jorge

Durante a primeira intervenção neste sítio foi escavada uma estrutura negativa de planta circular, de funcionalidade desconhecida. Numa segunda fase, identificaram-se duas novas fossas de natureza antrópica, situação que confirma a intensidade de ocupação humana nesta região.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Cadavais

Neste sítio havia sido identificada uma mancha com materiais de época romana e dois interfaces negativos de cronologia e funcionalidade indeterminada, podendo um deles corresponder a uma sepultura ou cista, observando-se no corte a presença de lajes de xisto no seu interior.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Covas 1

Levou-se a cabo a escavação arqueológica manual dos 61,75 m2 de sondagens implantadas sobre os depósitos e estruturas negativas identificadas durante ações de acompanhamento arqueológico.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Magoita

A escavação de 12 realidades arqueológicas revelou a existência de vários tipos de contextos, que se caracterizaram por terem morfologias e enchimentos diferentes, decorrentes certamente da sua função primária e/ou secundária.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Monte da Magoita 1

Realizaram-se 5 sondagens de diagnóstico nos locais do traçado da vala de rega onde a equipa de acompanhamento registara a presença de vestígios que apontavam a presença de estruturas negativas de origem antrópica, de forma a poder caracterizar e proceder ao seu salvamento através do registo.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Monte da Magoita 2

No sítio do Monte da Magoita 2 identificara-se, no decurso do acompanhamento da abertura de uma vala, uma interface tipo fossa associada a fragmentos de cerâmica e alguns líticos enquadráveis no período do Calcolítico.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Monte de Cortes 1

No sítio Cortes 1 haviam sido identificadas, no decurso do acompanhamento de abertura de uma vala, três interfaces e um recinto megalítico constituído por um menir aparentemente delimitado por um fosso.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Monte de Cortes 2

A intervenção arqueológica no sítio de Monte de Cortes 2 teve como resultado a identificação de uma série de estruturas negativas isoladas, de origem antrópica, que se articulavam em torno de um conjunto de quatro fossas associadas aos restos de um menir.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Monte de Cortes 3

Tendo em conta a identificação de quatro interfaces, de funcionalidade e período cronológico indeterminados, no decurso de trabalhos de acompanhamento de obra, estabeleceu-se a realização de quatro sondagens manuais, totalizando 14,5 m2.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Monte Novo 1

Este sítio correspondia a três interfaces negativas, de funcionalidade e período indeterminado, registadas no decorrer dos trabalhos de acompanhamento da abertura da vala para a instalação de uma conduta.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Monte de Cortes 4

Neste sítio registara-se, no decurso dos trabalhos de acompanhamento da abertura de vala para a instalação de uma conduta, uma área de manchas que era preciso confirmar se se tratava de estruturas antrópicas ou não.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Monte Novo 2

Foram realizadas cinco sondagens de diagnóstico incidindo sobre estruturas negativas, que revelaram a existência de um conjunto de fossas de cronologia indeterminada, mas presumivelmente enquadradas no período Pré-histórico.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Monte Velho 1

Os trabalhos no sítio do Monte Velho 1 enquadraram-se na minimização de impactes sobre o património resultantes da execução do Bloco de Rega de Brinches, tendo decorrido em duas fases, Abril e Junho de 2009, respetivamente.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Monte da Zambujeira 2

No decurso dos trabalhos de acompanhamento arqueológico da abertura de vala para a colocação de uma conduta, observaram-se algumas estruturas associadas a materiais de cronologia romana.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Monte da Zambujeira 3

Os resultados obtidos no decurso da escavação manual das estruturas negativas registadas não permitiram identificar vestígios materiais que possibilitassem a sua caracterização funcional, cultural ou cronológica.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Pias 1

Para a intervenção de uma interface foi definida uma sondagem, tendo os trabalhos revelado que a mesma correspondia a uma estrutura negativa antrópica, provavelmente relacionada com o plantio do olival.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Ribeira de Pias

No sítio Ribeira de Pias identificara-se uma interface tipo fossa, de funcionalidade e período cronológico indeterminados, no decurso dos trabalhos de acompanhamento da abertura de vala da Conduta Principal.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Ribeira de Pias 2

A intervenção no sítio arqueológico de Ribeira de Pias 2 permitiu a identificação de uma estrutura negativa que continha contextos funerários preservados em contexto primário.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Ribeira de São Domingos 1

As sondagens revelaram, entre outras coisas, a existência de sepulturas de cronologia islâmica, seladas por lajes de xisto.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Várzea de Cima 1

Das estruturas negativas intervencionadas, apenas seis revelaram uma natureza antrópica, sendo que as restantes foram interpretadas como resultados de ações naturais, tais como tocas de animais de pequeno/médio porte.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Várzea de Cima 2

Neste sítio foram identificados seis núcleos de interfaces, tendo-se realizado 12 sondagens incidindo nas estruturas negativas afetadas. Numa segunda fase, foi intervencionada uma 13.ª sondagem, que revelou a existência de uma fossa com material arqueológico enquadrável no Calcolítico.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Magoita, Zambujeira 1

A escavação do local revelou a presença de três interfaces de natureza antrópica, de cronologia desconhecida. Foi possível, no entanto, enquadrar estas fossas, dada a presença de líticos e cerâmica manual à superfície, na Pré-história recente.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Navegadas, Centirã 3

A identificação de várias interfaces negativas em corte levou ao estabelecimento inicial de um total de 124 m2 de escavação para que se procedesse à correta caracterização das realidades identificadas.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Navegadas, Coentros 3

Dada a natureza e localização de materiais recolhidos em acompanhamento de obra, e tendo por objetivo proceder a um diagnóstico, foi definida a realização de 1 sondagem mecânica de 1 m de largura por 10 m de comprimento.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Navegadas, Coentros 4

No decorrer do acompanhamento arqueológico para a remoção de terras da CP das Navegadas do Bloco de Rega de Brinches, foram identificadas em corte algumas interfaces negativas, assim como uma grande fossa com materiais de cronologia romana.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Navegadas, Gato de Cima 2

Neste sítio haviam-se registado duas possíveis interfaces no decurso do acompanhamento da decapagem das terras de superfície, encontrando-se afetadas no seu topo.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Navegadas, Horta do Lameiral 4

A intervenção não permitiu identificar nem caracterizar cronologicamente as estruturas já que se encontravam preenchidas por um único depósito que não possuía inclusões de vestígios materiais.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Navegadas, Horta do Lameiral 5

Os trabalhos realizados no sítio da Horta do Lameiral 5 enquadraram-se na minimização de impactes sobre o património cultural decorrentes da execução do Bloco de Rega de Brinches (Fase de Obra).

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Navegadas, Horta dos Quarteirões

A escavação arqueológica neste local revelou a inexistência de ação antrópica para esta interface, tendo-se chegado à conclusão de que era uma realidade natural.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Navegadas, Horta dos Quarteirões 1

Levou-se a cabo a escavação arqueológica manual das sondagens implantadas sobre os depósitos e estruturas negativas identificadas em acompanhamento de obra.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Navegadas, Monte do Pinheiro

A intervenção permitiu a identificação de interfaces negativas cuja funcionalidade não ficou esclarecida, podendo situar-se cronologicamente na Pré-História.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Navegadas, Monte da Caramujeira 1

Foram escavadas cinco estruturas negativas de funcionalidade desconhecida, cujos depósitos de enchimento não doaram quaisquer materiais arqueológicos, com excepção de alguma fauna mamalógica.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Navegadas, Monte da Caramujeira 2

As duas estruturas negativas identificadas poderiam corresponder a dois fundos de cabana e a uma parte de uma possível terceira. Foi ainda identificado um recipiente em cerâmica manual in situ, colocado diretamente sobre a base da estrutura negativa.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Navegadas, Monte da Caramujeira 3

A intervenção da ERA-Arqueologia no sítio do Monte da Caramujeira 3 recaiu sobre duas estruturas negativas de planta circular e escavadas no caliço, de funcionalidade desconhecida.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Navegadas, Monte Gargantas

Foram realizadas três sondagens de diagnóstico incidindo sobre um conjunto de estruturas negativas, que revelaram a existência de duas fossas, sendo que uma destas apresentava um enterramento.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Navegadas, Monte da Salsa 1

Foram intervencionados um total de 25 metros quadrados, distribuídos por sete sondagens de diagnóstico que revelaram a existência de um espaço desta villa utilizado tanto para a inumação de indivíduos como para a abertura de silos.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Navegadas, Navegados 4

A intervenção permitiu registar uma estrutura negativa, onde se identificaram três depósitos de enchimento distintos, verificando-se a presença de bastantes fragmentos cerâmicos, para além de alguns elementos pétreos de média dimensão.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Navegadas, Navegados 5

Durante a intervenção não foram registados níveis arqueológicos preservados e os parcos materiais identificados nos depósitos não permitiram qualquer consideração acerca da sua cronologia.

Bloco de Rega de Brinches, Sub-Bloco Várzea, Mina das Azenhas 6

A intervenção permitiu registar uma fossa com um enterramento de um indivíduo adulto, sendo os dados materiais inconclusivos no que se refere ao período cronológico, permitindo apenas enquadrar esta ocupação na demasiado lata Pré-história recente.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Vilas Boas 3

A escavação destas realidades revelou a existência de 15 fossas morfologicamente semelhantes, embora de dimensões variáveis, de plano circular, parecendo enquadrar-se num horizonte medieval

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Mancocas 4

A atribuição funcional das estruturas negativas ficou comprometida, uma vez que as suas características formais e os materiais arqueológicos exumados não permitiram uma conclusão categórica, devendo aproximar-se da Idade do Bronze.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Monte da Figueirinha 1

Os resultados permitiram a identificação de uma estrutura negativa contemporânea, e uma estrutura negativa e outra positiva provavelmente de período romano, tendo em conta a cultura material presente na área intervencionada.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Mancocas 3

Uma das estruturas intervencionadas não forneceu qualquer informação científica e outras duas puderam-se interpretar como estruturas de tipo “fossa” genericamente enquadráveis na pré-história recente.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Montes Rabela

A escavação não permitiu identificar a presença de qualquer tipo de estrato, nível ou espólio de natureza patrimonial, na área delimitada pela unidade de trabalho intervencionada.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Ribeira do Vale do Ouro 5

A conduta projetada para este local cortou longitudinalmente parte de uma estrutura negativa, pondo igualmente a descoberto um depósito de materiais associados de modo genérico ao período Calcolítico.

Bloco de Rega de Ferreira, Figueirinha e Valbom, Picanheiras

A intervenção permitiu identificar uma estrutura negativa que não revelou indícios de natureza patrimonial, parecendo ter resultado da ação de maquinaria agrícola para a plantação do olival contíguo.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Monte da Fonte da Areia 4

A intervenção permitiu identificar na sondagem 2 uma estrutura de planta circular de escassa profundidade com cronologia e funcionalidade desconhecida.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Arroteia 12

Neste local, no decurso do acompanhamento de obra, foram identificadas 2 manchas de argila de formas circulares e alongadas no substrato geológico, tendo-se realizado 2 sondagens manuais.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Arroteia 13

Tendo em conta a identificação de 5 manchas de argila de formas circulares e sub-circulares no substrato geológico, estabeleceu-se a realização de 5 sondagens manuais

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço A, Enxacafres 1

Com o intuito de averiguar neste local a efetiva existência de contextos preservados, foi sugerida uma campanha arqueológica de diagnóstico distribuída por 4 sondagens (num total de 30 m2) nas áreas a afetar.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço B, Santa Margarida do Sado 4

No decorrer da escavação foram identificados escassos materiais arqueológicos (núcleos e seixos talhados) dispersos de forma aleatória pelo espaço e uma interface possivelmente de origem natural.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Bela Vista 4

Após a decapagem mecânica e limpeza da restante área, identificou-se um total de 115 estruturas negativas, verificando-se a existência de contextos pré-históricos, quer de funcionalidade doméstica quer de funcionalidade ritual.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Bela Vista 5

Após a identificação deste sítio, foi proposta e iniciada, como trabalho de minimização de impacte, a limpeza e escavação arqueológica dos contextos identificados, tendo como objectivo a caracterização cronológico-funcional das realidades aí presentes.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Horta dos Lagos 1

Os trabalhos arqueológicos realizados na Horta dos Lagos 1 permitiram definir o aparelho construtivo da estrutura hidráulica identificada durante o acompanhamento arqueológico, assim como a estratigrafia associada e a sua extensão conservada.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Horta do Monte de Valbom 1

Durante a intervenção arqueológica foram identificados dois fornos, de cronologia moderna/contemporânea, assim como duas estruturas negativas que, pela proximidade em relação às estruturas dos fornos, puderam ser interpretadas como parte integrante da produção oleira.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Misericórdia 1

No decurso da intervenção, que resultou de sondagens de diagnóstico realizadas anteriormente, identificaram-se 46 fossas, todas de formação antrópica, enquadráveis cronologicamente na Idade do Bronze e em época tardo-romana.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Misericórdia 2

Foram identificadas doze fossas, das quais onze de formação antrópica, sete enquadráveis cronologicamente na Idade do Bronze final e em quatro dos casos não foi possível aferir a sua caracterização cronológica.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Misericórdia 3

A escavação incidiu nos depósitos de enchimento de uma vala, aberta no substrato geológico, sendo o depósito mais recente constituído por blocos pétreos e fragmentos de cerâmica de construção, destacando-se a presença de tégulas.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Misericórdia 4

Esta intervenção revelou a existência de 6 estruturas negativas associadas cronologicamente a um período compreendido genericamente entre a pré-história e a pré-história recente.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Monte do Arcediago 1

A realização destes trabalhos permitiu a identificação de um espaço funerário com duas fases de utilização, cronologicamente enquadradas na Idade do Ferro (séc. VI a IV a. C) e no período tardo-romano.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Monte do Arcediago 2

Os trabalhos realizados permitiram identificar uma estrutura hidráulica, constituída por dezanove pegões completos, sendo que o n.º 20 apenas foi visível em cerca de 20 cm do seu plano, já que excedia os limites da área de afetação da presente obra.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Monte do Arcediago 3

Nas duas sondagens realizadas registou-se, para além das estruturas já visíveis, um depósito de características argilosas, castanho, muito compacto, onde se recolheram fragmentos de cerâmica comum (destacando-se os grandes recipientes) e terra sigillata (itálica).

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Monte do Arcediago

No local e durante a escavação foram identificadas 4 sepulturas de época romana, escavadas em fossa, delimitadas ou cobertas por tegulae.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, PK 24+100

Durante a escavação foram identificadas duas estruturas negativas de funcionalidade e cronologia indeterminadas.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Quinta do Ouro 1

Constatou-se a ausência de contextos arqueológicos preservados nas áreas intervencionadas, considerando-se que a área poderia ser desbloqueada para a progressão da obra com acompanhamento arqueológico.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Vale da Arca 13

A intervenção visava a caracterização do sítio devido à presença de materiais arqueológicos e alinhamentos pétreos, interpretados como estruturas, identificados durante as ações de acompanhamento arqueológico da obra.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Vale de Barrancas 1

Os trabalhos permitiram concluir a ausência de contextos arqueológicos preservados nas áreas intervencionadas, uma vez que as evidências arqueológicas observadas se encontravam apenas à superfície do terreno.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Vale de Barrancas 2

A via pode ser interpretada como um caminho rural que faria a ligação a uma quinta/herdade, ou ser mesmo a antiga ligação de Beringel a Mombeja utilizada em época Moderna/Contemporânea.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Vale de Barrancas 3

Foi possível determinar que quatro estruturas negativas resultavam de ação antrópica, não sendo exequível com os dados disponíveis atribuir uma cronologia para a sua construção.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço C, Vale do Ouro

Verificou-se um total de 112 estruturas negativas com diferentes tipologias, cronologias e funcionalidades, permitindo apontar para o sítio do Vale do Ouro uma diacronia de ocupação longa, entre a Pré-História recente e a Época Moderna.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço E, Lajinha 3

Na sequência da deteção de vestígios arqueológicos durante a fase de acompanhamento foram propostas e realizadas 3 sondagens de diagnóstico (num total de 18 m2) utilizando meios mecânicos.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço E, Vale Melhorado 6

Durante a escavação foram recolhidos fragmentos de cerâmica incaracterística e cerâmica de construção muito rolados, indicando encontrarem-se em contexto de deposição secundária.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço F, Areal

Destes trabalhos foi possível concluir que o sítio com ocupação do Neolítico Antigo se encontrava fora da área de afetação, no local anteriormente intervencionado.

Subconcessão do Baixo Alentejo, Lanço F, Brejo Redondo 2

Estes trabalhos tiveram como objetivo confirmar se a área do sítio arqueológico era superior à conhecida e confirmar a existência de contextos arqueológicos preservados na área de afetação do projeto.

Parque de Estacionamento do Campo das Cebolas, Lisboa

Na generalidade, os contextos estratigráficos observados nas diversas sondagens enquadraram-se numa cronologia contemporânea (séculos XIX/XX), estando associados à utilização do Campo das Cebolas como área portuária e sua posterior desativação.

Praça da Figueira, n.º 15, Lisboa

A intervenção permitiu aferir a diacronia ocupacional do sítio, identificando-se um conjunto de estruturas provavelmente de época pré-pombalina, identificadas no piso inferior, e um conjunto de estruturas correspondentes aos momentos contemporâneos de ocupação do edificado, no piso térreo.

Rua da Liberdade, n.º 14, Tavira

Realizou-se uma sondagem de diagnóstico, na qual foi detetada uma estatigrafia contínua até ao período moderno, e o acompanhamento dos trabalhos de afetação do subsolo, em que se registaram estratos contemporâneos relacionados com a implantação de infraestruturas subterrâneas.

Rua Eduardo Coelho, n.º 79-83, Lisboa

Na sondagem efetuada apenas se registou a presença de dois níveis de aterro e de um alicerce que suportava uma parede. No interior do edifício, não foram observados quaisquer vestígios arqueológicos ou sinais de afetação de realidades patromoniais pré-existentes.

Rua Garrett, n.º 47, Lisboa

Os trabalhos consistiram na escavação de duas sondagens de diagnóstico e no acompanhamento da abertura de uma vala, tendo como resultado a identificação de duas estruturas hidráulicas possivelmente enquadráveis no período pombalino.

Aproveitamento Hidroeléctrico de Ribeiradio – Ermida, sítio arqueológico do Vau

Foram identificados e delimitados contextos arqueológicos preservados, enquadrados na Pré-História Antiga, que apresentaram características relacionadas com ocupações de comunidades de caçadores-recolectores, materializadas em artefactos de pedra lascada.

Rua Eduardo Coelho, n.º 67, Lisboa

Os resultados obtidos permitiram concluir que, para além das estruturas contemporâneas do atual edifício (um muro de contenção e duas caixas de esgoto já anuladas), não existiam outras realidades de valor arqueológico.

Palácio da Anunciada, Rua das Portas de Santo Antão, n.º 112-126, Lisboa

A intervenção permitiu vislumbrar um edifício que esteve ligado às figuras mais incontornáveis do século XVIII e XIX, tendo sido o espaço em que provavelmente se escreveram algumas linhas da nossa história moderna.

Casas da Lapa, Rua de São Domingos, n.º 8, Lisboa

Foram realizadas 5 sondagens geotécnicas, com abertura acompanhada pela equipa de arqueologia, e 4 sondagens arqueológicas em poço, sendo possível avançar com a caracterização do subsolo do local até à cota de substrato geológico.

Hotel Baixa Chiado, Rua da Prata 221-231 e Rua dos Correeiros 158-165, Lisboa

Realizaram-se 6 sondagens arqueológicas de diagnóstico em áreas a afetar por poços geotécnicos, não tendo sido identificado património com valor arqueológico relevante, à exceção do troço de um antigo arruamento pré-pombalino.

Rua de Santiago, n.º 7-9, Lisboa

As sondagens realizadas permitiram compreender a evolução deste edifício. Foi possível verificar que o palácio dos Condes de Tentúgal já existia aquando do terramoto de 1755, mas que ainda antes desse evento teria sofrido remodelações no século XVII

Subconcessão do Pinhal Interior, Lote 1 – Tomar/Avelar Sul, sítio do Pessegueiro

Durante a execução da sondagem, identificou-se uma estrutura antrópica e um possível nível de ocupação destruído pelo plantio de eucaliptos.

Subconcessão do Pinhal Interior, Lote 1 – Tomar/Avelar Sul, sítio de São Marcos

Após a conclusão das sondagens, não foram identificados níveis arqueológicos preservados nem uma grande quantidade de material arqueológico.

Subconcessão do Pinhal Interior, Lote 1 – Tomar/Avelar Sul, sítio de São Marcos 2

A realização da sondagem mecânica permitiu averiguar a inexistência de depósitos sedimentares com artefactos arqueológicos, concluindo-se que os materiais recolhidos anteriormente eram residuais e que o local da sua proveniência se encontrava para lá dos limites de expropriação.

Subconcessão do Pinhal Interior, Lote 1 – Tomar/Avelar Sul, sítio de São Marcos 3

A realização da sondagem mecânica e das crivagens a seco permitiu recolher alguma informação sobre a formação sedimentar deste sítio, perturbação e ocupação humana.

Subconcessão do Pinhal Interior, Lote 1 – Tomar/Avelar Sul, sítio de São Marcos 4

A realização da sondagem permitiu delimitar uma mancha silto-arenosa com materiais arqueológicos em posição secundária.

Subconcessão do Pinhal Interior, Lote 2, Avelar/Condeixa, Senhora da Alegria 2

Neste local, haviam sido identificados, durante o acompanhamento arqueológico da empreitada, vestígios correspondentes a uma mancha de material de época provavelmente Neolítica.

Subconcessão do Pinhal Interior, Lote 2, Avelar/Condeixa, Abrigo do Inferno

No âmbito do acompanhamento arqueológico das obras, haviam sido identificados neste local vestígios de carácter arqueológico, tratando-se de dois pequenos abrigos formados pela erosão lateral diferenciada do substrato arenítico.

Subconcessão do Pinhal Interior, Lote 2, Avelar/Condeixa, Chão de Lamas

Verificou-se a inexistência de contextos arqueológicos preservados, uma vez que a mancha de materiais identificada no decorrer do acompanhamento arqueológico correspondia à formação de uma acumulação sedimentar correspondente ao nível freático de uma linha de água.

Subconcessão do Pinhal Interior, Lote 2, Avelar/Condeixa, Lamas

Foram escavadas e registadas duas estruturas negativas escavadas no substrato estéril de funcionalidade desconhecida. A primeira, pela sua forma oval alongada, poderia sugerir uma estrutura funerária, porém, não foram identificados vestígios a corroborarem esta hipótese.

Sistema Interceptor de Beja, Quinta da Abóbada, Horta de Todos

Na Quinta da Abóbada, foram realizadas 15 sondagens de diagnóstico que revelaram uma longa diacronia daquele espaço, desde a Pré-História ao período Moderno.

Sistema Interceptor de Beja, Terras Frias 3

As estruturas e contextos identificados correspondem a um conjunto de vestígios da pars rustica de uma vila romana, tendo sido possível ao longo desta intervenção aferir a evolução ocupacional deste local, desde a sua fundação no século I d.C. até aos nossos dias.

Empreitada de proteção e recuperação da Costa Vicentina: Forte de Almádena

O diagnóstico arqueológico efetuado não revelou a existência de níveis arqueológicos preservados (depósitos ou estruturas positivas ou negativas). Perante a informação recolhida, propôs-se a realização de acompanhamento arqueológico durante os trabalhos de escavação da Empreitada.

Empreitada de proteção e recuperação da Costa Vicentina: Ponta da Atalaia

Os trabalhos consistiram na execução de 3 sondagens de diagnóstico e no acompanhamento arqueológico dos trabalhos de construção: perfurações para instalação de estacaria e nivelamento dos dois acessos a esses passadiços.

Empreitada de proteção e recuperação da Costa Vicentina: Praia da Carreagem

Foram sondadas duas áreas na arriba junto à Praia da Carreagem cujos sedimentos coluvionados (areias dunares) assentam sobre o substrato xistoso local, que apresenta forte inclinação, não permitindo a conservação de contextos arqueológicos.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Arroteia 14

A intervenção teve como resultado a identificação de 5 estruturas negativas: uma de planta quadrangular; uma de planta retangular; uma de planta irregular; duas de planta circular.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Barranco da Azinheira 2

Os trabalhos resultaram na identificação de 14 estruturas negativas, das quais apenas 10 foram intervencionadas, sendo duas de origem natural e oito de origem antrópica.

Bloco de Baleizão-Quintos, Cortes Pequenas 5

A intervenção teve como resultado a deteção de uma estrutura negativa de forma longitudinal, preenchida por um único depósito onde não foi registada a presença de vestígios materiais.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Monte da Rabadoa 2

A intervenção teve como resultado a identificação de uma estrutura composta por dois muros, que travavam entre si, configurando um possível compartimento com forma retangular ou quadrangular.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Monte Alto 3

A intervenção resultou na identificação de 17 estruturas negativas de origem antrópica.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Monte da Fonte da Areia 4

A intervenção permitiu identificar na sondagem 2 uma estrutura de planta circular de escassa profundidade com cronologia e funcionalidade desconhecida.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Quinta do Castelo 6

A intervenção teve como resultado a identificação de 10 estruturas negativas de origem antrópica (nove de planta circular e uma de planta irregular) e uma de origem indeterminada.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Monte das Oliveiras 1

A intervenção possibilitou a identificação de 9 estruturas negativas, 7 de origem antrópica e 2 de origem natural, tendo os materiais cerâmicos recolhidos nos seus enchimentos sido enquadrados no período do Bronze

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Monte das Oliveiras 2

A intervenção resultou na identificação de uma estrutura negativa, tipo cova artificial, num estado de conservação regular, onde se registou a presença de um único enterramento associado a uma taça de cerâmica.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Monte das Oliveiras 3

A intervenção teve como resultado a identificação de 4 estruturas negativas de origem antrópica: duas de planta retangular, uma de planta irregular e uma planta circular.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Monte de Ourives 2

Os trabalhos tiveram como resultado a identificação de uma estrutura em pedra e tijolo formada por quatro muros, cujo sistema construtivo pode ser indicativo de se enquadrar em época Romana.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Monte do Vermelho 1

A escavação arqueológica possibilitou a identificação de 8 estruturas negativas de origem antrópica, sete enquadráveis no período do Bronze e uma de época indeterminada.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Monte Novo da Quinta do Castelo 1

A intervenção permitiu a identificação de duas estruturas de origem antrópica: o canal colmatado de um antigo ribeiro e uma bolsa de argilas de origem natural.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Monte Novo da Quinta do Castelo 2

A intervenção possibilitou a identificação de uma estrutura hidráulica, tipo caneiro, feita em pedra, em bom estado de conservação.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Monte Novo da Quinta do Castelo 3

A escavação arqueológica conduziu à deteção de duas estruturas negativas de planta circular e corpo subcilíndrico com um único depósito de enchimento.

Condomínio do Freixo Azóia, Colares

No sentido de diagnosticar o potencial arqueológico do local, procedeu-se à realização de sondagens de diagnóstico, dispersas pelas principais áreas a afetar e recorrendo a meios mecânicos de escavação.

Conduta Adutora Baleizão-Quintos, Monte da Robalinha

O tipo de arquitetura mais representado neste sítio resume-se a estruturas negativas do tipo fossa com plano circular, paredes rectas e fundo ligeiramente concavo ou mesmo plano.

Circuito Hidráulico Baleizão-Quintos, Monte Novo da Saudade

A intervenção pôs em evidência uma pequena estrutura de combustão preservada, aparentemente de cronologia pré-histórica, não tendo sido identificados materiais in situ que a permitissem enquadrar crono-culturalmente.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Quinta do Castelo 2

A intervenção resultou na identificação de 15 estruturas negativas de origem antrópica, das quais só 13 foram escavadas. Todas as estruturas apresentavam o mesmo tipo de enchimento, arqueologicamente estéril.

Circuito Hidráulico Baleizão-Quintos, Quinta do Estácio 6

A intervenção resultou na identificação de estruturas negativas e positivas, representadas por uma grande variedade tipológica, funcional e cronológica, abarcando desde o Neolítico Final até época Tardo-Romana.

Circuito Hidráulico Baleizão-Quintos, Quinta do Estácio 12

A escavação pôs em evidência quatro estruturas negativas do tipo fossa de diferentes tipologias, inseridas crono-culturalmente na Pré-História recente, nomeadamente na Idade do Bronze.

Bloco de Rega de Baleizão-Quintos, Vale do Alcaide Baixo

Os trabalhos arqueológicos resultaram na identificação de 8 estruturas negativas, das quais 7 seriam de origem antrópica e uma de origem natural.

Rua do Boqueirão Duro e Rua D. Luís I, Lisboa

Esta intervenção visou a elaboração de um Plano de Atuação Arqueológica que permitisse aferir do potencial arqueológico e patrimonial da área de implantação do Edifício Sorel, definindo diferentes áreas de sensibilidade arqueológica.

Rua de Santa Cruz do Castelo, lotes 50/52 e 54/56, Lisboa

Os trabalhos possibilitaram a identificação de uma estratigrafia complexa e intrincada, o que é consentâneo com contextos urbanos deste tipo (onde ocorre uma ocupação contínua ao longo dos séculos), sugerindo uma ocupação intensa de um mesmo espaço, sobretudo de âmbito doméstico.

Aproveitamento Hidroeléctrico de Ribeiradio-Ermida, sítio Rôdo (Sever do Vouga)

A intervenção permitiu identificar contextos arqueológicos preservados enquadrados crono-culturalmente no Paleolítico Superior.

Rua da Junqueira, n.º 156/158, Lisboa

A intervenção foi levada a cabo como medida de mitigação de impacte sobre o património, dado que foram postos a descoberto, no decurso da implementação do projeto, vestígios arqueológicos de caráter industrial.

Convento dos Lóios, Largo dos Lóios, n.º 10, Lisboa

Este edificado apresenta um longo historial, que remonta pelo menos ao século XIII, tendo sofrido inúmeras alterações ao longo dos tempos até aos nossos dias. As sondagens intervencionadas, no máximo a 1 metro de profundidade, são testemunha destas alterações.

Palácio Ludovice, Lisboa

Estes trabalhos arqueológicos foram realizados no âmbito do empreendimento de reabilitação do Palácio Ludovice, classificado como Imóvel de Interesse Público e abrangido pela Zonas de Proteção do Ascensor da Glória, do Aqueduto das Águas Livres e dos imóveis classificados da Avenida da Liberdade e área envolvente.

Rua das Trinas, n.º 124/128, Lisboa

Os trabalhos dividiram-se em duas fases: a primeira caracterizou-se pela escavação de três sondagens de diagnóstico e a segunda pelo acompanhamento arqueológico ao longo da empreitada.

Sítio do Cerrado do Castelo, Grândola

As obras a realizar implicariam a afetação de áreas com potencial arqueológico, dado que se iriam desenvolver num local onde é conhecida a presença de um sítio arqueológico de época romana.

Pátio da Fábrica da Goma, Campo de Santa Clara, n.º 78, Lisboa

No que concerne às sondagens realizadas no subsolo, os contextos intervencionados estavam grosso modo associados a diferentes fases de ocupação do espaço em época contemporânea, com vestígios predominantemente de cariz industrial.

Bloco de Rega de Pias, Amendoeirinha 1

O sítio em questão fora considerado no Estudo de Impacte Ambiental como um casal rústico de cronologia Medieval/Moderna.

Bloco de Rega de Pias, Amendoeirinha 4

Estes trabalhos consistiram na realização de 2 sondagens mecânicas de diagnóstico na área onde estava projetada a implantação da conduta C2, num total de 8 m².

Bloco de Rega de Pias, Barranco de Bota Cerva 3

Executaram-se 2 sondagens de diagnóstico, com recurso a meios mecânicos, na área onde estava projetada a implantação da conduta C4.1, num total de 8 m².

Bloco de Rega de Pias, Barranco de Bota Cerva

Estes trabalhos consistiram na realização de 3 sondagens mecânicas de diagnóstico na área a afetar por obras de beneficiação do caminho, não tendo sido identificados contextos arqueológicos preservados.

Bloco de Rega de Pias, Barranco de Pias 2

Este sítio fora inventariado com o n.º 44 e considerado no Estudo de Impacte Ambiental como um casal rústico com cronologia atribuída ao período romano.

Bloco de Rega de Pias, Barranco de Pias 3

Na sequência de prospeções arqueológicas, o sítio fora classificado como uma mancha de ocupacão, na qual foram identificadas cerâmicas manuais e a torno, o que poderia indicar uma longa diacronia de ocupação, entre a pré-história recente e o período romano.

Bloco de Rega de Pias, Bota Cerva 1

A intervenção consistiu na execução de 2 sondagens mecânicas de diagnóstico (1x4), num total de 8 m². Não foram registados contextos arqueológicos preservados.

Bloco de Rega de Pias, Bota Cerva 2

Os artefactos líticos de pedra talhada identificados nos depósitos argilosos revelaram estarmos perante materiais de proveniência geográfica próxima do sítio intervencionado, provavelmente de um ponto mais a norte da linha de água.

Bloco de Rega de Pias, Caseta do Cangueiro 2

Este sítio fora inventariado na sequência dos trabalhos de prospeção arqueológica complementares ao Estudo de Impacte Ambiental, tendo sido caracterizado como uma mancha de ocupação de cronologia pré-histórica.

Bloco de Rega de Pias, Caseta do Cangueiro 3

As possiveis estruturas que haviam sido reconhecidas nas prospeções e que levaram à realização destes trabalhos consistiam em amontoados de rocha, tijolo e alcatrão, que preenchiam covas no caminho.

Bloco de Rega de Pias, Caseta do Cangueiro 4

Estes trabalhos consistiram na realização de 2 sondagens de diagnóstico por meios mecânicos na área afeta ao projeto de implantação da conduta.

Bloco de Rega de Pias, Entregas 4

Caracterizado como uma mancha de ocupação cronologicamente enquadrada no período Medieval/Moderno, o sítio de Entregas 4 localiza-se a cerca de 2 km do centro da vila de Pias, concelho de Serpa.

Bloco de Rega de Pias, Herdade da Torre 2

À superfície identificaram-se materiais arqueológicos que apresentavam uma longa diacronia de ocupação do espaço, designadamente, cerâmicas de cronologia contemporânea, moderna, islâmica e romana.

Bloco de Rega de Pias, Herdade da Torre 1

É possível que o material arqueológico existente à superfície nesta zona resultasse da regularização/aterro do terreno para a plantação do olival, encontrando-se em contextos secundários de deposição.

Circuito Hidráulico Caliços-Pias, Herdade da Torre 3

O alargamento de uma das sondagens permitiu confirmar a existência de uma estrutura negativa cujas características sugerem tratar-se de um hipogeu.

Circuito Hidráulico Caliços-Pias, Herdade da Torre

A intervenção permitiu aferir que no local estabelecido para a colocação de infraestruturas de rega existiam vestígios de ocupações preservadas com uma longa diacronia, aproximadamente desde o século II d.C. até ao século XII d.C.

Circuito Hidráulico Caliços-Pias, Monte da Capela 7

Estes trabalhos consistiram na realização de 5 sondagens mecânicas de diagnóstico (1x4) na área afeta à implantação da albufeira de Pias, num total de 20 m2.

Bloco de Rega de Pias, Monte Barroso 2

O sítio do Monte Barroso 2 corresponde ao n.º 35 do Estudo de Impacte Ambiental do Bloco de Rega de Pias, tendo sido descrito como uma calçada de cronologia romana/medieval, situada numa das passagens do Barranco das Amoreiras.

Circuito Hidráulico Caliços-Pias, Monte Branco 3

Foi possível a identificação de duas estruturas negativas de tipo fossa e um conjunto de estruturas negativas que poderiam estar associadas ao cultivo de vinhas em época romana.

Bloco de Rega de Pias, Monte Branco 4

Identificaram-se contextos de cronologia romana, correspondentes a um piso com restos de opus signinum, 2 fossas escavadas no substrato rochoso e uma estrutura negativa que poderia estar associada ao cultivo de vinhas em época romana, realidade identificada também no sítio do Monte Branco 3.

Circuito Hidráulico Caliços-Pias, Monte da Capela 1 e 2

Realizaram-se 10 sondagens mecânicas de diagnóstico, num total de 40 m², dentro da área da albufeira projetada. O objetivo era diagnosticar se os limites da mancha de ocupação identificada no EIA se estendiam para a zona da albufeira.

Circuito Hidráulico Caliços-Pias, Monte da Capela 4

O sítio Monte da Capela 4 havia sido assinalado no Estudo de Impacte Ambiental como uma mancha de ocupação enquadrada cronologicamente no período romano.

Circuito Hidráulico Caliços-Pias, Monte da Capela 5

O sítio em questão havia sido descrito como um afloramento rochoso onde era já possível reconhecer alguns cortes que poderiam indicar uma atividade de extração de pedra.

Circuito Hidráulico Caliços-Pias, Monte da Capela 6

Tal como no Monte da Capela 5, estes trabalhos comprovaram a utilização deste afloramento granítico como pedreira.

Bloco de Rega de Pias, Monte da Igreja 4

Estes trabalhos consistiram na realização de 2 sondagens mecânicas de diagnóstico (1x4) na área afeta às obras de beneficiação do caminho, num total de 8 m².

Circuito Hidráulico Amoreira-Caliços, Monte dos Cotéis 2

Na sequência de prospeções arqueológicas complementares ao Estudo de Impacte Ambiental, o Monte dos Cotéis 2 fora classificado como uma mancha de materiais dispersos de cronologia atribuída à Pré-História e ao período Contemporâneo.

Circuito Hidráulico Amoreira-Caliços, Monte dos Cotéis 3

A intervenção revelou a existência de um edifício com uma planta composta por 4 compartimentos nos quais foram identificados vários conjuntos de buracos de poste e dois silos, assim como uma zona correspondente a um espaço exterior. Esta ocupação foi enquadrada entre o século XVI e a primeira metade do XVII..

Bloco de Rega de Pias, Monte Velho 1

O sítio Monte Velho 1 havia sido considerado no Estudo de Impacte Ambiental como um achado isolado de cronologia Medieval.

Bloco de Rega de Pias, Quintinha 2

Efetuaram-se 2 sondagens mecânicas de diagnóstico na área onde estava projetada a implantação da conduta C1, num total de 8m², não se tendo identificado contextos arqueológicos preservados.

Bloco de Rega de Pias, Quintinha 3

Este sítio havia sido assinalado com o n.º 60 no Estudo de Impacte Ambiental, correspondendo a um habitat Medieval, com fragmentos em vidrado de tom melado à superfície.

Bloco de Rega de Pias, Quintinha 7

Este local, no qual foram identificados 2 núcleos correspondentes a duas manchas de concentração de material distintas, caracterizara-se como um sítio com uma ocupação enquadrada no período medieval/moderno.

Bloco de Rega de Pias, Quintinha

Os contextos identificados corresponderam a um edifício com pelo menos 2 compartimentos, em muito mau estado de conservação, uma vez que só foi possível identificar as fundações dos muros que o constituíam.

Bloco de Rega de Pias, Santa Luzia 3

Este sítio fora considerado no Estudo de Impacte Ambiental como uma área com um achado isolado (tegulae), com cronologia atribuída ao período Romano.

Bloco de Rega de Pias, Sesmarias

O sítio Sesmarias havia sido considerado no Estudo de Impacte Ambiental dos Blocos de Rega de Pias como uma villa romana com cerâmica de construção à superfície.

Palácio da Falcoaria Real de Salvaterra de Magos

A intervenção permitiu identificar vestígios arqueológicos relacionados com vários momentos de ocupação do Palácio da Falcoaria Real, desde a sua fundação no século XVIII até ao estado de degradação em que se encontrava no início do século XXI.

Forte de Olheiros, Torres Vedras

As ações arqueológicas aqui desenvolvidas enquadraram-se no projeto “Rotas Históricas das Linhas Defensivas de Torres Vedras”, consistindo na escavação arqueológica de três canhoeiras, do interior do paiol e de um troço do fosso, num total de 64.75 m2, e no acompanhamento de alguns trabalhos de limpeza e regularização de estruturas.

Largo de Nossa Senhora da Guia, n.º 10, Ferrel, Peniche

Esta intervenção enquadrou-se numa perspectiva de diagnóstico, uma vez que a obra de construção de um novo edifício se encontrava dentro da área de proteção da Capela de Ferrel.

Supressão de Barreiras Urbanísticas no Centro Histórico de Chaves

A intervenção visou a deteção de vestígios arqueológicos que poderiam ser afetados pelo desenvolvimento das obras de supressão de barreiras urbanísticas e arquitectónicas e renovação de mobiliário urbano e sinalética no centro histórico de Chaves.

Rua Visconde de Trevões e Largo do Adro, Trevões

As cinco sondagens arqueológicas realizadas permitiram registar um conjunto de elementos antrópicos, relativos a nove grandes momentos/fases de utilização, abandono e reformulação deste espaço, e que apontavam para um contexto de necrópole.

Estrada de Santa Eufémia e Rua Miguel Torga, Sintra

Estes trabalhos arqueológicos foram realizados no âmbito do projeto de Beneficiação da Estrada de Santa Eufémia e da Rua Miguel Torga.

Av. 24 de Julho 10/Rua D. Luís I, Lisboa

Foram realizadas 7 sondagens de diagnóstico, cujos resultados permitiram concluir a inexistência de níveis arqueológicos preservados anteriores ao período Moderno/Contemporâneo até a uma cota média de 2 m de profundidade.

Rua dos Anjos, 1-1J, Lisboa

No âmbito do empreendimento de reabilitação deste imóvel, a intervenção correspondeu à abertura de 3 sondagens de diagnóstico e ao acompanhamento da escavação de sapatas perimetrais e caixa de elevador.

Rua Elias Garcia, n.º 48-52, Cacilhas, Almada

Numa das sondagens de diagnóstico efetuadas foram identificados cortes antrópicos no substrato geológico, muito provavelmente relacionados com as inúmeras pedreiras que ali lavraram a pedra desde a época medieval até época contemporânea.

Av. Severiano Falcão, Lote 6, Prior Velho, Loures

As obras a realizar implicavam a afetação de áreas com potencial arqueológico, já que se desenvolviam na Zona Especial de Proteção da “Casa da Quinta da Francelha de Cima”, Imóvel de Interesse Público. Assim, foram realizadas 6 sondagens arqueológicas de diagnóstico com meios mecânicos.

Largo da Fonte da Vila, 6, Castelo de Vide

Considerando a localização deste edifício, numa zona de elevada sensibilidade arqueológica, numa das áreas mais antigas e intensamente ocupadas da vila de Castelo de Vide, estes trabalhos foram realizados numa perspetiva de diagnóstico arqueológico prévio à empreitada de reabilitação do imóvel..

Rua da Madalena, n.º 40, Faro

Foram realizados trabalhos arqueológicos de diagnóstico e acompanhamento de obra no âmbito do projecto de reconstrução deste edifício de habitação.

Avenida Luísa Todi, 123-131, Setúbal

No âmbito do projeto de requalificação deste edificado com habitação e comércio, tornava-se necessário confirmar a existência do troço de muralha eventualmente presente no local e, em função do resultado, definir as mais adequadas medidas de mitigação de impacte a adotar.

Urbanização da Barrada, lote 41, Silves

As sondagens realizadas foram distribuídas de forma a ser possível obter um diagnóstico da estratigrafia e eventuais pré-existências no terreno.

Quinta Paço do Lumiar, Lisboa

A implementação deste empreendimento implicava a afectação de áreas com potencial arqueológico, já que se desenvolvia numa área classificada como Conjunto de Interesse Público do Paço do Lumiar.

Igreja de Santo António, Montemor-o-Velho

Os trabalhos de escavação e exumação do material osteológico identificado no âmbito da empreitada de reabilitação da Igreja de Santo António puseram a descoberto uma fracção da necrópole aí estabelecida.

Reconversão Agrícola na Herdade da Torre de São Brissos, Monte do Bolor 6, Beja

Estes trabalhos consistiram na realização de 2 sondagens arqueológicas de diagnóstico para caracterização das afetações observadas e na prospeção arqueológica sistemática georreferenciada com contagem de materiais e utilização de detetor de metais.

Rua Camilo Castelo Branco, Alcabideche (Cascais)

No âmbito do projeto de execução de edificação de moradias unifamiliares, preconizou-se a realização de um diagnóstico arqueológico através da implantação de seis sondagens.

Rua das Cruzes da Sé, 15, Lisboa

Procedeu-se à abertura de quatro sondagens, duas de inspeção estrutural e duas de diagnóstico arqueológico, nas áreas de implantação da caixa do elevador e das infraestruturas e de acompanhamento.

Beco de Santa Marta n.º 1-3, Lisboa

Os trabalhos cingiram-se a abertura de três sondagem de diagnóstico arqueológico nos espaços com mais afetação na futura empreitada.

Praça da República, nº 69-75, Loulé

Considerando a localização deste edifício, foram programados trabalhos de diagnóstico arqueológico prévio, englobando, numa fase inicial, a realização de duas sondagens, e, numa fase posterior, uma terceira sondagem, assim como, o alargamento da sondagem 2.

Quinta da Penha Longa (Aldeamento A), Sintra

Os trabalhos procuraram dar resposta a uma condicionante da DGPC, que em sede de apreciação do projeto, dado o seu grande impacte ao nível do subsolo, preconizou a realização de sondagens de diagnóstico arqueológico, com vista a determinar o real impacte patrimonial da intervenção.

Largo Jacinto D’Ayet, Albufeira

Foram realizadas 13 sondagens de diagnóstico arqueológico com vista a verificar de forma preliminar o potencial estratigráfico e arqueológico da área de implantação do projeto de construção do Sant’Ana Palace Hotel.

Rua do Cais de Gaia 226/Rua de Pereira da Costa, 31, V. Nova de Gaia

Os trabalhos arqueológicos realizados em fase prévia à empreitada de requalificação e adaptação de um edifício de cariz industrial em habitação multifamiliar situado na Rua do Cais de Gaia e Rua de Pereira da Costa, freguesia de Santa Marinha, Vila Nova de Gaia.

Fortaleza de Campo Maior

A ERA levou a cabo a realização de sondagens arqueológicas na zona exterior a Sul da Fortaleza de Campo Maior, onde se implantaria uma urbanização, no âmbito da ação da Câmara Municipal para Realojamento de Agregados Familiares em Situação de Ocupação Ilegal do Espaço Público.